7 de fevereiro de 2018

Já imaginou viver com água racionada?


Ontem, ao chegar a casa para almoçar, fui confrontado com falta de água consequência de operações de limpeza no reservatório do prédio.
E a associação de ideias com as notícias que nos chegam da África do Sul (Cidade do Cabo) foi inevitável.
Três anos de seca, políticas ambientais e populacionais erradas, estão a deixar a Cidade do Cabo à beira de uma catástrofe.
A possibilidade de racionamento de água (25 litros por dia, por pessoa, quando a ONU aponta para um mínimo de 110 litros para satisfação de todas as necessidades do ser humano) é cada vez mais real.
Não imagino o que seja viver com água racionada (os dias que se seguiram ao tufão Hato foram uma experiência que espero nunca ver repetida).
Quase 4 milhões de pessoas, a população da Cidade do Cabo, enfrentam agora essa possibilidade.
Uma possibilidade que caminha para realidade a cada dia que passa.
Num Mundo cada vez mais louco, e dominado por loucos, a realidade está aí para esbofetear os negacionistas.
Nem é preciso dizer qual o mais célebre e mais irresponsável porque é de todos conhecido.
Acompanho Lewis Black e Bill Maher quando nos dizem que os Estados Unidos, depois de nos darem um Republicano criacionista (quando confrontado com as teorias evolucionistas George W. Bush ficou tristemente célebre ao proferir a frase “the jury is still out”), dão-nos agora um Republicano negacionista (as alterações climáticas também são “fake news”).
O que virá a seguir? 
Um Republicano que não acredita na lei da gravidade?
Enquanto estes dementes bolsam disparates há milhões de pessoas no Planeta a sofrer com aquilo que as luminárias insistem em negar.
Expliquem ao habitante da Cidade do Cabo, de garrafão na mão para poder recolher a sua ração de água, que não há erros políticos na base do drama que vive.
Só azar talvez misturado com um qualquer castigo divino.

44 comentários:

  1. Concordo em gênero, número e grau Pedro!
    Esses "desgovernos" espalhados pelo mundo acabam nisso. Enquanto não houver governantes de valor e políticas públicas que se 'interessem' de fato pelo povo e a preservação da natureza, infelizmente o fim não será nada confortável...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os maiores poluidores são os primeiros a fazer com a avestruz, Beatriz - enterram a cabeça na areia para não ver o que lhes entre pelos olhos dentro.

      Eliminar
  2. Uma situacao complicada na Africa do Sul! Espero bem que em anos futuros nao estejamos todos na mesma situacao devido as mas politicas. Aqui em Perth devido ao facto que chove pouco temos restricoes no use de agua - recomendam chuveiro de 3 min, nao lavar carros, regar jardins so em dias pre-determinados conforme o numero da casa, etc, mas acho que mesmo assim se consome mais do que os 110lt por dia...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pensamos sempre que estas tragédias só batem à porta do vizinho, Sami.
      Até ao dia que nos entram em casa sem aviso.

      Eliminar
  3. Pois é Pedro,
    Parece que ao inves do mundo
    e seus governantes
    estarem avançando/progredindo;
    eles regridem gritantemente a
    olhos vistos.A agua é necessite
    basica... Ou será que?
    Adorei a conversa.
    Bjins e/ou Abraço
    CatiahoAlc.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nos dias que se seguiram ao tufão Hato aqui em Macau houve vários locais que tiveram problemas com o abastecimento de água, Catia.
      Um deles foi o prédio onde trabalho.
      Um dia e meio sem água e foi o caos.
      Viver sem água ou com água racionada?
      Um pesadelo horrível.
      Beijinhos

      Eliminar
  4. It is said that biggest and most dangerous wars of the world will be on the occupation of water in the future

    God restored water recycle for man but as we all know that devil is incharge at the moment and it's favorite job is to create diseases ,epidemics and lack of basics for people from who feel threatened

    until then the common man realize the power of unity and take over the charge world will suffer with such serious problems

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. We already see some conflicts that have to do with water, the acess to water, baili.
      In the future, if and when water becomes even more scarce, the scale and number of conflicts is likely to escalate.

      Eliminar
  5. Infelizmente os problemas ambientais são secundários para os "senhores" que dominam o mundo, felizmente que há movimentos que não se calam e alertam para estas terríveis alterações.
    Um abraço e continuação de boa semana.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    O prazer dos livros

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Viver sem água ou com água racionada, Francisco?
      Dos maiores horrores que consigo imaginar.
      Aquele abraço

      Eliminar
  6. Acontece muito aqui no interior da Paraíba. É um Deus nos acuda! AbraçO

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Dois dias após o tufão Hato e foi um horror, Nidja Andrade.
      Nem quero imaginar uma situação semelhante e continuada.
      Abraço

      Eliminar
  7. Qualquer tipo de racionamento é terrível.
    Aproveitando a sugestão do Pedro, direi que gostava de ouvir a resposta do 'habitante da Cidade do Cabo'.

    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Apostava em algo de semelhante a ir para a casa do senhor Carvalho lá para os lados da ponte que partiu, António :(
      Aquele abraço

      Eliminar
  8. Continuo a não entender porque motivo o exemplo de Cabo Verde (Sal) não é seguido em Portugal e não só ....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tenho que ir procurar porque confesso que não sei quais são as medidas que estão a ser adoptadas em Cabo Verde.

