19 de abril de 2018

Presidente da Assembleia da República diz que deputados das Ilhas não infringiram nenhuma lei


Eduardo Ferro Rodrigues, Presidente da Assembleia da República, afirmou que “(…) os deputados da Ilhas não infringiram nenhuma lei nem nenhum princípio ético, nem nesta nem em qualquer legislatura".
A afirmação surge na sequência de uma notícia do jornal Expresso na qual era dada a conhecer uma situação de hipotética duplicação de subsídios de deslocação e/ou recebimento de verbas (500 euros) quando não havia sequer deslocações que justificassem as mesmas.
As afirmações do Presidente da Assembleia da República, segunda figura na hierarquia do Estado, são infelizes e reflectem uma visão corporativista do problema de todo desajustada e altamente criticável.
Acredito que haverá base legal para a atribuição destas verbas.
Mas é pelo menos seriamente duvidoso que seja legal tal abono se e quando não há deslocações.
Muito diferente é a dimensão ética desta problemática.
Subsídios de deslocação de 500 euros, uma verba substancial para a realidade da economia portuguesa, e superior aos salários ou pensões de reforma de muitas pessoas, é algo eticamente reprovável.
Não se trata de populismo, de demagogia, de ataque partidário, porque esta realidade parece ser transversal, atravessar todo, ou quase todo, o espectro partidário com representação parlamentar em Portugal.
Eduardo Ferro Rodrigues, com as afirmações agora dadas a conhecer, dá a ideia que vestiu a camisola do seu clube e defendeu intransigentemente o mesmo.
O problema é que, com estas afirmações, apareceu aos olhos do público como um qualquer adepto fanático, daqueles que se recusam a ver o óbvio.
Não é grave num qualquer adepto fanático, é muito grave se o adepto fanático é o Presidente da Assembleia da República a querer cegamente justificar o injustificável.

54 comentários:

  1. Parece que os membros do governo podem tudo...é lamentável.

    Isabel Sá
    Brilhos da Moda

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Neste caso são deputados, não são membros do Governo, Isabel Sá

      Eliminar
  2. Ferro Rodrigues precisa que lhe expliquem o significado da palavra reembolso. Basta pegar num dicionário para ver.
    Reembolso - ato ou efeito de reembolsar.
    Logo só há reembolso se se pagou algo indevidamente. Os deputados recebem subsídio de deslocação. logo as viagens já estão pagas com esse subsídio.
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É um insulto para quem tem que viver e sustentar famílias com valores mensais inferiores aos que são pagos, muitas vezes pelos vistos indevidamente, a quem devia ser um exemplo positivo, Elvira Carvalho.
      Abraço

      Eliminar
  3. No fundo ( bem lá no fundo ), não estará o nome do presidente desse partido ?...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Essa criatura não tem um pingo de vergonha na cara.
      Nunca mais se põe fim a essa mania horrível de pensar que "roubar ao estado não é roubar".
      É roubar toda a gente, porra!

      Eliminar
  4. Infelizmente ele vestiu mesmo a camisola do seu "clube".
    Um abraço e continuação de uma boa semana.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    O prazer dos livros

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas um Presidente da Assembleia da República não pode fazer isso, Francisco.
      É ofensivo.
      Aquele abraço

      Eliminar
  5. Nem sei que diga. No meio disto tudo quem se lixa é o pobre.

    Hoje:- O que a alma quer dizer.

    Bjos
    Votos de uma Óptima Quinta-feira

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas é mesmo, Larissa santos.
      O dinheiro que esta gente esbanja de onde vem?
      Dos impostos que todos pagam.
      Bjs, votos de uma óptima quinta-feira

      Eliminar
  6. É gravíssimo quando a segunda figura do Estado português confunde, ou nos tenta confundir, com as diferenças entre "Legalidade" e "Ética" ! :(((
    Gravíssimo, até porque isso reflecte da sua parte uma total desvalorização e desprezo do conceito ético na política !
    Ele aceita e propaga que a política e os políticos estão acima da ética ! Essa, não interessa !!!
    E é por estas e por outras que a política e os políticos saem cada vez mais desprestigiados. Fazem-nos aceitar que são uma verdadeira corja de desonestos interesseiros ! :((
    E não há aqui "clubes", claro. O mal é generalizado e "os culpados" são os adeptos partidários que alimentam todo este estado de coisas. :(( ... "Comam e calem-se" e venham cá deixar o V/ voto nas próximas eleições, porque cada um dos V/s votos representa uns largos euros a entrarem na conta do meu partido ! Ah! e não se esqueçam que o Voto é um dever patriótico !!! Nunca deixem de votar e não se esqueçam que temos toda uma máquina a quem temos que pagar e bem, além de lhes termos que arranjar empregos bem "chorudos" !
    Isto é simplesmente revoltante, porque nojento !!!

