29 de março de 2012

Poderá um atentado terrorista influenciar decisivamente o resultado de umas eleições?


Como todos sabemos, a França foi recentemente abalada pelo acto bárbaro de Mohammed Merah, o terrorista que assassinou  brutalmente três cidadãos franceses de ascendência judia.
Abalada pelo choque, pelo horror, a República francesa reagiu com um misto de indignação, revolta, incredulidade.
Nicolas Sarkozy, que fora eleito presidente ao apelidar de racaille (escória) os habitantes dos bidonville, poderá ter agora conseguido um impulso decisivo na sua campanha presidencial.
Involuntariamente dado pela barbárie.
Ao apressar-se a apelidar Mohammed Merah de monstro, Sarkozy viu a sua popularidade nas sondagens disparar.
E o que era dado como um dado adquirido, a vitória de François Hollande, é agora posto em causa.
Porque a opinião pública francesa, muito susceptível às questões da imigração e aculturação, que liga imediatamente aos problemas relacionados com o terrorismo, se sente protegida em tempos conturbados no colo da direita.
Não poderei afirmar que Sarkozy, conscientemente, tirou partido de uma situação de puro horror para conseguir dividendos políticos.
Até estou em crer que o não terá feito.
Mas parece já inegável que a barbárie lhe deu um forte empurrão nas suas ambições políticas.
Involuntário?
Decerto.
Decisivo?
Veremos.

9 comentários:

  1. Penso, Pedro, que Sarkózy descolou de François Hollande, de forma decisiva, após esta situação.

    Por outro lado, Sarkózy tem alguns Ministros de craveira mundial, como Allan Juppé (MNE), que também o ajuda de sobremaneira.

    Hollande seria um bom candidato, mas...a Europa, também, não o quer - faria muita sombra - principalmente, a Angela Merkel.

    Caríssimo amigo,
    quero desejar-lhe uma Santa e Feliz Páscoa para si e para as suas Orientais Princesas, vou estar off-air durante semana e meia - a ver se aguento - mas, provavelmente darei um pulo ao Facebook.
    Abraço

    ResponderEliminar
  2. O Sarkozy é outro traidor à causa europeia, no entanto é um bocado menos que os outros.

    Claro que como politico que é, ele vai-se aproveitar disto.

    No entanto, mesmo um mentiroso que ele é, há alguma verdade no que ele vai dizer: a imigração desenfreada está a destruir a França e a europa. Há culturas que não estão na europa para ajudar mas só para destruir.

    ResponderEliminar
  3. Ricardo,
    Mas foi este horror que ajudou Sarkozy.
    A equipa governativa já lá estava e ele ia ficando cada vez mais para trás nas sondagens.

    Tenha uma Santa Páscoa, junto da família, em paz, harmonia, sossego.
    E divirta-se muito!
    Forte abraço


    Lucas,
    O que é irónico é que, querendo atacar a cultura e os valores europeus, este monstro (adopto a expressão de Sarkozy) ajudou Sarkozy, o tipo que os quer ver fora da Europa.

    ResponderEliminar
  4. É tarde demais para a França. Agora é só uma questão de se esperar até que se saiba que um golpe de estado islâmico tomou conta do país.

    ResponderEliminar
  5. Prefiro o Sarkozy ao Hollande, como é óbvio, mas espero que desta vez o Sarkozy cumpra mesmo tudo aquilo que andou a prometer para conseguir roubar eleitores à Frente Nacional de Marine Le Pen.

    ResponderEliminar
  6. Pedro
    Cada dia que pasas me sinto mais desiludida com os politicos, diria mais assustada que mundo é este para o futuro dos meus netos.

    Beijinho e uma flor

    ResponderEliminar
  7. Parece-me óbvio o aproveitamento da situação por Sarkozy, Pedro e como bem diz, talvez o argelino tresloucado lhe valha a reeleição.
    Não posso deixar de estabelecer uma ligação ( talvez abusiva, mas eu sou muito mal intencionado...) com o aproveitamento do 11 de Setembro e a tentativa falhada de aproveitamento do 11 de Março em Espanha

    ResponderEliminar
  8. Pedro,
    Um acontecimento triste e lamentável. Quanto a Sarkozy, cada vez gosto menos dele e da sua prepotência e xenofobismo na suposta terra da liberdade.

    Beijinho! :)

    ResponderEliminar
  9. Lucas,
    Não chego a esses extremos.
    A civilização europeia é forte demais para cair perante estes selvagens.

    FireHead,
    Quanto mais problemas desta índole existirem, mais crecerá o sentimento nacionalista, xenófobo.
    Consequentemente, mais crescerá a simpatia à volta de movimentos extremistas como é o caso da Frente Nacional.

    Adélia,
    Infelizmente, um mundo perigoso.
    Não vale a pena mentir, não querer enfrentar a realidade.
    Beijinho

    Carlos,
    Não é nada abusivo, é muito real.
    Só não perecbe isso quem é ingénuo.

    ana,
    Mas, pelo andar da carruagem, vamos ter que o aturar mais uns anos.
    E são essa xenofobia e prepotência que se combinam para lhe valer a reeleição.
    Beijinho

    ResponderEliminar