      Eliminar
  9. Não imaginei. Mas pode muito bem acontecer. :) E já não estamos habituados a isso

    .
    Hoje; Do Gil, que por motivos profisionais está um pouco coindicionado às vsiitas. mas virá: :) * Exultação de um amor intenso*
    .
    Bjos
    Votos de uma boa Quarta-Feira

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nem quero habituar-me, Larissa Santoa.
      A água é fundamental para mim.
      É o sofrimento de quem não a tem é revoltante.
      Bjs

      Eliminar
  10. isso é realmente um problema sério. Aqui no RJ também temos problemas em relação a isso.
    Um grande abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se não tivermos juízo, e começarmos a precaver essa possibilidade, qualquer dia poderemos todos ter o mesmo problema, Vanessa.
      Um grande abraço também

      Eliminar
  11. nem quero pensar em tal situação em Portugal
    .
    * Exultação de um amor intenso *
    .
    Votos de um dia feliz

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Dois dia aqui deram para entrar em pânico, Gil António
      Aquele abraço

      Eliminar
  12. Dá que pensar e faz arrepiar, já este ano se viu camiões cisterna a distribuírem água pelas populações no nosso país rodeado de água, mas é salgada, eu nem quero imaginar chegar a essa situação da África do Sul.
    O meu abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A escassez de água será um dos piores males que podem afectar o ser humano, António Querido
      Aquele abraço

      Eliminar
  13. Eu sei o que é viver com esse racionamento...porque numa guerra civil há experiências que não se esquecem.

    Quando ouvi a notícia que relatas e que subscrevo totalmente o teu post...é caso para perguntar: com lunáticos no poder os mesmos, famílias e compadrio também sofrem racionamentos? E a quantidade de piscinas e banheiras cheias de espuma desaparecerão? A noticia mostrou bairros sem saneamento básico e água canalizada numa precariedade triste num país rico demais e pois é Pedro quem paga tudo...é o povo mais pobre. Só mostram e culpam quem não tem como se defender.

    Há que poupar água sim senhor, há que não poluir os rios...e olha lá o que aconteceu há bem pouco tempo no Tejo? Haverá culpados ou altos interesses apoiados e ou resguardados?

    Um abraço e um resto de boa tarde

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acredito que essa seja das tais experiências que não se esquecem pelos piores motivos, Fatyly.
      Uma desgraça que só quem viveu pode testemunhar.
      Um abraço

      Eliminar
  14. Caro Amigo Pedro Coimbra.
    Esta cruciante questão a afligir o pais africano serve de alerta para que tenhamos hábitos parcimônicos no consumo de água.
    Caloroso abraço. Saudações parcimônicas.
    Até breve...
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. As guerras do futuro não será travadas por causa do petróleo mas sim por causa da água, Amigo João Paulo de Oliveira.
      Aquele abraço

      Eliminar
  15. fala-se no controlo do clima pelos USA em 2025 Será que já esta a acontecer ?! ou por outros ?! nada para a ambição do homem !

    ResponderEliminar
  16. É horrível. Num ano de seca extrema, em Moçambique passei por isso.
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Só quem passa por isso sabe verdadeiramente dar valor, Elvira Carvalho.
      Abraço

      Eliminar
  17. Num gesto tão simples como abrir uma torneira, não nos apercebemos da riqueza e privilégio que isso é, nem tão pouco que existem milhares de pessoas a quem esse direito é negado.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Exactamente, Magui.
      O que para nós é um gesto normalíssimo para outras pessoas é um luxo que só em sonhos podem ter.

      Eliminar
  18. As pessoas só quando sentem as necessidades na pele dão valor aos bens essenciais, Pedro.
    Este verão prolongado, que por cá tivemos, se houve algo que mexia comigo, era ver as pessoas, aqui da rua, lavarem o passeio na frente da sua casa, com mangueira, desbaratando água a rodos. Por que não varriam, simplesmente? Nunca compreendi isso. Viver com água racionada é, deve ser, horrível, muito pior do que o racionamento de pão. Digo eu que, felizmente, nunca passei por nenhuma dessas situações, mas penso nelas.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A água está mais que provado é absolutamente essencial, Janita.
      E preciosa.
      Beijinhos

      Eliminar
  19. Olá Pedro

    Também não imagino o que seja viver com água racionada...

    por culpa de uns pagam os outros
    sempre foi assim e sempre será.

    Continuação de uma ótima semana!

    Comecei um Fevereiro muito preenchido
    daí que há algum tempo que não ia aos meus blogues
    nem aos blogues dos amigos

    Finalmente consegui um pouco de TEMPO LIVRE
    e SOSSEGO para me concentrar
    e fazer um post sobre o evento de sábado passado
    está aqui:

    http://momentos-perfeitos.blogspot.pt/

    Espero que goste, Tulipa

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O papoila agora ainda está mais estranho - envia-nos para um questionário da Google.
      Ninguém se queixou??

      Eliminar
  20. Com as alterações do clima num futuro proximo tudo sera possivel
    Abraço
    Kique
    https://caminhos-percorridos2017.blogspot.pt

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Infelizmente estes cenários são cada vez mais reais, Kique.
      Abraço

      Eliminar
  21. Há largos anos li uma resposta interessante a uma pergunta feita a um importante cientista !
    A pergunta era : "Imaginando que hibernaria agora, durante 100 anos o que gostaria de ter consigo quando liberto da hibernação?
    Resposta : "Que não me faltasse água potável" !
    :))
    Abraço :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A água é essencial à vida, Rui.
      Mais ainda que a comida.
      Não sou eu a dizê-lo, são aqueles que sabem destas questões.
      Aquele abraço

      Eliminar
  22. É uma ideia assustadora, mas que nestes últimos tempos anda bem presente. As secas persistentes são cada vez mais a nossa realidade.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E há um louco que nega as alterações climáticas, luisa...

      Eliminar