    Abraço, Pedro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Onde é que eu assino, Rui?
      Parece que fazem de nós estúpidos.
      Haja pelo menos decência, caramba.
      Aquele abraço

      Eliminar
  7. Como bem diz , infelizmente com razão, os políticos - independentemente dos partidos a que pertencem - têm comportamentos que, mesmo sendo legais, são muito pouco éticos.

    Sempre afirmei que o maior problema de Portugal não é ser pobre, mas sim não ter organização e estar à mercê de chicos-espertos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Indecentes, São, são comportamentos indecentes.
      Isto é gozar com quem passa mais dificuldades, caramba.

      Eliminar
  8. ignorance is ruling on important seats indeed

    ResponderEliminar
  9. Estes deputados.... Nem tenho palavras sinceramente!
    Beijinhos,
    https://chicana.blogs.sapo.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu não posso escrever tudo o que penso e sinto que não quero cair na vulgaridade, Ana.
      Beijinhos

      Eliminar
  10. Ele deve pertencer ao partido
    socialista e tudo me leva a crer
    que esse caras que o elegerem, cer-
    tamente por unanimidade, são todos
    farinha do mesmo saco, como vovò
    costuma dizer. Portanto, meu amigo,
    Lava Jato português, neles...(risos)

    Um abração, Pedrão.

    silvioafonso




    .

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Infelizmente não é o Partido A ou B, silvioafonso.
      A falta de vergonha é uma característica comum a todos ou quase todos.
      Aquele abraço!

      Eliminar
  11. Eu, apesar de nunca ter sido político, recebi inúmeras vezes subsídio de deslocação mais os custos das viagens e de alojamento. Isto é o tratamento que se dá aos trabalhadores das empresas privadas.
    Usualmente, o subsídio de deslocação não é atribuído à deslocação (viagem), mas antes ao período em que a pessoa está deslocada do seu local habitual de trabalho ou residência. Por isso, há uma verba diária ou mensal que é estabelecida para o efeito.
    Assim sendo, apesar de não conhecer a lei aplicável aos deputados, não percebo onde está o ilegal ou o imoral do recebimento dos subsídios de deslocação mais os custos das viagens.
    Continuação de boa semana, caro amigo Pedro.
    Um abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Jaime Portela,
      Há uma diferença BRUTAL entre dinheiros públicos e privados.
      Os donos das empresas podem fazer o que bem entenderem com o dinheiro que é DELES.
      As verbas públicas não são.
      Mas, se reparar bem, eu não afirmo que é ilegal.
      O que eu afirmo é que até acredito que haja base legal para esta atribuição.
      Quando há deslocações.
      Quando não há obviamente que estamos a falar de burla pura e simples.
      Já a moralidade/ética de um subsídio destes, e nestes montantes, me deixa sérias dúvidas.
      Quem me dera que Portugal tivesse condições para pagar essas verbas, até mais elevadas, a servidores públicos sem isso ser atentatório face aos rendimentos de uma grande fatia da população.
      Não tem e isso obriga os servidores públicos a uma certa parcimónia.
      Aquele abraço, bfds

      Eliminar
  12. Infelizmente é difícil encontrar algum politico honesto em qualquer parte do mundo. É tanta falta de respeito com o povo que da nojo dessas corjas. É tanta verbas que eles usam indevidamente e acha que ta tudo certo. Eles acham que podem tudo, não existem lei pra eles, só para o povo que paga os gastos deles. Já está na hora do povo acordar. O Brasil está passando por uma guerra com essa corja do PT. O chefão dele está preso mais os aliados não larga o osso. Parece uma doença contagiosa. Só Deus pra dar o castigo necessário.
    Bom dia pra você Pedro!
    E vamos que vamos, a vida não ta leve pra ninguém.
    Beijos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda quero acreditar que haja gente honesta na Política, Smareis.
      Mas confesso que está difícil acreditar com tanta sacanice que se vê.
      Beijos

      Eliminar
  13. referes os tais 500€ e não é mensal, mas sim semanal.

