26 de setembro de 2018

NIMBY (Not In My BackYard)



A expressão NIMBY significa Not In My BackYard e é uma criação do genial George Carlin.
Com esta expressão George Carlin chamava a atenção para o egoísmo das pessoas que por tudo protestam mas em nada se dispõem a ajudar.
Se George Carlin fosse vivo, e vivesse uns dias em Macau, perceberia que, também por aqui, o fenómeno NIMBY se verifica muitas vezes.
Basta lembrar os recentes episódios com o depósito de matérias perigosas e com os galgos do Canídromo.
As matérias perigosas, os resíduos, não podem ser enviados para fora de Macau, não podem ficar a céu aberto, nas ruas, têm que ser armazenados em condições de segurança.
Até aqui todos de acordo, mas NIMBY (Not In My BackYard).
O mesmo com os galgos que ainda permanecem nas instalações do Canídromo.
Não podem ali ficar, têm que sair, tem que se desocupar o espaço, tem que se deixar os animais em boas condições de higiene e em segurança.
Mas NIMBY (Not in My Backyard).
A vida em sociedade exige-nos alguns sacrifícios, exige que abdiquemos de um pouco do nosso bem-estar pessoal a favor do bem-estar comum.
Gostaria de ter materiais perigosos armazenados ao lado de minha casa?
Não, obviamente que não.
Dezenas de animais a viver ao lado de minha casa?
Pois, provavelmente também não.
Mas tenho que perceber que um dos grandes problemas de Macau é a falta de espaço e que se calhar terei que fazer alguns sacrifícios pessoais para que o bem comum seja protegido.
George Carlin colocou a questão há muitos anos nos Estados Unidos.
Eu trago-a agora para Macau – vamos tentar moderar a mentalidade NIMBY, está bem?

36 comentários:

  1. Se para os dois exemplos que o Pedro Coimbra cita não vejo de imediato saída, diga-me, por favor, o que se pode fazer para minorar esse problema.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu sei o que faria, João Menéres.
      Às vezes é preciso tomar decisões.
      Que não vão agradar a todos, é muito difícil que assim seja, mas que têm que ser tomadas e implementadas.
      Com avanços e recuos não saímos do mesmo sítio.

      Eliminar
  2. E será que mudam as mentalidades às pessoas? kkkk:))

    Bjos
    Votos de uma óptima Quarta - Feira

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mudar as mentalidades demora muito tempo, Larissa santos.
      É bem mais rápido e bem mais fácil assumir e implementar as decisões que se toma.
      Bjs, votos de uma óptima quarta-feira

      Eliminar
  3. Se em vez protestar tentassem unir-se para arranjar soluções talvez fosse mais proveitoso...

    Isabel Sá
    Brilhos da Moda

    ResponderEliminar
  4. Infelizmente, essa mentalidade de cada um por si está muito difundida e está a ser passada , através de concursos, às crianças....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Devia ser ao contrário, São.
      Quando é que vamos perceber isso?

      Eliminar
  5. Macau luta realmente com falta de espaço o que obriga a fazer cedências e a pôr os egoísmos de parte.
    Um abraço e continuação de uma boa semana.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    O prazer dos livros

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas há muito boa gente que não entende isso, Francisco.
      E quem tem poder para fazer entender não o exerce.
      Assim é complicado.
      Aquele abraço

      Eliminar
  6. Bom dia! É do tipo safe-se quem puder!

    Beijos e um excelente dia ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cada vez mais, Cidália Ferreira.
      E um pouco por toda a parte.
      Beijos

      Eliminar
  7. Esta expressão faz-me lembrar o BE em Portugal. sempre a reclamar, mas fazer... está quieto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Culpa de quem começou a incentivar as pessoas a fazerem queixas por tudo e por nada.
      É isso mesmo que têm feito.

