21 de março de 2012

O LAÇO E O ABRAÇO (Mário Quintana)


Meu Deus! Como é engraçado!
Eu nunca tinha reparado como é curioso um laço...
uma fita dando voltas.
Enrosca-se, mas não se embola, vira, revira, circula e pronto: está dado o laço.
É assim que é o abraço: coração com coração, tudo isso cercado de braço.
É assim que é o laço: um abraço no presente, no cabelo, no vestido, em qualquer coisa onde o faço.
E quando puxo uma ponta, o que é que acontece? 
Vai escorregando...devagarzinho, desmancha, desfaz o abraço. Solta o presente, o cabelo, fica solto no vestido.
E, na fita, que curioso, não faltou nem um pedaço.
Ah! Então, é assim o amor, a amizade.
Tudo que é sentimento.
 Como um pedaço de fita.
Enrosca, segura um pouquinho, mas pode se desfazer a qualquer hora, deixando livre as duas bandas do laço.
Por isso é que se diz: laço afetivo, laço de amizade.
E quando alguém briga, então se diz: romperam-se os laços. 
E saem as duas partes, igual meus pedaços de fita, sem perder nenhum pedaço.
Então o amor e a amizade são isso...
Não prendem, não escravizam, não apertam, não sufocam.
Porque quando vira nó, já deixou de ser um laço!

5 comentários:

  1. Caro Pedro Coimbra
    Belo poema. Sabe? Acho que a divulgação deste e de outros poemas que tão bem definem sentimentos nobres, para que as novas gerações tenham vergonha quando usam termos do tipo "sentimentos,são euros". Incrível mas já ouvi isto (vezes demais).
    Abraço

    ResponderEliminar
  2. Caro confrade Pedro Coimbra!
    É sempre alvissareiro se deparar com poemas que nos permitem refletir sobre nosso modo de vida!!!
    Caloroso abraço! Saudações esperançosas!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Diadema-SP

    ResponderEliminar
  3. Rodrigo,
    O Rodrigo ouviu que sentimentos são euros.
    Aqui, são patacas.
    Tenho pena de quem pensa assim.
    São, e serão, uns tristes.
    Aquele abraço

    Caro Prof. João Paulo de Oliveira,
    Um poema muito apropriado para celebrar o Dia Mundial da Poesia, não é?
    Aquele abraço

    ResponderEliminar
  4. Magnífico abraço que tanto se deseja.
    Nem sempre o abraço transporta esta magia que o poeta lhe atribui.

    Hoje dão-se abraços frios, vazios de sentimentos.

    É urgente reeinventar o amor.

    ResponderEliminar
  5. Mas o abraço é sempre importante, Luís.
    Um alimento da alma indispensável.

    ResponderEliminar