11 de outubro de 2018

Vamos banir a utilização do plástico ou ser hipócritas?


Quando ouvi dizer logo de manhã na Rádio Macau que a empresa do grande “m” tinha iniciado uma campanha para banir o plástico nos seus restaurantes, começando por encorajar os seus clientes a não utilizarem a palhinha de plástico, às segundas-feiras!!, pensei que ainda devia estar ensonado.
E que, por isso mesmo, estava a fazer uma grande confusão.
Ainda assim, porque sou curioso, fui investigar afinal o que é que se passava.
E fiquei siderado com a campanha que os grandes conglomerados de fast food, não é só o grande “m” (McDonald’s), é também a Starbucks, estão a levar a cabo.
O combate à utilização do plástico está aí.
E está aí para ficar.
Lembram-se do Toyota? Que veio para ficar e ficou mesmo? É mais ou menos a mesma coisa.
Mais para menos…
Porque este combate sem quartel começa, a título experimental, com as terríveis palhinhas.
E só às segundas-feiras.
Os outros produtos (copos, garfos, facas, garrafas, sacos, caixas,…) permanecem intocados todos os dias da semana.
E as palhinhas, lá mais para a frente, depois dos testes, até podem voltar ao seu uso diário normal sem aquela perturbação das segundas-feiras.
Queremos proteger o Planeta, o único que temos, onde vivemos, que vamos deixar para os nossos filhos, e banir a utilização do plástico de uma vez por todas, ou vamos todos ser hipócritas?
Esta é a grande decisão a tomar.
Porque encorajar os clientes a não utilizar as palhinhas, às segundas-feiras, não é o primeiro passo de uma grande caminhada.
É apenas uma verdadeira e hipócrita palhaçada.

51 comentários:

  1. Há já muitos restaurantes e cafés/bares/pubs que usam essas palhinhas todos os dias!
    O hábito agora é também perguntar aos clientes se querem o recibo de pagamento. Eu digo sempre que não. Estou a fazer uma pequenina diferença! : )

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estamos, Catarina.
      Também nunca aceito o recibo de pagamento.
      Esta campanha (??) é anedótica.

      Eliminar
  2. law is passed from the assembly but no one is employing it as strict rule so plastic bag are the most abundant trash everywhere here

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. This is incredible, baili.
      Reduce plastic, for a limited time, by not using the plastic straws???
      Bunch of hypocrits!

      Eliminar
  3. Desculpa que te diga, isto é mesmo para rir, mas ao mesmo tempo, muito triste ver tanta hipocrisia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se há um bom exemplo de humor negro é este, Manu.
      As palhinhas???
      Às segundas-feiras??? :(

      Eliminar
  4. Cada vez mais temos que ter atitudes que protejam o planeta... Pequenas isoladas, cada um fazendo, já ajuda no grande todo! abraços, chica

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas não é a eliminar palhinhas temporariamente às segundas-feira, chica.
      Abraços

      Eliminar
  5. Pura hipocrisia, dá para rir :))

    Bjos
    Votos de uma excelente Quinta - Feira.

    ResponderEliminar
  6. Estou completamente de acordo amigo Pedro esta campanha da m é mesmo uma palhaçada.
    Um abraço e continuação de uma boa semana.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    O prazer dos livros

    ResponderEliminar
  7. Eu acho que continuamos a ser hipócritas ! :((... isto tem de ir de outra maneira, radical mesmo !!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O grande “m” que desperdiça toneladas de plástico cortar nas palhinhas deve ser para rir, Ricardo.
      Não há melhor maneira do que começar a implementar o célebre princípio dos três “p” - polluter pays principle.
      Quem polui, paga.

