13 de março de 2012

MUST de transparência


A Universidade de Ciência e Tecnologia, MUST na sigla inglesa, que sempre dá à instituição uma aura mais cosmopolita e internacional, recebeu mais de vinte milhões de patacas de subsidídios do Fundo para o Desenvolvimento das Ciências e Tecnologia (devem ter algum grau de parentesco.....) no ano passado.
Foi até a instituição de ensino mais generosamente subsidiada por aquele Fundo.
Este facto não chega sequer a ser notícia.
A MUST é, muito mais que uma instituição de ensino superior, um sorvedouro de dinheiro.
Sobretudo de dinheiros públicos.
Recebe dinheiro do Governo, da Fundação Macau, do Fundo para o Desenvolvimento das Ciências e Tecnologia, do "fundo para a protecção dos esquimós e afins"......... enfim, de todos os fundos e fundações possíveis e imaginários.
Isto, não o esqueçamos, depois de ter recebido terrenos e instalações de valor incalculável numa das zonas mais nobres e mais caras de Macau.
Que depois arrenda a quem lhos deu!!
Somem-se ainda, obviamente, as propinas dos estudantes, e somos obrigados a pensar em valores astronómicos, virtualmente incalculáveis.
E que permanecem, na sua exacta medida, no segredo dos deuses.
E só de alguns "deuses".
Com toda a falta de pudor e vergonha, a que se soma toda a impunidade, a MUST é uma instituição que passa totalmente ao lado do conceito de transparência no que concerne ao seu funcionamento e financiamento.
E assim continuará a ser por muito tempo, já todos o percebemos.
Com franqueza, dá vontade de dizer que a possibilidade de se  ver uma MUST transparente é directamente proporcional à possibilidade de  se encontar um corvo branco!!

8 comentários:

  1. Mais nada! Na mouche, como sempre...

    ResponderEliminar
  2. Sem dar hipóteses, não é?! :))
    Que falta de vergonha a daquela gentinha!

    ResponderEliminar
  3. Estas situações repetem-se por todo este mundo. Há sempre alguém que as aproveita e as explora em proveito próprio.
    Aqui chamam-lhes Fundações público-privadas.

    ResponderEliminar
  4. Luís,
    Neste caso, o despudor é gritante e revoltante.
    Como bem dizia uma conhecida personalidade da sociedade de Macau - "até na merda é preciso ter dignidade, caramba!!"
    Aquele abraço

    ResponderEliminar
  5. É uma vergonha o que acontece debaixo do nosso nariz...
    é como escreveu o Luís Coelho, eles sabem dar a volta a tudo, sempre em proveito deles mesmos...
    Enfim.

    Tenho menos tempo no computador, por 2 motivos:
    os 2 por ordem médica,
    um é o problema que tenho nos olhos e devo evitar muitas horas de exposição ao computador;

    o outro também é por ordem médica, o sedentarismo que me causa obesidade...

    Daí que agora aos fins de semana, que eu passava inumeras horas na net, só posso cá vir 2 horinhas ao sábado e outras 2 ao domingo, no máximo do que é permitido.

    Então este sábado que passou já me ocupei de outras actividades fora de casa - fui a SINES e surpreendi-me com o que vi e visitei.

    Estive presente na inauguração de uma EXPOSIÇÃO COLECTIVA - no sábado passado - dia 10 MARÇO - onde o meu grande AMIGO JOSÉ ALEX GANDUM está presente com dezenas de fotos de sua autoria que passam num monitor - tive o prazer de o fotografar junto aos seus trabalhos

    Boa semana.

    ResponderEliminar
  6. É caso para dizer que, em questão de transparência, não faz jus ao nome...

    ResponderEliminar
  7. Oportunismo, esploração! Gentinha de Mer..!
    sem escrúpulos, est mundo está todo lixado.

    Beijinho e uma flor

    ResponderEliminar
  8. tulipa,
    O lado positivo de todas as questões.
    Que existe (quase) sempre.
    Fica com menos tempo à frente do computador; fica com mais tempo para outras actividades.
    Bjs e boa semana

    Carlos,
    Este estabelecimento de ensino (Universidade é outra coisa) está ligado a gentinha muito importante.
    Não se dão estas prebendas a qualquer um, obviamente.
    Mas, pergunto eu que sou um chato curioso, era preciso ser TÃO descarado?
    Aquele abraço

    Cada vez é maior o número de pessoas sem vergonha, sem escrúpulos, Adélia.
    Ser chico-esperto desavergonhado parece que passou a ser uma qualidade.
    Beijinho e calma que melhores dias virão

    ResponderEliminar