    Tu que percebes mais de leis do que eu, lê isto e depois dá aqui uma aula sobre o que pagamos a estes fulanos que não foram eleitos por nós porque no voto só aparece as siglas/nomes dos partidos e quando ganham é que elegem quem lhes dá na real gana:

    1- A lei
    http://www.pgdlisboa.pt/leis/lei_mostra_articulado.php?nid=874&tabela=leis&so_miolo=

    2- Políticos portugueses, quanto ganham?
    https://descobrirportugal.pt/politicos-portugueses-quanto-ganham/

    Portanto a meu ver não infringiram a lei fabricada há anos e moldada com o passar dos ventos.

    Mais os açorianos já têm uma redução no bilhete de avião não sei se apenas para o Continente. Ora o tal César que acho uma pessoa credível disse numa entrevista que não infringiu a lei.

    Agora se me perguntares se concordo com estes salários+despesas de deslocação+despesas de representação e perto de 500 já fora da política com as tais subvenções vitalícias + reformas...grito aos quatro ventos: Não concordo mas disto ninguém fala e à pala dos nossos impostos.

    Há países que os políticos vivem para a política mas por cá VIVEM DAAAAAA POLÍTICA!

    Desculpa amigo o desabafo!

    Beijocas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Essa é a questão essencial, Fatyly - viver à grande com o dinheiro dos impostos que são pagos por todos.
      Pode ser legal, é moral e eticamente muito censurável.
      Quem não perceber isto...
      Beijocas, bfds

      Eliminar
  14. Pedro, é o que temos, não adianta reclamar.
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Reclamo e não é pouco, António.
      Não fico calado perante situações como esta.
      Aquele abraço, bfds

      Eliminar
  15. Olá Pedro.
    Estive ausente por questões que
    etão expostas na publicação
    meu blog hoje.
    O que importa de fato
    é que estou de volta
    e logo comentarei essa sua postagem.
    Bjins e abraço
    CatiahoAlc.

    ResponderEliminar
  16. Eles protegem-se uns aos outros e todos comem do mesmo tacho
    Abraço
    https://caminhos-percorridos2017.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mais uma razão para metermos a boca no trombone, Kique.
      Aquele abraço

      Eliminar
  17. Claro que não. O que está mal é a lei deixar eles estourarem o nosso dinheiro quando lhes apetece para passear.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A lei existe.
      É moral e eticamente defensável?
      São coisas diferentes, Diana Fonseca.
      Só não percebe isto quem não quer.

      Eliminar
  18. Obviamente que não é ético, mas é legal creio que Ferro Rodrigues tem razão.
    Sinceramente, também me perece pouco ético que estando esta disposição em vigor há mais de 20 anos, venham agora alguns deputados dizer que vão devolver o dinheiro. Como se tivessem sabido pelos jornais que a prática era altamente criticável.
    Nesse aspecto, prefiro a posição de Carlos César. Quando diz que não vai devolver o dinheiro está a ser coerente. Os outros estão a ser de uma lamentável hipocrisia.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acerca do senhor Carlos César o decoro e a boa educação impedem-me de dizer o que penso, Carlos.

      Acho piada que haja senhores deputados a quererem devolver as verbas que receberam.
      Então só perceberam que era um abuso, ainda que com cobertura legal, depois de ter sido tornado público??
      Hipócritas de m....@!

      Eliminar
    2. Sobre Carlos César não tenho opinião, Pedro. Nem boa nem má.Simplesmente não conheço e sempre me pareceu uma figurinha. Nada mais. Quanto ao resto,vejo que está de acordo comigo. Abraço

      Eliminar
    3. Mas é que é isso mesmo, Carlos - uma figurinha.
      Mas, como tantas figurinhas, com a mania que é um figurão.

      Eliminar
  19. Não é à toa que Portugal está bem classificado no ranking dos países mais corruptos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não há corrupção, Magui.
      Até haverá cobertura legal para estes desmandos.
      Mas legalidade é uma coisa, moralidade é outra bem diferente.

