24 de maio de 2016

Uma revolução no Futebol Clube do Porto?


A disputa da Taça de Portugal pôs um ponto final na época futebolística 2015/2016.
Uma época, mais uma!!, de grande frustração para os adeptos do Futebol Clube do Porto (FCP).
Já são muitos anos sem ganhar nenhum troféu, já são muitos anos sem rumo, com uma política errática a nível directivo, com acumulação de erros, falta de classe e carácter a nível desportivo.
É fácil perceber quando, e como, o Porto caminhou de um clube de sucesso para o desastre que tem sido nestes últimos anos.
Tudo aconteceu quando o clube que baseava o seu sucesso na detecção de talentos que eram potencializados, tantas vezes com a colocação e amadurecimento em clubes de confiança, o clube que procurava jogadores identificados com o futebol português, que integravam o plantel e ajudavam à integração dos que vinham de fora, se transformou num entreposto de jogadores.
Ganhou-se muito dinheiro, gastou-se muito dinheiro, não se ganhou nada a nível desportivo.
Depois do que aconteceu nesta penosa época, com o devido  e simbólico epílogo nos patéticos golos sofridos na final da Taça de Portugal, há que repensar e reformular tudo.
Será correr um grande risco, o FCP pode ficar mais uns anos sem ganhar nada, mas têm que ser lançadas as bases para que se possam disputar todas as provas com dignidade e para que possa haver sucesso nem que seja só no futuro.
Como uma direcção recentemente reeleita não poderá haver grandes alterações a este nível.
Ainda assim seria de todo saudável que houvesse algumas...
Onde terá que haver profundas alterações é na vertente desportiva.
O actual plantel do FCP não tem qualidade, não tem raça, não tem comando.
E tudo terá que começar por aqui - um novo comando, um novo treinador.
Não faço ideia de quem poderá ser esse treinador.
Mas sei que terá de ser um treinador capaz de tomar decisões difíceis, um treinador corajoso, audaz, competente.
Tudo o que José Peseiro não é.
Um treinador que seja capaz de, na época de 2016/2017, promover a "limpeza de balneário" que Artur Jorge soube fazer na sua segunda passagem pelo FCP.
Na minha qualidade de adepto, e de "treinador de bancada", fica a sugestão do que e de quem dever "limpo":
Dos guarda-redes actualmente existentes no plantel, será apenas aconselhável manter os jovens (José Sá e Raul Gudiño).
Ambos, ou apenas um, dependendo de quem for contratado.
Porque pelo menos um grande guarda-redes, um guarda-redes que ganhe pontos, um guarda-redes que tendo só de fazer duas ou três defesas num jogo não falhe nenhuma, terá que ser contratado.
Helton poderá perfeitamente fazer parte da nova equipa técnica, Casillas deverá procurar outros destinos depois do Europeu, a única razão para o espanhol ter vindo representar o Porto, e com resultados decepcionantes.
No sector defensivo poderão ser mantidos dois laterais, Maxi e Layun (se saírem também não será catastrófico).
Todos os centrais actualmente ao serviço do Porto, mais Maicon e Diego Reyes, não deverão ser mantidos.
Não têm qualidade, não têm estatura e estrutura para jogar no FCP, ainda para mais num sector que foi sempre referência no clube.
No meio-campo estará muito do que será o futuro mais próximo do FCP.
O novo FCP terá de ser construído à volta de jogadores como Ruben Neves, André André, Danilo, Sérgio Oliveira, este último com algumas reticências.
E com o único avançado que julgo ser de manter - André Silva.
Os restantes, incluindo Brahimi, cujo comportamento não se enquadra nada no que sempre foi e deve ser o Porto, deverão sair.
Há muitos jogadores emprestados, há muitos jogadores de talento na equipa B, terão de ser feitas contratações.
Sem espaço para erros nos jogadores e no treinador a contratar.
Uma revolução?
Sem dúvida!
Mas, depois de ter batido no fundo, só com uma revolução o FCP ganhador pode ser ressuscitado.

36 comentários:

  1. A disputa da Taça de Portugal pôs um ponto final na época futebolística 2015/2016 e espero que ponha um ponto final nesta fraquinha e pior equipa que o Porto teve nas ultimas decadas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também eu, Francisco.
      Não é só a (falta de) valia técnica.
      É a atitude, a mentalidade, o profissionalismo.
      São raras as excepções (estão enumeradas lá em cima) a essa regra.

      Eliminar
  2. E não tenho qualquer dúvida que essa revolução vai acontecer! =)
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Assim seja, Chic'Ana.
      Chega de desgraças!
      Beijinhos

      Eliminar
  3. Pedro, eu como adepto do Benfica também quero ter um Porto forte. Isso só beneficia a qualidade do nosso campeonato. Não seria com Jesus, muito menos com Peseiro que essa revolução poderia começar. Na minha opinião, o melhor treinador que o Porto teve nos últimos anos foi Vítor Pereira. Foi campeão e mostrou não ter medo de Jesus. Infelizmente para os bons adeptos do Porto, foi injustiçado e saíu pela porta pequena, o que não merecia.
    Quanto ao plantel, foi de facto muito mal estruturado. Como é possível não haver um defesa central de qualidade reconhecida? E um organizador de jogo? Embora seja necessária uma revolução, parece-me difícil que suceda. Há demasiados jogadores de qualidade duvidosa (Suk, Marega...) com contratos de longa duração, o que não facilita nada as coisas.

