24 de fevereiro de 2011

Alentejano a 180 km/h


Dois GNR na berma de uma estrada no distrito de Beja vêem passar um carro a mais de 180 km/h.

Diz um para o outro:

"Aquele não é o gajo a quem apreendemos a carta a semana passada por excesso de velocidade?"

"Era pois." - Respondeu o segundo.

"Vamos caçá-lo!"

Uns Kms mais adiante já com o carro parado, um dos GNR chega-se ao pé dele e pergunta-lhe:

"A sua Carta de Condução?...."

"Mau!" - Responde o alentejano. -

"Perderam-na??!!!"

8 comentários:

  1. Pedro
    Boa anedota.
    Mas por que raio o homem tinha que ser alentejano?
    Um dia estava a jantar como um amigo em Coimbra e numa mesa ao lado estava um grupo de 3 ou 4 Lisboetas a contar anedotas sobre Alentejanos.
    O proprietário (que não era Alentejano)à bouca pequena lá nos ia dizendo: "eu já os lixo".
    No fim de receber a conta por "precaução" perguntou. Os amigos são de Lisboa? Claro foi a resposta. Então digam-me uma coisa. Porque é que há tanto policia Alentejano em Lisboa?
    Depois de várias tentativas de explicação e não acertando em nenhuma. O homem do Restaurante lá lhe deu a resposta. Nada disso, os alentejanos estavam era habituados a lidar com porcos! A reacção inicial foi de gargalhada, até que se aperceberam do sentido da resposta e pela reacção não gostaram...

    ResponderEliminar
  2. Os Alentejanos são pau para todas as anedotas, mas também sabem rispotar, vejamos esta:
    Dols Alentejanos vão a Lisboa e fartos de andar e cheios de sede, viram um polícia e perguntaram onde havia uma taberna para beberem uns copos.
    O agente lhes disse que indo pela rua abaixo encontrariam alguns bares, ali serviam bebidas, e lá seguiram, até encontrarem um bar.
    Ao entrarem, falavam alto dizendo que as tabernas de Lisboa eram diferente, o tipo do bar, um alfacinha, viu logo que eram alentejanos e disse "filhos da puta dos Alentejanos", estes, com os ouvidos bem apurados ouviram, mas nada disseram.
    Chegaram perto do balcão e deram as boas tardes ao tipo do bar, ao mesmo tempo que indigavam se tinha vinho para cabrões, o tipo do bar respondeu afirmativamente.
    Os Alentejanos então pediram duas cervejas para a gente e um copo de vinho para o senhor!...

    ResponderEliminar
  3. Pedro
    No dia em que morreu Manuel da Fonseca (um alentejano de gema)eu estava a viajar em trabalho. Tinha o meu rádio na TSF. Em jeito de homenagem passaram a gravação duma anedota sobre Alentejanos contada tempos antes pelo próprio, aos microfones da mesma rádio.
    Apesar de me custar muito a morte de mais um vulto da nossa cultura e por isso ficar triste, na verdade andei todo o dia a rir. Ainda hoje assim meio aldrabada conto essa anedota de vez em quando.
    Abraço

    ResponderEliminar
  4. Os alentejanos, como o amigo Cambeta sabe, são os melhores contadores de anedotas sobre alentejanos.
    Maior parte das que conheço, foram-me contadas por alentejanos.
    Gente boa, rija, direita.
    E com sentido de humor.
    Rodrigo,
    A anedota que contou fez-me lembrar do meu falecido Padrinho.
    Numa visita a uma quinta, juntamente com outras pessoas que conhecia, quando viu um montão de macãs lá a um canto, perguntou ao proprietário se podia tirar uma.
    Resposta?
    Tire à vontade! Isso está aí mesmo para dar aos porcos! :))

    ResponderEliminar
  5. Esquecia um pormenor - esta anedota foi enviada por uma amiga.
    Casada com um ......isso mesmo, alentejano!!!

    ResponderEliminar
  6. Pedro
    O que eu contei não foi anedota, passou-se mesmo. Restaurante o "Bacalhau" Adémia-Coimbra, para aí em 1987/1989.
    Abraço

    ResponderEliminar