      Eliminar
  20. São todos uns caras de pau.
    E nós ouvimos,ouvimos, e deixamos passar.
    Bom fim-de-semana.

    ResponderEliminar
  21. Um nojo, Pedro, um nojo, repito, já tive a oportunidade de o dizer a uma das deputadas envolvidas e que é minha amiga (o Pedro facilmente verá quem é pelo meu FB).

    Aquele abraço e de Ferro Rodrigues, César e companhia espero pouco ou nada.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu vi, Ricardo.
      E pergunto - a pessoa em causa tem necessidade de fazer estas figuras?
      Estou capaz de apostar que não.
      Ganância, pura ganância.
      É isso mesmo que causa, Ricardo - nojo :(

      Eliminar
  22. É, de facto, uma lei mal feita, ou feita à maneira deles, essa das compensações pelo Parlamento sem exigência de comprovativo de viagem. Se já tinham os reembolsos pelos governos regionais, que reembolsam uma parte da viagem, como a todos os ilhéus, se não lhes chegava, quando muito poderiam ser ressarcidos do remanescente, mediante comprovativo. Agora assim, receberem 500 euros todas as semanas quer viajem ou não, é um roubo que fazem aos bolsos dos portugueses.
    (Desculpe o atrevimento de comentar assim sem ser convidada. Já tenho passado por cá mais vezes em silêncio).

    Boa semana!
    Bjs.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu é que lhe agradeço ter por aqui passado e comentado, Fá Menor.

      Estas leis feitas à medida, coisa bem diferente de leis-medida, feitas pelos célebres, alfaiates jurídicos, dão sempre origem a todos os desmandos.
      A fundamental diferença entre legalidade e ética, moralidade.
      Que muita gente parece não querer perceber.

      Bjs boa semana

      Eliminar
  23. Parecem-me um pouco ridículas estas afirmações de Ferro Rodrigues. Óbvio que deverá estar intrínseco o pagamento das viagens dos deputados, mas o que deveria acontecer era o controlo e o pagamento dos bilhetes, não haver subsídio específico. Aliás uma das coisas que eu já vivi e vivo, é que quando fui funcionário público e agora na privada, nem sempre há rigorosidade nos gastos. Deveria ser claros os custos e controlados ao "tostão" !
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A necessidade desse controlo parece-me tão evidente que nem deveria ser necessário levantar essa questão, Ricardo.
      Infelizmente é mais o regabofe total.
      Aquele abraço, boa semana

      Eliminar
  24. Subscrevo as palavras do caro Pedro, que sem me alongar muito mais ao respeito, creio eu que aludindo a este corporativismo dos políticos, enquanto correspondentes legisladores em causa própria, sem prejuízo doutras áreas profissionais, deixo apenas as palavras dum daqueles muitos profissionais do ensino (professora/es), mais das vezes com filhos, recorrentemente colocados a centenas de quilómetros de casa: _ "nós não temos subsídio que cubram as, efectivas, viagens de entre casa e local de trabalho..."!...

    Empático abraço

    VB

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amigo Victor Barão,
      Professores, médicos, notários e conservadores, a lista é imensa.
      Porque raio é que os senhores deputados, que deviam dar o (bom) exemplo, têm que ter uma estatuto especial??
      Acham-se tão importantes!!
      Aquele abraço

      Eliminar
  25. e isto é só fumaça, pedro. imagine, o fogo...

    recebi sim a suas palavras, em forma de voto e a pergunta. obrigada.

    beijinho e até sempre.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É impressão minha ou não devo gostar do até sempre?
      Soa demasiado a despedida.
      Espero estar enganado.
      Beijinho, boa semana, rápido restabelecimento para a maleita que agora a apoquenta.
      Vou ficar aqui à espera.

      Eliminar
  26. também não gosto do até sempre, mas a expressão revela o meu atual estado de espírito. tiraremm-me a possibilidade de escrever, mal ou bem, isso não se faz...

    espero voltar, mas não sei qdo. estou de atestado médico, de novo, e a maleita são as mãos.

    grata pela espera.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Com calma, com ajuda, num instante este mau momento desaparece.
      E volta ao nosso convívio.
      Beijinhos

      Eliminar