11 de janeiro de 2013

Preçario num bordel de Roma no ano de 1923

Gamado no Brasil :))






19 comentários:

  1. Com duas em cima???? Livra. :-):-):-)
    Aquele abraço e bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  2. Está aqui a lista de serviços e preços completa.
    Bunga/Bunga em 1923!! :)))
    Aquele abraço e votos de bom fim-de-semana

    ResponderEliminar
  3. Eu ia para a última opção, Pedro! :DDDDD

    Abraço

    ResponderEliminar
  4. Caro amigo Pedro Coimbra!
    Já solicitei ao nosso sempre ativo Detetive Pardal investigar o motivo que levava a Madame Renata a não dar descontos a cléricos e professores!
    Jurista podiam dar até polpuda gorjeta, porque sempre ganham rios de dinheiro!
    Acuda Max, porque já ouço os rugidos dos leões da Metro no meu encalço, atiçados pelos asseclas da deusa da Justiça e da Sabedoria...
    Caloroso abraço! Saudações aceleradas!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Diadema-SP

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Prof.,
      Jurista é pobre e não ganham rios de dinheiro, não é, Pedro? :))

      Abraço aos dois!

      Eliminar
    2. Repito, Ricardo - a vingança e um prato que se serve frio.
      E mais nao digo :))
      Aquele abraço!!!

      Eliminar
  5. A vingança e um prato que se serve frio, caro Prof. João Paulo de Oliveira :))))

    ResponderEliminar
  6. Impossível não reparar no desconto, é como nos comboios, também há descontos para estudantes e militares! Ahahahahah :D

    ResponderEliminar
  7. Estava tudo pensado, Poppy.
    Bastava apresentar o comprovativo (cartão??) e pimba - venha de lá o desconto!!! :)))

    ResponderEliminar
  8. E pagava-se em libras ou a lira também usava esse símbolo?

    ResponderEliminar
  9. Tem que ser liras, FireHead
    Libras?
    Com aqueles preços nem o orçamento camarário dava para pagar!!! :))))

    ResponderEliminar
  10. Caros amigos Pedro Coimbra e Ricardo Meneses!
    Juro pela alma imaculada do Marques de Sade que foi a lambisgoia da Agrado, aquela mexeriqueira mor que tudo sabe e tudo vê, que me obrigou a escrever sobre os juristas.
    Peço-lhe encarecidamente de joelhos e mãos postas que não coloquem no meu encalço os leões da Metro.
    Tenham piedade de um reles escrevinhador outonal e insulso professorzinho primário aposentado...
    Caloroso abraço! Saudações suplicantes!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Diadema-SP

    ResponderEliminar
  11. Vou conversar com Ricardo para perceber até que ponto estamos preparados para perdoar, caro Prof. João Paulo de Oliveira :))))

    ResponderEliminar
  12. esse preçário em Portugal seria inconstitucional, Pedro. Não tem reduções para reformados.

    ResponderEliminar
  13. Miú Primeira,
    O que eu gosto mais é dos descontos :)))

    Carlos,
    E não é que se esqueceram dos reformados?!
    Imperdoável!!! :)))

    ResponderEliminar