      Eliminar
  8. Concordo consigo, santa hipocrisia! :)

    Beijos e um excelente dia!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cara de pau, Cidália Ferreira, estes gajos são cara de pau.
      Beijos, bfds

      Eliminar
  9. Realmente... Que tristeza...
    Assim não se anda para a frente...
    E a pensar que a cada década se avança um pouco em conhecimento mas afinal...
    Obrigada
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Para hipocrisia o McDonald’s vai destacado na frente, Sandra
      Abraço

      Eliminar
  10. Dá p'ra rir da ANEDOTA, Pedro.
    Tenho por costume rejeitar o clássico saquinho de plástico nas lojas. As empregadas ficam espantadas quando lhe digo que o produto já está embalado... mas não são as únicas, também no percurso até ao carro há transeuntes que me olham como marciano.
    Já interpelei um grupinho de praia com a frase - a humanidade há-de morrer afogada em plástico - ao aperceber-me que atiravam/abandonavam garrafas, embalagens de gelados, latas de bebida na areia. Ficaram surpreendidos. Uma moça balbuciou: "realmente...".
    Boa saúde, Pedro, para si e família.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há gente que é pura e simplesmente porca e irresponsável, Agostinho.
      E que depois ainda tem o desplante de culpar os governos, os poderes.
      Aquele abraço, bfds

      Eliminar
  11. Provavelmente porque a segunda-feira é o dia com menos clientes!

    ResponderEliminar
  12. Realmente, ridículo, sem qualquer sentido e muito menos, efeitos !
    Só poderá ser uma medida tomada (apregoada) para que se fale no nome.
    Mais uma medida publicitária que outra coisa.

    Abraço, Pedro

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas esta publicidade espero bem que seja mais um alerta para a falsidade do McDonald’s, Rui.
      Em tudo.
      Aquele abraço

      Eliminar
  13. è simplesmente uma medida para poupar nos custo e nada mais, se não derem a palhinha as clientes já estão a poupar
    Abraço

    Kique

    Hoje em Caminhos Percorridos - Actividade Perigosa

    ResponderEliminar
  14. Concordo consigo.
    Por aqui fizeram a recolha de tampinhas...
    As crianças enchiam um garrafão com tampinhas,
    era didático e interessante... Acabou...
    Substituiram sacos biodegradáveis por outros
    pagos que o não são...
    Andamos ''de cavalo para burro''...
    Beijinho
    ~~~~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas, pelo menos, obrigam a pagar pelos sacos de plástico nos supermercados, Majo.
      O que já desinvestida muita gente.
      Beijinho

      Eliminar
  15. Banir, banir completamente não digo, seria coisa pouco viável, mas reduzir substancialmente, sim.

    Essa ideia de um dia por semana, pode ser um princípio,Pedro.
    Digo eu, que sou pouco frequentadora da empresa do M grande...:)

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pedro, voltei atrás para reler o texto e apercebi-me que a ideia da empresa é apenas a palhinha - ridículo, claro - pensei que se referisse a todo o plástico...

      Eliminar
    2. Se fosse todo o plástico eu batia palmas, Janita.
      E ficava com esperança que fosse o tal pequeno passo que inicia uma grande caminhada.
      As palhinhas???
      Beijinhos

      Eliminar
  16. Autêntica treta, como se o facto de não utilizar as palhinhas às segundas-feiras resolvesse o problema.

    Beijinhos Pedro

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não resolve o problema, não aquece nem arrefece, Adélia.
      É palhaçada.
      Beijinhos

      Eliminar
  17. A ideia é ridícula.
    Porque há alternativas, há que proibir e o assunto ficaria arrumado.
    Em qualquer caso, como há reciclagem dos plásticos...
    Caro Pedro, continuação de boa semana.
    Abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vamos ser corajosos de uma vez por todas, Jaime Portela.
      Sabe onde costuma doer mais?
      No bolso.
      Quer plástico?
      Paga.
      Como já acontece em Portugal nos supermercados.
      E as pessoas levam os seus sacos de casa para não utilizarem, e pagarem, sacos de plástico.
      O meu pai, com 82 anos, que não cresceu habituado a isso, segue essa prática todos os dias.
      Aquele abraço, bfds

      Eliminar
    2. Pedro, dizem as estatísticas que os políticos soltam para a sociedade que essa medida reduziu o impacto no consumo de sacos em plástico. Mas eu tenho sérias dúvidas. Sabe porquê? Porque vejo. Vejo as pessoas a esquecerem trazer sacos e comprar no supermercado. Por 10 ou 20 centimos (5 penses no UK) não é NADA. Mas sabes o que é pior e não está a ser dito? O APROVEITAMENTO dos comerciantes. Porque os sacos plásticos que eles disponibilizam para venda têm uma dimensão pensada para levar pouco, para caber pouco e principalmente, são feitos de um material em plástico que Às vezes não consegue sobreviver à viagem do supermercado até casa. E acham que isso é reduzir plásticos? Claro que não! Não se compram tantos nas CAIXAS do supermercado, mas aumentaram substancialmente a VENDA nas prateleiras.

