31 de outubro de 2018

Auf Wiedersehen Frau Merkel



Os resultados das eleições no populoso Hesse deram o mote para o fim de uma era na Alemanha e na União Europeia.
Uma era que teve como grande figura política uma cidadã nascida no Leste da Alemanha que soube conquistar uma Alemanha reunificada depois da queda do Muro de Berlim.
E fazer da Alemanha o centro nevrálgico da política e economia da União Europeia.
Corajosa, determinada, carismática, Angela Merkel foi sucessivamente ultrapassando obstáculos para consolidar a sua imagem austera e de forte liderança.
Dezoito anos de liderança de um partido político, e treze como chanceler alemã, inevitavelmente provocam desgaste a nível pessoal e da imagem interna e internacional.
E Angela Merkel percebeu que é chegada a hora de dar a oportunidade a muitos dos seus contestatários de mostrarem o que realmente valem e são capazes de fazer.
Mas não imediatamente.
Seguindo o exemplo de Gerhard Schröder, Angela Merkel pretende abandonar a liderança da CDU mas manter-se no cargo de chanceler até ao final do mandato (2021).
A breve prazo, ou no ano de 2021, com a saída de Angela Merkel da chefia do governo na Alemanha é inquestionável que o país e a União Europeia, tão carente de lideranças fortes, vão entrar numa nova etapa da sua História.
Auf Wiedersehen Frau Merkel, a dama de ferro alemã.

40 comentários:

  1. Ainda é cedo para lhe dizer adeus. Fá-lo-emos em 2021 e com muita pena.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também acredito que seja só em 2021, Catarina.
      Lideranças na União Europeia?
      Cada vez menos.

      Eliminar
  2. Não sei se entre os seus contestatários haverá alguém capaz de se lhe assemelhar mas duvido.
    Merkel está na política de corpo e alma. Ela é política da cabeça aos pés, e cada vez mais os lideres dos países, parecem cair na politica de paraquedas.
    Abraço e feliz dia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ela é uma líder nata, Elvira Carvalho.
      Isso não se aprende, faz parte do ADN da pessoa.
      Só os grandes líderes, como Angela Merkel, conseguem dividir tantas opiniões.
      Os outros são mais ou menos indiferentes.
      Abraço, votos de um dia feliz também

      Eliminar
  3. Terá pensado Merkel que ante tantos dissabores políticos melhor seria sair de cena.
    Não deve tardar. 2021? Hummm, não me parece. A chanceler está farta e cansada.
    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Essa data foi adiantada por ela, António.
      Foi ela a dizer que queria cumprir o mandato de chanceler.
      Vamos aguardar e ver.
      Aquele abraço

      Eliminar
  4. Uma mulher lúcida e determinada, que penso saberá sair na hora certa.
    Ter alguém à altura dela para a substituir penso que será difícil.
    Os verdadeiros líderes, como é o caso dela, não se fazem, já nascem com o dom da liderança

    Beijos Pedro

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Exactamente, Manu, está no ADN, não vem nos livros.
      Complicado para a Alemanha e a União Europeia.
      Beijos

      Eliminar
  5. Muito dos movimentos populistas e de ultra-direita que está surgindo na Europa se pode dever a esta Senhora com a sua politica de austeridade durante alguns anos apadrinhado pelo Wolfgang Schäuble um homem com tiques nazis.
    Um abraço e continuação de uma boa semana.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    O prazer dos livros

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Poderá ser, Francisco.
      Eu inclino-me mais para as políticas de asilo e o desemprego.
      Aquele abraço

      Eliminar
  6. Sou suspeita em dizer que gostei muito do que o Pedro escreve aqui sobre a minha amiga Angie.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há muita gente que não gosta dela, Teresa.
      Mas parece ser mais que justo realçar que, numa época em que a ausência de lideranças é gritante, Angela Merkel terá sido a grande líder política dos anos mais recentes.

      Eliminar
  7. A Senhora saberá quando está na hora de sair;)) Gostei de ler.

    Festejem connosco, os: - "Doze meses de cumplicidade Poética.

