17 de novembro de 2016

Intemporais (52)

12 comentários:

  1. Há quem diga que o Leonard Cohen é que merecia o Nobel, porque ele é que é o verdadeiro POETA.

    Dizem também que ele levou 7 anos a compor Halleluja. Uma verdadeira obra-prima musical.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hoje tinha que haver aqui uma homenagem ao bardo canadiano, Teresa.
      E esta versão de Rufus Wainwright é muito boa.

      Eliminar
    2. Quando da sua morte, a TV apresentou um programa sobre o Leonard Cohen e gostei muito de o ouvir cantar esta canção.

      Confesso que nunca tinha ouvido o Rufus Wainwright.

      Eliminar
    3. O sentimento que Cohen conseguia transmitir é irrepetivel, Teresa.
      Esta versão está muito bem conseguida.
      Mas não é, longe disso, Cohen.

      Eliminar
  2. Adoro Hallelujah, mas não necessariamente esta versão. Prefiro a interpretação de Il Divo ou dos Celtic Thunder; mais até do que a de Leonard Cohen.

    Afinal Bob Dylan sempre escrever uma carta a informar que não vai comparecer à cerimónio da entrega do Prémio Nobel. Não me surpreende. Nunca pensei que fosse.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu gosto muito desta versão, Catarina
      Já da atitude de Dylan não gosto nada.

      Eliminar
  3. Uma versão de muitas desta música de Cohen. Gostei imenso!

    Beijocas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gosto de Rufus Wainwright.
      Gosto especialmente desta versão muito bem conseguida.
      Beijocas

      Eliminar
  4. Muito bom (sem superar o mestre), Pedro.

    Aquele abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O original é um hino, Ricardo.
      Um dos (muitos) grandes momentos de Leonard Cohen.
      Aquele abraço

      Eliminar
  5. Gosto do tema. Já desta versão ... nim.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu gosto da versão de Rufus Wainwright, António.
      Não tem o carácter do original mas está muito bem esgalhada.

      Eliminar