      Porque os do supermercado costumavam servir para enfiar o lixo doméstico. Depois da directiva, as pessoas passaram a COMPRAR sacos "próprios" para o lixo - os ditos "sacos pretos". Os que têm cães compram "sacos para dejectos". E se formos a pensar bem no assunto, não é preciso ser muito esperto para entender a grande jogada de dinheiro aqui feito. No supermercado os sacos eram de graça e reciclados pelos clientes para diversos propósitos. Não traziam rentabilidade NENHUMA aos comerciantes. Agora além de se pagar pelo saco "das compras", recebe-se uma qualidade inferior por esse mesmo saco que antes durava uma eternidade por ser resiste para o peso que podia transportar e por isso era usado para levar o lixo ao contentor. No UK quase se desfazem. Até os mais caros, são uma porcaria. Usa-se uma ou duas vezes e tÊm de ir para o lixo. HIPOCRISIA! É tudo negócio disfarçado porque agora o dinheiro que os comerciantes não estavam a ganhar porque as pessoas usavam esses sacos para tudo, voltou aos bolsos porque a senhora que vai a passear o caozinho vai apanhar a poia com um saco que comprou no supermercado, não com o gratuito das compras. E todos têm de despejar o lixo! Isso deixou de ser gratuíto também.

      REDUZIRAM OS SACOS EM PLÁSTICO?
      Tretas!!
      Comercializaram-os.

      Eliminar
    3. Em Portugal, ainda muito rentemente, eu vi redução, Portuguesinha.
      Até nos hábitos dos meus pais.

      Eliminar
  18. Seria um começo? Será que assim e aos poucos, o plástico irá desaparecer? Levará se é que alguma vez acaba, anos e anos.
    Depois, em minha opinião, já viste a fortuna que essas empresas um dia iriam gastar em louca? Não me parece que estejam muito interessados.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isto é marketing, Mena Almeida.
      Estamos tão preocupados!!
      Daqui a meia dúzia de dias até a porcaria das palhinhas esquecerão.

      Eliminar
  19. Total palhacada!! So um dia por semana, que idiotice, ou tudo ou nada. Aqui retiraram ha uns meses atras os sacos de plastico dos supermercados, agora as pessoas tem que usar sacos reciclaveis, mas mesmo assim houve muita gente a protestar. Palhinhas e outras embalagens plasticas ja ha muitos restaurantes que nao usam e agora usam de papel.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E as pessoas aceitara, não aceitaram, Sami?
      Ë uma questão de coragem política, nada mais.

      Eliminar
  20. Tem que começar por nós. Como consumidores que temos que exigir que não queremos isso.
    Abraço e bom fim-de-semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A melhor resposta, elvira.
      Tem de ser eles, com directivas mas nós, a fazer pressão e a mudarmos os nossos próprios hábitos. Sem dúvida. E nem é preciso grandes alterações para já se reduzir um considerável número de plástico. A única coisa que nunca aceitámos ter em casa para uso diário que fossem em plástico são pratos, copos e talheres. Eles existem, mas não são os que se usam numa refeição diária. Nem nas panelas para ir ao fogão ou forno - porque derreteriam, ahahaha!! Mas está em tudo o resto, até nas roupas, o que é lamentável.

      Eliminar
  21. Estou optimista quanto a este assunto, Pedro.
    Acho mesmo que o consumo de plástico em 10 anos vai mudar. Não muito na escala global mas substancialmente nos hábitos de consumo quotidiano.
    Infelizmente o plástico veio para ficar, assim como a comida de fábrica e os alimentos geneticamente alterados. NUNCA MAIS a vida humana vai ser a mesma ou poderá regressar ao seu estado puro, despoluído.