      Eliminar
  8. Coisa do ser humano que não tem visão das coisa boas, obrigado pela visita.
    Blog: https://arrasandonobatomvermelho.blogspot.com/
    Canal:https://www.youtube.com/watch?v=DmO8csZDARM

    ResponderEliminar
  9. Moderar? Hum, acho que tende sim é a piorar.
    Beijinho.

    ResponderEliminar
  10. As gerações mais novas tem cada vez mais consciência ecológica.
    Os meus filhos por exemplo nunca viveram num mundo sem reciclagem ou sem preocupações ambientais. Para eles separar lixo é tão natural que devem achar que sempre foi assim.
    O que "é de todos" tem mesmo de ser dividido e as responsabilidades/ problemas/ vantagens também cabem nessa divisão.
    Concordo que há que tomar decisões, mesmo que se saia politicamente em desvantagem. Assumir uma responsabilidade às vezes implica remar contra a maré.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O problema é tomar uma decisão para recuar assim que uma voz contrária se levanta, Boop.
      Vai sempre haver vozes contrárias às decisões que se tomam.
      Porque é impossível agradar a todos o tempo todo, tão simples como isso.
      E governar é isso mesmo - decidir procurando sempre o bem comum.

      Eliminar
  11. George CARLIN se fosse vivo sofria muitíssimo com a situação actual dos Estados Unidos.

    Saudações outonais ainda de Düsseldorf 🌰

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ver a Assembleia Geral das Nações Unidas rir à gargalhada por causa daquele palhaço é penoso, Teresa.
      Difícil descer mais.

      Eliminar
  12. Uma das principais características do ser humano é essa: importar-se consigo, o resto não interessa...Por isso é que o pobre planetinha e seus habitantes estão assim...
    Beijo, Pedro.

    ResponderEliminar
  13. Uma vez assisti uma esquete de George Carlin. Interessante o texto. O Planeta Alternativo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. George Carlin era um génio, Walterlan A. Segundo.
      Vale a pena procurar ouvir as muitas charges de stand-up comedy dele.

      Eliminar
  14. O egocentrismo ainda é muito comum entre adultos... O que é uma sentença terrível para o nosso Planeta e, ironicamente, para todos nós, incluindo os egocêntricos!
    Não estava a par dessa situação em Macau...
    Obrigada pela partilha
    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. São dois casos, Quase Cinderela.
      Que parece não terem fim.
      Porque a cada passo em frente que se dá, imediatamente são dados dois para trás.
      Um abraço

      Eliminar
  15. Na hora que li "pessoas que por tudo protestam mas em nada se dispõem a ajudar" lembrei da atual situação do Brasil. Ainda mais agora que faltando poucos dias para as eleições para a escolha do presidente. As pessoas fazem protesto por tudo mas não se ajudam..


    It's Lizzie | Facebook | Instagram

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma incógnita o resultado dessas eleições, Lizzie.
      E, infelizmente, o panorama não nos tranquiliza nada.

      Eliminar
  16. Em teoria tudo parece fácil e de louvável abnegação, mas Carlin não disse isso à toa. Como seres humanos que somos, sabemos que na prática tudo fica mais difícil. Como o Pedro diz, e bem, há que tentar contrariar essa tendência, começando por nós!!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Carlin não dizia nada por acaso, Janita.
      Com muito humor, verrinoso, fazia análises sociológicas excelentes.
      Beijinhos

      Eliminar
  17. Não sei como são os outros povos mas por cá a mentalidade portuguesa é muito esta. "O melhor para mim o meu vizinho que se lixe"
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se calhar o ser humano é assim, Elvira Carvalho.
      Pode ser que vá mudando...
      Abraço

      Eliminar
  18. Difícil imaginar uma solução a nível planetário, quando eu vivo num lugar pequeno e existem problemas porque as pessoas não querem os contentores do lixo perto das suas casas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não querem os contentores mas não querem o lixo na rua, Magui.
      Qual é a solução?
      Oferecer o lixo a outros??

      Eliminar