    Bjos
    Votos de uma óptima Quarta - Feira

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Para já aponta para 2021.
      Lá mais para a frente veremos, Larissa Santos.
      Bjs

      Eliminar
  8. A que ousou bulir com os feriados de um país soberano, por o ver encostado à parede. Humilhou-nos! Não esqueço o seu estilo maternal a falar com um país mal comportado!! Talvez que seja essa a causa da nossa estabilidade presente.
    Em Espanha houve suicídios dos que foram despejados dos apartamentos que pagavam... Todos mal comportados...
    Se não desfez a União Europeia, pouco falta.
    PARA SEMPRE... 'PERSONA NON GRATA' EM PORTUGAL!!
    Beijinhos
    ~~~~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Repito o que já comentei, Majo - só os grandes líderes conseguem reunir amores e ódios.
      Os outros, os vulgares, passam despercebidos.
      Beijinhos

      Eliminar
    2. Não sei como a considera uma grande líder se colocou
      o seu país em recessão porque não pensou que os países
      mal comportados eram os primeiros importadores do seu
      país. Foi o resultado de colocarem uma física a decidir
      assuntos económicos... Eu que comprava sempre Opel...
      Merkel pensou que o dinheiro e poder lhe davam direito
      à supremacia...
      Nem gosto de pensar nela...
      Beijinhos
      ~~~~

      Eliminar
    3. Eu não disse que gostava dela, Majo.
      Não é uma grande líder?
      Então quem é?
      Beijinhos

      Eliminar
  9. Não a admiro embora admire ainda menos Margaret Tatcher, amiga pessoal de Pinochet.

    Quanto ao fim da carreira política, duvido muito que assim seja

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Angela Merkel não falou, que eu saiba, em fim de carreira política, São.
      Falou em deixar a liderança do partido e, a prazo, a liderança do governo.

      Eliminar
  10. Uma dama de ferro como diz o Pedro!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Determinação não lhe falta, Sami.
      Por isso conseguiu motivar tantos amores e ódios.

      Eliminar
  11. Quem vier para o seu lugar, que venha por bem...


    Isabel Sá
    Brilhos da Moda

    ResponderEliminar
  12. Respostas
    1. Por vontade dela, pelos vistos, até 2021.
      Como chanceler.
      Como líder do partido é que não.
      Beijos

      Eliminar
  13. Nada é eterno e a Chanceler já está cansada, Pedro! Foram muitos anos de desassossego, tem direito a um justo descanso. Penso eu, que de política não entendo muito.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Está desgastada, Janita.
      Isso já é visível há algum tempo.
      Estes resultados eleitorais, nada interessantes, e a contestação no interior do partido, foram a gota de água que fez transbordar o copo.
      Beijinhos

      Eliminar
  14. Pois é Pedro,
    quem lhes manda colocar a idade da reforma cada vez mais tarde ?!
    o que eu acho é que a senhora Angela Merkel, na medida do possível, é uma líder que pensa e atua em termos de Europa, mesmo que dedicando mais "carinho" para o seu país:)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não há nenhum líder que consiga colocar a União Europeia à frente dos interesses do país, Angela.
      Esse é um dos grandes dramas da União Europeia.

      Eliminar
  15. Tudo o que tem principio também terá fim. A senhora Ângela Merkel, está chegando ao fim do seu mandato. Portanto, compreende que está na hora de ceder as rédeas a outro cocheiro/a, que seja eleito/a pelos eleitores para conduzir a charrete!

    Tenha uma boa noite caro amigo Pedro Coimbra.
    Um abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O fim do mandato é só daqui a três anos, Amigo Eduardo.
      Mas Merkel está farta de contestação dentro do partido.
      E quer concentrar-se só na tarefa como chanceler deixando as lutas partidárias para outros.
      Aquele abraço

      Eliminar
  16. Não me deixa saudade nem admiração...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Merkel é daqueles líderes que suscitam amores e ódios, Magui.
      Só os grandes líderes conseguem isso.
      Os outros passam despercebidos.

      Eliminar
  17. Podemos não gostar dela mas é inquestionável que foi e é uma grande líder que unificou a Alemanha
    Bjs

    Kique

    Hoje em Caminhos Percorridos - Terapia de Grupo...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Exactamente, Kique.
      Agora os bjs e que ficaram a mais :))))))

      Eliminar
  18. Completamente de acordo... uma senhora da política e para a política.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma líder, Pedro Dinis.
      Que não deixa ninguém indiferente.

      Eliminar
  19. Frau Merckle deixou de ter o encanto que arrastava os decisores (e os "fazedores" de opinião e por arrastamento os eleitores) nos primeiros tempos. Eles mudaram ou já não são os mesmos. Schauble porventura já anda a comer farinha Amparo e ela para lá caminha.
    O que acontecerá na/à UE é uma incógnita difícil de imaginar, sem a Alemanha a puxar...
    Abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Macron já há muito tempo tem tentado ocupar esse lugar dianteiro, Agostinho.
      Não será fácil.
      Aquele abraço

      Eliminar