21 de novembro de 2018

Theresa May…go away


Theresa May assumiu o Brexit como um processo seu e tornou-se na cara e na voz da saída da Grã-Bretanha do seio da União Europeia.
Se estivesse de visita a um dos muitos casinos de Macau, poderia dizer-se que Theresa May apostou as fichas todas num abandono negociado da União Europeia que sempre lhe pareceu uma negociação simples e escorreita.
Enganou-se e corre o sério risco de ser a vítima de um processo que se arrasta, se complica, levanta cada vez mais objecções e dúvidas.
Negociado um acordo com a União Europeia, que parecia ser a etapa mais complicada, Theresa May vê crescer internamente uma onda de contestação a esse acordo.
Uma onda de contestação que poderá descambar num voto parlamentar de rejeição ao acordo conseguido com tanto esforço e ao longo de tanto tempo.
Voto esse que, somado à contestação interna e às numerosas deserções de membros do governo britânico, desencadearia uma crise política de consequências imprevisíveis.
Se parece haver uma vontade relativamente ampla dentro da classe política e do público britânico tendente a evitar uma saída da União Europeia sem acordo (é melhor um mau acordo que acordo nenhum), no restante está instalada a confusão.
O Brexit entra agora na sua fase mais decisiva.
E Theresa May tem tudo a ganhar ou tudo a perder nesta fase essencial do processo.
Os sinais que chegam de uma Grã-Bretanha profundamente divida fazem crer que Theresa May…go away.

31 comentários:

  1. Mais outro país dividido. E como diz o velho ditado: A união faz a força.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pior que um país é toda a Grã-Bretanha, Catarina.
      Uma precipitação que pode causar sérios engulhos a muita gente.

      Eliminar
  2. Reina uma grande confusao na Gra-Bretanha...mas penso que a Theresa May ficara a perder no meio desta embrulhada.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ela assumiu o Brexit como algo seu, Sami.
      E nem era.
      O impulso foi dado por Cameron.
      E a vítima política tudo indica será ela.

      Eliminar
  3. Meu caro João Pedramigo

    Para já a confusão está instalada mas ainda é cedo para vaticínios. Previsões só no fim do jogo 🤣disse o João Pinto do teu FêPêCê. Veremos também como diz cego. Aguenta os cavais...

    Triqjs💋💋💋 e um abração para tu deste teu amigo do lado di cá
    Henrique o Leãozão 🦁

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hoje à tarde vou a uma conferência com o Vítor Ângelo (Adjunto do Secretário-Geral das Nações Unidas) e de certeza uma das coisas que vai ser falada é o Brexit, FerreirAmigo.
      O tema é o crescimentos do extremismo na União Europeia mas julgo que o Brexit inevitavelmente será abordado.
      Grande abraço para ti, beijos para a Raquel

      Eliminar
  4. No reino de sua majestade parece que ninguém se entende e quem espalhou esta confusão e fizeram força para o Brexit já abandonou o barco.
    Um abraço e continuação de uma boa semana.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    O prazer dos livros

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cameron pôs tudo à chapada e pirou-se, Francisco.
      Ficou Theresa May a levar pancada.
      Aquele abraço

      Eliminar
  5. Bom dia. Estou um pouco fora desta notícia. Ou seja, não sei comentá-la :))

    Hoje: Nasceste em mim...Renasci.

    Bjos
    Votos de uma óptima Quarta - Feira.

    ResponderEliminar
  6. Parece que ninguém se entende! Lol

    Beijos e uma excelente tarde!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quando é assim costuma sobrar para quem está mais à mão, Cidália Ferreira.
      Neste caso Theresa May.
      Bjs

      Eliminar
  7. Penso que não será fácil, mas o melhor não seria um novo referendo?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Poderemos perfeitamente estar a caminhar para isso, São.
      Já aqui coloquei essa hipótese que parece cada vez mais credível.

      Eliminar
  8. I don't think so.
    Wait and see.
    Hug, Mr. Pedro :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pelo caminho que o Brexit está a tomar parece que é uma questão de quando, António...
      Aquele abraço

      Eliminar
  9. Como um casamento celebrado na igreja católica. O arrependimento de um dos cônjuges que quer o divórcio não litigioso. Mas o outro cônjuges não concordo!

    Tenha um bom dia e continuação de boa semana caro amigo Pedro Coimbra.
    Um abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este é um casamento muito problemático desde o início, Amigo Eduardo.
      Aquele abraço

      Eliminar
  10. Um amigo britânico, que vive em Düsseldorf, acusa Angela Merkel do Brexit, por abrir as fronteiras.

    Um

    Outro amigo britânico que vive em Oxford é absolutamente a favor do Brexit, sem acusar ninguém.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os britânicos estiveram sempre com um pé fora e outro dentro, Teresa.
      E isso não tem nada a ver com os refugiados e muito menos com Merkel.

      Eliminar
  11. Rima e é verdade, Pedro!
    Como diria o António Silva...'Estava escrito, meu menino, estava escrito'. Quando um país, um Partido, o que seja, fica dividido acabam por se abrir brechas, daí à derrocada é um passo.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Creio que "ruptura" exprimiria melhor o meu pensamento do que "derrocada", Pedro! :)

      Eliminar
    2. Os britânicos sempre foram uma categoria muito especial na União Europeia, Janita.
      Há os famosos eurocépticos.
      Os britânicos sempre foram eurodesconfiados.
      Beijinhos

      Eliminar
  12. Pouco depois de anunciado já a confusão se tinha instalado. E desde então não se encontrou nem ela, nem os eleitores,
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Theresa May está a seguir uma estratégia de pura sobrevivência política, Elvira Carvalho.
      Já nem sei se ela própria acredita no Brexit.
      Já não quer nem pode voltar atrás.
      Abraço

      Eliminar
  13. Gostava de saber o que pensa a família real (decorativa) acerca do assunto, se é que isso os preocupa!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não fica no segredo dos deuses, fica no segredo dos príncipes, Magui.

      Eliminar
  14. o ultimo fecha a porta22 de novembro de 2018 às 08:11

    Achava-se que ia ser muito fácil. Na teoria talvez, na prática não. E o Reino Unido tb tem muito a perder com esta saída.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Reino Unido poderá inclusivamente dissolver-se.
      A Escócia já afirmou publicamente que não quer abandonar a União Europeia, o problema das Irlandas está para se ver no que dá.
      No fim podem ficar os ingleses a falar sozinhos.

      Eliminar