    Quando oiço as promoções televisivas a dizer que esta semana o supermercado "X" tem desconto nos produtos biológicos - e põe-se a nomeá-los, sinto o estômago embrulhar. Porque isso do "biológico" não existe, não devia existir (além de ser um logro). O que existe são produtos NÃO BIOLÓGICOS e os naturais. Mas agora temos de pagar mais pelo PRIVILÉGIO de adquirir uma maça que seja apenas uma maça. Entende? E há quem engula o logro e jure a pés juntos que vale a pena. (sem entender a manipulação a que está sujeito e a inversão de direitos de consumidor).

    Adiante que já estou a expandir-me para temas mais ramificados :) Sobre os plásticos e as palhas, já foi proposta uma directiva europeia para a redução/eliminação do uso de plástico em produtos como palhinhas e cotonetes. Por isto é que digo que numa escala de hábitos individuais qualquer medida tem impacto. Imagina então se fizerem o mesmo com escovas de dentes! E tantos mas tantos produtos que podem facilmente ser substituídos por produtos amigos do ambiente. Palhinhas comprei recentemente as feitas em papel. São até mais giras e comprei-as pela beleza e potencial decorativo, mais do que pela finalidade com que foram feitas eheheh. No UK depois dessa directiva o "m" que as tinha expostas na bancada para cada qual tirar a quantidade que lhe apetecesse, passou a guardá-las no interior, só as distribuindo a quem as peça. Tal como as colheres em plástico para os gelados. Não sou ingénua: sei que parte dessa iniciativa deve-se a contenção de custos pois as pessoas agarram guardanapos (aquilo é mais plástico que papel o que ainda é PIOR), palhas e pacotinhos de tudo e mais alguma coisa às quantidades. Sem usar. De modo que eles reduzem bastante os custos ao distribuir numericamente o material pelo consumidor, impedindo este de usar o sistema self-service.

    Desculpa, divago por conceitos. Claro que só à segunda feira é quase anedótico. Mas não nos riamos já... pode ser o que precisam para dar o ponto de partida. Infelizmente não vamos nos livrar do plástico, porque até os automóveis deixaram de ser todos em chapa, para terem os para-choques e o interior todo em plástico. Tudo é plástico. Noutro dia via um filme e reparei como tudo era natural, quando o homem sentado na sua secretária, dispôs de recursos que necessitava sem ter caixas em plástico, pastas em plástico, porta-canetas em plástico, móveis em plástico. Não necessitamos de plástico para viver. Foi necessário para enriquecer poderosos mas não é necessário para a humanidade- a meu ver. Só abro excepções para casos de próteses e substitudos de orgãos e válvulas para o corpo humano. E já agora... esponjas.... sabes que são feitas com plástico? Nunca pensei do que era feito a esponja... Mas é plástico. Voltem os panos, que fazem melhor trabalho e são amigos do ambiente.

    Com o tempo - e por ser mais RENTÁVEL, o plástico vai ser reduzido. Outros produtos, maior variedade, vão aliciar os fabricantes com o seu potencial de rendimento. E é talvez mais por isso que o plástico vai desaparecer.

    A propósito: planeio fazer um post sobre este tema e os oceanos. Abordando a expo 98. Passaram-se 20 anos e como andamos nós com os oceanos? Pois...

    BFS

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lá volto eu ao Gorge Carlin, Portuguesinha.
      Esperemos que ele tenha razão e que a Terra tenha capacidade para se regenerar e entrar num novo paradigma - the Earth plus plastic.

      Eliminar
    2. Concordo com ele, Pedro.
      A Terra saberá regenerar-se sempre. Connosco nela é que é outra coisa. Vieram e foram os dinossauros, vão e vem em explosões, maremotos, furacões... todas as construções humanas ou da natureza. A terra expurga tudo como milhares de globulos brancos a atacar os seus anti-corpos. Se não nos portarmos melhor, nós somos os anti-corpos.
      Boa semana.

      Eliminar