28 de março de 2012

Muito complicado para uns, no papo para outros

Os jogos de ontem deixaram o Benfica com um pé fora da Liga dos Campeões e o Real Madrid com os dois bem assentes nas meias-finais da mesma competição.



No Estádio da Luz, e depois da derrota (0-1) frente ao Chelsea, o Benfica hipotecou seriamente a possibilidade de chegar às meias-finais da Champions.
A defender a honra das equipas britânicas nesta fase das competições europeias, o Chelsea 2011/2012, versão futebolística de Dr. Jekyll and Mr. Hyde, está muito perto de chegar à meias-finais da Champions num ano particularmente complicado para os "blues".
No futebol actual já não há segredos.
Exactamente por não haver segredos, o Chelsea, equipa experiente, matreira, sabidona, explorou indecentemente as maiores fragilidades da equipa do Benfica.
A indisfarçável falta de qualidade de Emerson, e o completo divórcio com as bancadas que faz tremer ainda mais o jogador, acima de todos.
Mas também a perda de gás de Witsel e a infinita teimosia de Jorge Jesus.
Ter um jogador como Capdevilla no plantel, também ele muito experiente, e teimar num jogador tecnicamente fraco, mentalmente debilitado, sem qualquer confiança, própria ou vinda de fora, é pôr-se a jeito para ser ferido por uma equipa recheada de craques com "calo no cu".
O Chelsea massacrou o lado esquerdo da defesa do Benfica.
E por lá nasceu o golo que dá vantagem aos ingleses na eliminatória.
No fim do jogo, dando sequência ao discurso monocórdico que o vem caracterizando, lá veio Jorge Jesus falar da falta de sorte, do árbitro e da "penalidade", afirmar que Emerson até fez um bom jogo.
O Benfica pode ir ganhar a Londres?
Pode.
Mas, convenhamos,  é muito, mas mesmo muito!, complicado.
Até porque vai ter pela frente aquela que é, muito provavelmente, a equipa mais sabida e mais matreira da Europa.
Que só tem a Champions para "lavar a face" numa época horrorosa.
E, se Jorge Jesus insistir na sua infinita teimosia e no seu dicurso patético, o Benfica pode começar a voltar atenções para outras competições.




Quem também já pode voltar a atenção para outras competições, mas neste caso porque está apurado, é o Real Madrid.
Num jogo com muitos portugueses (Fábio Coentrão, Pepe e Cristiano Ronaldo foram titulares no Real, e Ricardo Carvalho ficou de fora; Paulo Jorge, Nuno Pinto e Hélio Pinto foram titulares no Apoel e Hélder Sousa entrou no início da segunda parte) o Real jogou q.b. para golear os débeis cipriotas (0-3).
Como é que esta equipa cipriota chegou a esta fase é que é um mistério.
Por aqui ficará , mas com grandes memórias.
Voltando ao Real, quase a jogar a passo, em ritmo de treino, os comandados de José Mourinho marcaram três golos (dois de Benzema e um de Kaká) e podiam ter marcado mais.
Mais do que suficiente para selar um apuramento desejado, para dar tranquilidade e repouso aos madrilistas, para tornar mais próximo o sonho de Mourinho - ganhar a Liga espanhola, ganhar a Champions e partir para Inglaterra em glória.

6 comentários:

  1. Pedro,

    em primeiro lugar, o JJ adora jogar com ...10 jogadores, por isso, e só assim se compreende que o Emerson seja o escolhido para a lateral direita.

    O resultado justo seria o empate ou, e sem ponta de chauvinismo, a vitória do SL Benfica, isto porque antes Cech foi a figura do encontro e, pasme-se, o arbitro que perdoou uma mão "clara" de John Terry na sua área aquando do cruzamento de Maxi Pereira.

    Pergunto-me, e pergunto-lhe, que fazem aquelas múmias que se convencionou chamar árbitros auxiliares e de baliza????
    Ah, já sei a resposta...são mais uns para "m.m.rem" a custa das tetas da UEFA!!!

    Abraço, Pedro, isto hoje...não está fácil, só o Barça me poderá dar uma alegria ao vencer em San Siro!!! :DDD

    ResponderEliminar
  2. Acompanho o FireHead, Ricardo.
    Duplamente.
    A chamar "mais teimoso que uma mula" ao Jorge Jesus.
    E a defender a introdução de novas tecnologias no auxílio aos árbitros.
    Que é que tem medo disso?

    Está complicado.
    Muito complicado.
    Mas não está perdido.

    O jogo de San Siro é daqueles que são a razão de ser da Liga dos Campeões.
    Aposto no Barça.

    Aquele abraço

    ResponderEliminar
  3. Por acaso eu estou a torcer pelo Milan. Quanto ao Benfica, recuso-me a atirar a toalha ao chão. O Benfica pode perfeitamente ganhar em Londres e quem sabe se não venha a ter a sorte que o Chelsea teve ontem. Mas o mais importante mesmo é vencer agora o Braga.

    ResponderEliminar
  4. Temos mais 90 minutos! É acreditar! É o que nos resta :) Mas até ao lavar dos cestos é vindima por isso...

    ResponderEliminar
  5. Curioso, o facto de o SLB ser a única equipa sem jogadores portugueses...

    ResponderEliminar
  6. FireHead,
    Atirar a toalha ao chão ao intervalo?
    Claro que não.
    Mas que é MUUUUITO complicado, lá isso é.
    Impossível?
    Claro que não!!

    Catarina,
    Ë isso.
    Está no intervalo.
    Vamos ver.....

    Carlos,
    Lembra-se do Zé Viana e Zé Cacilheiro (lemrei-o, com o Rodrigo, ontem e anteontem)?
    "Outros tempos, outra gente, outra alegria."

    ResponderEliminar