25 de abril de 2018

Paz na Península Coreana?


Lao-Tse ensinou-nos que “Uma grande caminhada começa com o primeiro passo”.
Este ensinamento taoista deve estar sempre presente na que se antevê ser uma longa caminhada até se atingir a paz na Península Coreana.
Tecnicamente em guerra desde 1953, o ano em que foi concluído o cessar-fogo entre os dois beligerantes, é desde logo um sinal positivo o simbolismo do encontro entre os líderes do Norte e do Sul se ir realizar na cidade fronteiriça de Panmunjom, precisamente o mesmo local onde foi assinado o referido cessar-fogo.
Com a memória viva de tensões ainda tão recentes é com um misto de esperança e cautela que o Mundo olha para as conversações entre os dois líderes coreanos.
Conversações que é fácil antever serão centradas em alguns temas ainda sensíveis, a par com outros que podem sinalizar mais fortemente a reaproximação que se deseja.
Sinal de desanuviamento foi desde logo a participação de uma delegação do Norte nos Jogos Olímpicos de Inverno que tiveram lugar em Pyeongchang.
Uma participação em tudo ligada à suspensão dos exercícios militares conjuntos entre americanos e sul-coreanos.
Estes sinais de boa vontade são essenciais num processo negocial entre nações asiáticas, na busca das ansiadas paz e harmonia.
Mas há temas delicados a discutir e negociar.
A reunião de famílias separadas desde os tempos da guerra, o abandono efectivo do programa nuclear norte-coreano, o suavizar ou eventual levantamento de sanções que estrangulam o regime norte-coreano.
“Uma longa caminhada começa com o primeiro passo”.
Que será dado em Panmunjom.
Depois, com tempo, com o auxílio de outros actores, ainda que só nos bastidores, deve juntar-se o pensamento de Lao-Tse ao do poeta António Machado e perceber que “o caminho faz-se caminhando”.

38 comentários:

  1. Devemos ser otimistas!! Trump vai ajudar imenso para que isso aconteca!! : )

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O que mais espero do idiota Trump neste processo é que intervenha o menos possível, Catarina.
      Se ele mexer muito de certeza acaba por estragar o que tem vindo a ser feito.
      Já de Pequim espero muito.

      Eliminar
  2. Oxalá, se tenha encontrado o caminho certo para a paz.
    Abraço

    ResponderEliminar
  3. Acredito que o caminho se faz caminhando mas oxalá que o "castor" fique quietinho para não fazer mais estragos.

    Beijos e um bom dia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gostei do "castor", Fatyly :)))
      É bom mesmo que fique quietinho.
      Beijos, votos de um dia feliz

      Eliminar
  4. Como num jogo de Lego : Há que ter paciência e vontade.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Paciência é uma virtude muito asiática, João Menéres.
      Vamos ver o que acontece acerca da vontade.

      Eliminar
  5. Vamos lá a ver se é desta que estes senhores têm juízo e que façam o caminho da paz.
    Um abraço.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    Livros-Autografados


    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ouvi uma noticia que me deixou triste, Francisco - supostamente as instalações nucleares da Coreia do Norte colapsaram.
      Ainda não há confirmação.
      E espero que assim não seja.
      Aquele abraço

      Eliminar
  6. Bom dia Pedro.
    Esse pensamento é essencial
    para todo processo de Vida.
    O importante é que a paz
    seja o alvo.
    O livro a Arte da Guerra demostra
    que a falta de movimentação não
    significa exercício da paz.
    Eu pratico a frase que você
    cita em minha vida pessoal desde
    recem casada ha 37 anos passados
    quando detestando lavar louça,
    entendi nao adiantar detestar essa
    tarefa, então aprendi quw lavando
    de uma a uma o serviço rende.
    Assim é e deve ser o viver
    na pratica da frase argumento
    dessa sua maravilhosa postagem.
    Bjins
    CatiahoAlc.


    ResponderEliminar
    Respostas
    1. CatiahoAlc,
      Eu li, e as minhas filhas leram, A Arte da Guerra.
      A minha curiosidade pelo livro veio do filme Wall Street e do personagem que Michael Douglas interpretava - Gordon Gecko.
      Ensinamentos milenares que continuam a ter aplicação pratica nos dias de hoje.
      Bjs

      Eliminar
  7. Caro Amigo Pedro Coimbra.
    Espero - sinceramente - que os atos belicosos cessem definitivamente, mas tenho dúvidas se de fato virá a paz duradoura.
    Caloroso abraço. Saudações desconfiadas.
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, s3m ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também quero ver para crer como São Tomé, Amigo João Paulo de Oliveira.
      E, a ser verdade que o complexo nuclear norte-coreano entrou em colapso, não sei quais serão as consequências para este processo de paz.
      Aquele abraço

      Eliminar
  8. Paciência, precisa-se :))

    Hoje, o tema é do nosso Poeta Gil, mas pela sua ausência, aqui estou eu:- Revolução - A criança, o cravo, a G-3 silenciada
    .
    Bjos
    Votos de um bom feriado (Dia da liberdade)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Em Macau não é feriado, Larissa Santos.
      Era até 1999, desde então, comprensivelmente, não é.
      Bjs

      Eliminar
  9. Lamento que a "Paz na Península Coreana" não dependa exclusivamente destes dois intervenientes (norte e sul).
    Ainda assim, acredito ser possível um entendimento que permita aliviar o ar que se tem respirado por aquelas bandas.

