7 de março de 2012

Todos aos quartos!!!

Crise? Qual crise, qual carapuça!!


Terá sido algo de semelhante que pensaram ontem os jogadores e equipa técnica do Benfica.
Com a passagem ao quartos-de-final da Liga dos Campeões, o Benfica, de uma penada, dá um pontapé numa série de maus resultados, no espectro de um cenário de crise, nos olhares de desconfiança que já eram lançados à equipa, enquanto que, simultaneamente, acumula prestígio e dinheiro (4 milhões de euros).
Como dizia Jorge Jesus no final do jogo, "há dias em que as coisas correm bem, outros não".
Ontem foi um daqueles dias em que as coisas correram bem.
Mas, para que isso acontecesse, acrescento eu, foi preciso competência e trabalho.
Competência, na abordagem ao jogo, na estratégia delineada, na leitura dos vários momentos do jogo, nas alterações feitas e no momento em que foram feitas.
Trabalho, quando foi necessário esquecer a nota artística para pensar mais na nota técnica.
Com esta "ajuda" dos jogadores e equipa técnica, chegou-se ao(s) momento(s) de as coisas correrem bem.
Marcar no período de descontos da primeira parte (Maxi Pereira) e matar o jogo no período de descontos (Nélson Oliveira, o "menino", como lhe chama Jorge Jesus) da segunda. Até ao lavar dos cestos.....
Correndo bem, ou não, o Benfica passou aos quartos-de-final da Liga dos Campeões porque foi  (é) melhor que o Zenit.
Venha o próximo adversário!!


Em noite em tons de encarnado, o Arsenal, que estava eliminado depois dos 4-0 de Milão, por pouco não chegava ao milagre.
Os gunners atropelaram o Milan!
E chegaram ao intervalo a ganhar por 3-0.
Com a equipa italiana completamente dominada e atordoada com a avalanche de futebol dos ingleses, valeram algumas intervenções fenomenais de Abbiati para o jogo não ir, pelo menos, para prolongamento.
A Liga dos Campeões como foi imaginada - grandes jogos, grandes jogadores, grandes equipas, emoção, espectáculo.
Mais uma vez, glória aos vencedores, honra aos vencidos!

7 comentários:

  1. Pedro,

    hoje à sua crónica não tenho mesmo nada a acrescentar senão dois pequenos pontos:

    1 - Viva o Benfica!

    2 - Tenho pena que o "meu" Arsenal tenha...morrido na praia!

    Aquele abraço, caro amigo!

    ResponderEliminar
  2. Está quase tudo dito.

    Um pormenor, apenas.
    Bruno Alves foi recebido com vaias e assobiadelas.
    Não aprecio estas atitudes, sejam com quem forem e onde forem.
    Não havia necessidade.
    Mas ... alguém percebeu que Bruno Alves foi o grande causador do mais alto nível de decibéis dos gritos benfiquistas?
    É natural que não.
    Mas na verdade, quando ainda em aquecimento, Bruno Alves fez aquele gesto com o dedo do meio da mão e dirigiu-o ao público.

    Bruno Alves é um homem mal formado.

    E depois vem com esta: «Gostava de ser mais bem recebido no meu país».

    Cresce, Bruno, cresce.

    Um abraço, Pedro

    ResponderEliminar
  3. Ia tendo uma paragem cardíaca mas tudo acabou bem :)*

    ResponderEliminar
  4. Vamos lá a ver a próxima etapa. Ainda há algumas pêras doces, seria bom que calhasse uma ao Benfica.

    ResponderEliminar
  5. O Bruno Alves também provocou os adeptos do Benfica, além de que ninguém se esquece da entrada assassina que teve sobre o Rodrigo na Rússia. De resto, a vitória do Benfica não se discute, até mesmo na Rússia fomos superiores ao adversário e só não ganhámos, ou pelo menos empatámos, por manifesta falta de sorte. E o Zenit é apenas e só a melhor equipa russa da actualidade.
    Quanto à crise, veremos o que é que os próximos jogos trazem. Certo certo é que a Liga dos Campeões é uma competição à parte.

    ResponderEliminar
  6. Claro que esta análise ao meu Benfica, foi muito melhor que a minha no meu blogue, mas também não interessa.
    O importante é que o meu BENFICA passou e agora é segurar o coração para o próximo embate, eheheheh.
    Beijo

    ResponderEliminar
  7. Meus caros (mais uma resposta colectiva):
    O Bruno Alves, se quer festinhas, tem que ficar em casa com a família.
    Ouvir uns "piropos" é normal e ele tem que estar preparado para isso.
    Todos os que escolhem esta profissão, aliás.
    O Ronaldo ouve todos os improprérios possíveis sempre que joga fora do Bernabéu.
    O que é que faz?
    Joga feito maluco e irrita quem o insulta.
    Depois, regra de elementar boa educação, não devemos insultar os outros se não queremos ser insultados.
    Se insultamos os outros na casa deles.....

    Gostava de ver o Benfica a dar pancada ao Apoel.
    Vingançazinha!!!

    Abreijos

    ResponderEliminar