18 de abril de 2018

Amar a Pátria, amar Macau



Já todos ouvimos o slogan “Amar a Pátria, amar Macau”.
Quantos de nós discordamos do conteúdo do mesmo??
Se o amor à Pátria pode ser diferente, divergindo naturalmente em razão da origem, da Pátria de cada um, todos coincidimos no amor a Macau, à “Mátria’, como Henrique Senna-Fernandes designava esta que é cidade do Santo Nome de Deus.
Sendo tais verdades evidentes e irrefutáveis confesso que não consigo compreender os movimentos patriotas que se têm vindo a desenvolver em Macau.
Estará a estabilidade de Macau em perigo para se acentuar tanto e tão frequentemente o sentimento patriótico?
Ou ando muito distraído ou afirmaria que não há qualquer perigo nessa vertente.
A nova legislação anunciada recentemente pelas autoridades administrativas, na sequência do discurso que chega de Pequim e passa pelo Gabinete de Ligação, é um bom exemplo deste movimento patriótico.
Nova legislação que irá conduzir à criação de uma nova entidade administrativa.
Serão necessárias é a pergunta que (me) faço?
Quantos movimentos anti-patriotas, de sedição, de traição à Pátria, aconteceram em Macau até hoje?
Mais uma vez, ou ando muito distraído, ou não aconteceu nem um.
Nem é previsível que aconteça.
A ideia é prevenir para não ter que remediar?
Só pode ser isso.
Mas continuo a pensar que há (muitas) questões bem mais prementes e a merecerem muito mais atenção que esta.


26 comentários:

  1. Estou de acordo, deve de haver questões bem mais prementes que merecem outra atenção.
    Como dizem alguns políticos isto é um não caso.
    Um abraço e boa semana.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    O prazer dos livros

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há para aqui algumas mentes que julgam que é O caso, Francisco.
      Às vezes sinto um cansaço!!! :(
      Aquele abraço

      Eliminar
  2. Só através dos Devaneios a Oriente me apercebo que algo não está assim tão certo.

    Grande abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Às vezes há coisas chatas, que moem, que aborrecem, João Menéres.
      Sem necessidade nenhuma disso.
      Aquele abraço

      Eliminar
  3. Certo. Há conveniência que os is continuem com pinta, para evitar devaneios em cabecinhas "estouradas".
    Abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas em Macau NINGUÉM pensa em independência, traição à Pátria, Agostinho.
      Em Hong Kong, sim, há movimentos políticos que claramente são favoráveis à independência de Hong Kong, os tontos.
      Não é em Macau.

      Eliminar
  4. Existem criaturas que parece necessitarem de confusões e quando não existem, inventam-nas...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A minha avó chamava a isso arranjar sarna para se coçar, São.
      Deverá haver alguma expressão semelhante na língua chinesa que confesso desconhecer.

      Eliminar
  5. Confesso que gostava de conhecer Macau independentemente das situações politicas que a envolvem.
    .
    * Amor = Velas Acesas em Espinhos de Luz. *
    .
    Votos de um dia feliz.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gil António,
      Eu sou como Henrique Senna-Fernandes - Portugal é a minha Pátria, Macau a minha "Mátria".
      Se aqui crítico, chamo a atenção, é porque gosto muito de Macau.
      Nunca fui, nunca serei daqueles que dizem que é a terra dos outros, que não tenho nada a ver com isso.
      Sou Residente Permanente de Macau, Macau deu-me tudo na vida, nunca lhe poderei retribuir o que me proporcionou.
      Mais uma razão para não ficar mudo e quedo.

      Se puder visitar Macau vale a pena.
      Atenção que isto não são só casinos.
      Há muita coisa, muito bonita, para ver e experienciar.

      Aquele abraço

      Eliminar
  6. Bom dia Pedro!
    A ideia é sempre prevenir.
    Aqui no Brasil a politica está fervilhando...
    Macau deve ser muito bonito.
    Boa semana!
    Bjs!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Macau é único, Smareis.
      E é isso mesmo que nos, os que amamos Macau, temos que preservar a todo o custo.
      Bjs, boa semana

      Eliminar
  7. Oi, Pedro, também não sei por que essas coisas acontecem. Aqui, que a política está fervilhando, inventam de trocar o nome de ruas (muito movimentadas) depois de 40 anos! Pra quê? Tem muita coisa relevante, mas essa gente pega coisinhas para se distrair... E o povo que não aceitou, continua chamando pelo nome antigo. Coisas da política...
    Beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Às vezes é preciso inventar notícias para desviar a atenção daquelas que são realmente importantes, Tais Luso.
      A técnica é muito antiga e muito conhecida.
      Beijo

      Eliminar
  8. Interessante isso, amigo Pedro! Agradeço a visita ao blog :)

    Blog: O Planeta Alternativo

    ResponderEliminar
  9. Reconheço a pertinência do seu texto, Pedro, mas também sou levado a pensar que da parte dos chineses poderá haver certos receios de "contágio" de Hong-Kong . (?)... Só isso o justificaria ! (?)
    De resto, parece-me ter sido "pacífica" e até relativamente ainda recente a "entrega" de Macau à china. (?)

    ... Muitos pontos de interrogação, porque, naturalmente, conheço mal a questão.

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É isso mesmo, Rui - receio de contágio de Hong Kong.
      E das influências de Taiwan, acrescentaria eu.
      Completamente infundados porque em Macau Ninguém pensa em independência ou cisa semelhante.
      Aquele abraço

      Eliminar
  10. Pedro parece-me que Macau tem um lindo centro histórico, classificado património mundial pela Unesco !li numa revista em francês, que é a cidade do oriente de origem europeia, mais bonita e bem conservada !
    espero que assim possa continuar a ser
    abraço
    Angela

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Confirmo, Angela.
      O centro histórico é muito bonito.
      Mas, em algumas zonas e alguns dias, está apinhado.
      Abraço

      Eliminar
  11. Raramente ouço nas notícias referências a Macau.
    Dá a sensação que está tudo na paz dos anjos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas em Portugal foi sempre assim, Magui.
      Portugal sempre ligou pouco a Macau.
      Mesmo quando administrava Macau.

      Eliminar
  12. Tudo do melhor para Macau.
    Beijinhos
    ~~~~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Com calma e juízo tudo se resolve, Majo.
      Demos tempo ao tempo.
      Beijinhos

      Eliminar
  13. Medo de contágio da tendência europeia? A "Mátria" foi uma criação de Natália Correia, que Senna Fernandes adoptou.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Medo do contágio de Hong Kong e Taiwan, Carlos.
      Mas a Europa também não ajuda nada.
      Medo da própria sombra, diria eu.

      Agora que o refere lembro que realmente foi Natália Correia que criou a palavra Mátria.

      Eliminar