    Um abraço, Pedro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A mão de Pequim pode ajudar, António.
      Outras é que poderão atrapalhar.
      Aquele abraço

      Eliminar
  10. Que bom, já é um alívio essas duas 'cabecinhas pensantes' darem um passo para trás!! Ficamos todos mais aliviados, pois que sobrará para nós não tenho dúvidas. Levantar guerra no mundo atual é uma loucura, pena que 'outros' escolheram outro caminho.
    Beijo, Pedro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O diálogo era algo impensável até muito recentemente, Tais Luso.
      Vai ter frutos?
      Vamos ter que esperar para ver.
      Beijo

      Eliminar
    2. Sim, é verdade, vamos esperar pra ver, não dá para ir com tanta sede ao pote... Imagina se os ânimos se chocam novamente...!
      beijo!

      Eliminar
    3. Se se confirmar o que está a ser noticiado temo bem que o processo negocial vá por água abaixo, Tais Luso.
      E faltará saber quais as consequências para o meio ambiente.
      Nas Coreias, na China, sabe-se lá onde.
      Será que não podemos viver tranquilos???
      Beijo

      Eliminar
  11. Sinceramente que não estou nada crédulo nestas "boas notícias" ! :(... Haverá intenções ocultas ?... É para duvidar.
    lembro-me perfeitamente do início da guerra das Coreias e de todo o período que se seguiu até hoje ! :((
    Nunca se "entenderam" . Nunca houve uma paz verdadeira !
    Poderá ser que sim , mas ainda coloco muitas reticências ! Trata-se de um Ditador louco !!! Dele há que esperar tudo ! :(

    Abraço, Pedro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A confirmar-se a notícia do colapso no complexo nuclear norte-coreano fica pelo menos a suspeita que foi isso (não rebenta de repente, devia estar a cair aos bocados) que motivou Kim a dar este passo.
      E, a ser assim, não será só o complexo nuclear norte-coreano a colapsar.
      Aquele abraço

      Eliminar
  12. Que o caminho, embora longo e duro, se faça !!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vamos ver, são vamos ver.
      A confirmarem-se as notícias o tresloucado norte-coreano ficou mansinho quando viu tudo destruído à volta dele.
      De sinceridade estamos conversados.

      Eliminar
    2. Se não for por sinceridade, que seja por medo(paciência). Interessa é que haja paz, embora não muito sã.

      Eliminar
    3. A única certeza para já é que amanhã será um dia histórico, São.
      O resto veremos depois.

      Eliminar
  13. Estaremos perante um novo derrubar do muro?

    ResponderEliminar
  14. Abraço Pedro
    https://caminhos-percorridos2017.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  15. Houve muitas famílias que ficaram divididas desde então.
    Inclusivamente mães separados de filhos... proibidos de se verem... Estes sempre sonharam com a reconciliação...

    Viva O 25 de Abril, que nos devolveu as liberdades fundamentais... VIVA!

    Saudações democráticas.
    ~~~~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quando referi que tinha algumas lembranças amargas do 25 de Abril (está para aqui no blogue, num dia 25 de Abril a explicação), não queria dizer que não reconheço os (MUITOS) méritos de Abril.
      Nem se pode comparar o antes e o depois.
      Mas não vamos falar só nos cravos sem falar nos espinhos, Majo.
      Que os houve.
      Beijinhos democráticos

      Eliminar
  16. Leu esta entrevista de uma dissidente norte-coreana, Pedro?
    Pelo sim, pelo não, tomo a liberdade de lhe enviar o link:
    https://www.msn.com/pt-pt/financas/negocios/dissidente-norte-coreana-não-acredita-na-cimeira-entre-trump-e-kim-jong-un/vp-AAvMoSY

    ResponderEliminar
  17. "O caminho faz-se caminhando" e oxalá haja entendimento e possam ser um exemplo para o resto do mundo.
    Não consigo entender o que leva os poderosos deste mundo verem o seu povo sofrer.
    A minha mãe dizia, nestes casos: "Deus e o tempo" mas boa vontade do Homem é dúbia.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É hoje a histórica cimeira, Maria Araújo.
      O começo de um processo de paz?
      Esperemos que assim seja.
      Beijinhos

      Eliminar