18 de fevereiro de 2016

Macau - entre a Las Vegas ou o Mónaco do Oriente


Macau vem sendo referida frequentemente como a Las Vegas do Oriente.
Reflexo directo da dependência praticamente exclusiva da cidade dos proveitos que recebe de apenas um sector económico - o Jogo, obviamente.
Se esta premissa é verdadeira, na busca de uma nova identidade, num tempo novo pós transição de poderes, Macau balança entre os Estados Unidos (Las Vegas) e a Europa (Mónaco) .
Os mega resorts, existentes e a construir, associados à exploração de jogos de fortuna e azar, são uma clara manifestação da influência do modelo americano.
No entanto, aqui e ali, vão aparecendo alguns sinais de sedução ligados ao modelo monegasco.
O último dos quais o Festival de Cinema a ter lugar em Dezembro.
Macau não se volta para a produção e realização de filmes, para as tão faladas indústrias criativas, antes se deixa seduzir pelo charme e o glamour da passadeira vermelha, o brilho das grandes estrelas que pretende atrair.
Entre o Jogo, puro e duro, e outras actividades que as receitas geradas permitem alimentar; entre o brilho das luzes de Las Vegas e o brilho das estrelas do Mónaco; Macau, cidade centenária, procura reinventar-se no presente e modelar o futuro.

26 comentários:

  1. O “gambling” é muito mais importante que ter uma biblioteca central. : )

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A biblioteca central está prometida para o centro da cidade (edifício do antigo tribunal), Catarina.
      Mas tarda em ser realidade.

      Eliminar
  2. Grandes transformações que se vão impondo e onde permanece o sonho da fortuna. Retrato das grandes capitais na actualidade.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Macau vive do Jogo, Luis.
      É assim e não há volta a dar-lhe.
      Resta saber o que é que se pretende fazer da cidade, e na cidade, com o muito dinheiro que o Jogo gera.
      E aí Macau balança entre Las Vegas e o Mónaco.

      Eliminar
  3. Gosto muito de ler as suas análises sobre Macau. É um privilégio ir sabendo em primeira-mão o que acontece nu local tão distante.

    Um beijinho, Pedro, e obrigada pela partilha

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Neste momento, com tantas transformações e tantas obras a decorrer ao mesmo tempo, a cidade está algo desarrumada, Miss Smile.
      Mas, quando tudo estiver terminado, acredito que seja outra vez muito bonita.
      Uma beleza diferente da de outrora embora ainda se mantenham muitos traços de uma tradição centenária (por erro, que já corrigi, tinha escrito milenar)
      Beijinhos

      Eliminar
  4. Aqui está um sítio onde adoraria ir. Já corri meio mundo e nunca se proporcionou uma ida a Macau com grande pena minha.
    Quem sabe um dia faço este gostinho a mim própria e lá vou.

    Deve ser lindo ...

    Bom resto de semana

    Beijinhos da Gota

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gota,
      Se se concretizar o projecto de retomar voos directos para aqui a partir de Portugal, em regime de code sharing com companhias aéreas chinesas, será um boa oportunidade.
      Beijinhos, bom resto de semana

      Eliminar
  5. Que atracção incrível têm no Oriente pelo jogos !!!...

    Nunca estive nem tenho vontade de estar em Las Vegas, mas gosto muito da beleza natural da costa mediterrânica onde o Mónaco se situa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um vicio tremendo, São!
      Os funcionários públicos, categoria na qual me incluo, estão proibidos não só de jogar como de frequentar as zonas de jogos de fortuna e azar.
      Apenas o podem fazer nos três primeiros dias do Ano Novo Lunar.
      Dispenso, muito obrigado.
      Os espaços ligados ao Jogo só me atraem pela grande variedade e qualidade da oferta gastronómica, por algum retalho, por alguns espectáculos que aqui atraem.

      Eliminar
  6. Apostar no jogo em detrimento do bem estar do povo.
    No final da frase, o que devo colocar? Um ponto de interrogação ou um de exclamação?

    Abraço, Pedro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que tal os dois, António?!
      O Jogo não é um mal em si mesmo e permite um nível de vida bom, uma taxa de desemprego que é na realidade zero (o pouco desemprego que há é estrutural, pessoas não empregáveis, e não conjuntural) .
      Mas há ainda grandes desiquilibrios a combater, muito mais que se pode fazer o todos os níveis para dar um bem - estar mais generalizado à população.
      Até porque há dinheiro para isso.
      Aquele abraço

      Eliminar
  7. Pedro, prefiro o modelo monegasco, mas isto sou eu que não entendo nada de dinheiro. ;)

    Aquele abraço.

    P.S. - Por cá está a nevar, imagine-se!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Preferimos, Ricrdo, plural.
      O brilho das luzes de Las Vegas não me diz grande coisa.

      Já um nevão na Madeira, do qual vi imagens no Facebook do Francisco, é de uma beleza extraordinária!

      Aquele abraço

      Eliminar
  8. Não vou a Macau há sete anos, mas sempre me pareceu mais Las Vegas do que Mónaco. Será que um festuval de cinema mudará o panorama, Pedro?
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O modelo era Las vegas, Carlos.
      Até por causa dos operadores que aqui entraram.
      Nos últimos anos sente-se uma aposta mais voltado para o entretenimento.
      Aposta a que não é alheio, longe disso!, o apertar da torneira na China e os constantes recados do Governo Central.
      Aquele abraço

      Eliminar
  9. Há largos anos falava-se por aqui muito do Stanley Ho. Creio que a ele muito deve Macau pelo seu crescimento e reconhecimento internacional. Hoje, com 94 anos , creio que já esteja "afastado" da actividade ligada ao jogo . Será assim, Pedro ?...
    Uma nova e mais vasta geração ? ...

    Abraço !

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Stanley Ho há alguns anos que está afastado de tudo, Rui.
      Nem sabe bem como estará neste momento.
      Já há alguns anos caiu, bateu com a nuca no chão, esteve um bom tempo com prognóstico reservado.
      Depois disso contam-se pelos dedos de uma mão, e devem sobrar dedos, as vezes que apareceu em público.
      Em cadeira de rodas, extremamente debilitado, metia impressão.
      Abraço

      Eliminar
  10. ~~~
    Que venham
    dias mais culturais para todos, em Macau.
    ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

    ~~~ Beijinhos. ~~~
    ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Majo,
      As autoridades chineses batem a tecla da diversificação da economia constantemente.
      Há alguns sinais de uma aposta mais forte no entretenimento.
      Vamos ter mais certezas quando forem renegociados os contratos de concessão.
      Beijinhos

      Eliminar
  11. O Jogo não só não me atrai como mete um certo medo...
    Detesto depências e a ideia de se poder perder o controlo é muito assustadora.
    bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os dramas associados à compulsão pelo Jogo são imensos.
      E assustadores.
      Não gosto, nunca gostei, de jogar.
      Não faz o meu género.
      Bjs

      Eliminar
  12. Tem graça, muitas vezes ao ver fotografias de Macau e las Vegas não consigo distinguir um sítio do outro.
    Kis :=)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O modelo que tem sido seguido é Las Vegas.
      Até com cópias exactas do que por lá há - Venetian, Parisian, Wynn.
      Bjs

      Eliminar
  13. Enquanto houver jogadores ...
    Não seria bom diversificar a economia?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A China bate a tecla dessa necessidade constantemente, Agostinho.
      Entra por um ouvido, sai pelo outro em grande velocidade.

      Eliminar