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Como todas as revoluções esta também vai ser complicada, Carpe Diem.
      Mas tem que ser feita.
      Custe o que custar e a quem custar.

      Vitor Pereira foi sempre mal amado pelos adeptos do Porto.
      Ele que até conseguiu ser bicampeão.

      Não faço ideia quem será o próximo treinador.
      Mas tem que ser alguém com eles no sítio e capacidade.
      E com apoio da direcção.
      Veja o que aconteceu com Rui Vitória.
      Quando as coisas estavam a correr mal e era fácil deixar crucificar o treinador, Luís Filipe Vieira, tem que se reconhecer isso, deu o peito às balas e deu inteira confiança ao treinador.
      Ao mesmo tempo que passava mensagem para dentro e para fora que aquele é que era o líder.

      Aquele abraço

      Eliminar
  4. Pinto da Costa, com muitas mais pessoas, construiu uma visão e, aos poucos. colocou o seu projecto no lugar onde queria. Durante muito tempo, esteve no topo. O que não se sabe é se estes três anos sem ganhar o campeonato são sinal do término do projecto ou não.
    A verdade é com processos de sempre - discutíveis, polémicos, mas eficientes -, que deram resultado durante muito mais tempo do que outros - tem averbado os resultados que estão à vista de todos.
    A liderança tem disto.

    Uma renovação é exigível a curto prazo. Quem sabe, a começar pelo 'próprio presidente.

    Um abraço, Pedro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aí está um problema muito sério, António.
      A direcção foi reeleita ainda há meia dúzia de dias.

      Se não se pode mexer na direcção, mexia-se no plantel.
      E tem que ser uma mexida muito profunda.
      Há ali demasiada gente que não tem qualidades, nem técnicas nem humanas, para jogar no Porto.
      Não me importo de estar mais tempo sem ganhar se for para voltar ao paradigma antigo - jogadores que conhecem o campeonato, muitos que sentem o clube, complementado com outros que sejam muito bons.
      Sempre que o Porto apostou no jogador português, ou conhecedor do campeonato português, teve sucesso.
      Está-se à espera de quê para voltar a esse paradigma?
      Um paradigma que passava também por deixar sair dois/três jogadores para entrarem outros tantos.
      Há demasiado dinheiro a correr e demasiada ganância a alimentar, António.
      Isso ainda é o que mais enoja.

      Aquele abraço

      Eliminar
  5. Caro Amigo Pedro Coimbra.
    Na visitação que fiz à Invicta meu Padrinho Mor Rui Espírito Santo levou-me, bem como meu dileto Amigo Roberto Nunes Vieira para conhecermos a sede deste importante Clube Futebolístico.
    Caloroso abraço. Saudações futebolísitcas.
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um clube que anda a ser muito maltratado por gente sem qualidade para o servir, Amigo João Paulo de Oliveira.
      Aquele abraço

      Eliminar
  6. futebol.. eu gosto
    mas nem acompanho nada :(

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tenho 51 anos, sou portista, não me lembro de ver o Porto tão mal como agora, Sara com Café :(

      Eliminar
  7. Mais uma revolução, Pedro?

    Pedro, permita-me discordar consigo no que se refere a Miguel Layun e Chidozie (na defesa) e Sérgio Oliveira (Meio-campo)...quanto aos outros completamente de acordo.

    Já agora, o Presidente do clube também entra na lista de dispensas?

    Aquele abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mais uma revolução, Ricardo.
      O que o espanhol fez não foi uma revolução.
      Foi entregar o clube a um bando de protegidos sem qualidade, sem capacidade, sem carácter até, e alguns deles atados por arames.

      O presidente devia ser o primeiro a ser remodelado.
      Mas ainda agora foi reeleito.
      Fazer o quê??

      Quando eu digo sair não é estritamente dispensar, Ricardo.
      Muitos são mesmo para dispensar, para correr.
      Outros, como Chidozie, precisam de crescer.
      Sérgio Oliveira, com um bom treinador, pode ser um elemento muito válido num meio-campo todo português.
      Os dois laterais foram dos melhores, a par com os meninos, Danilo, André André (até se lesionar) durante toda a época.
      É à volta deles, e com gente como eles que o Porto deve ser reconstruído, Ricardo.
      E o seu nome faz-me recordar Ricardo (consegue-se recuperar??), Hernâni (sozinho é melhor que Varela e o outro mexicano que já nem me recordo do nome juntos), e mais uns meninos que andam aí a pedir que lhes seja dada uma oportunidade.
      Pior figura que a que esta gente fez aposto que não farão.

      Aquele abraço

      Eliminar
  8. Abstenho-me de comentar, pois não segui o percurso da Liga portuguesa sequer.

    Ainda assim, atrevo-me a dizer que é mais do que tempo de Pinto da Costa passar o testemunho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aí está um sério problema, São - foi reeleito para novo mandato muito recentemente.
      O homem eterniza-se no lugar.

      Eliminar
  9. Concordo em absoluto com tudo isso, desta vez, Pedro !
    Nunca concordei foi com aquela "meia solução" da substituição do espanhol, naquela altura e sem um "trunfo" claro nas mãos !
    Trocar só por trocar e para pior (apenas para fazer a vontade à massa associativa e simpatizante), claro que não iria conduzir a nada que se visse ! :(
    Jorge Jesus, Mourinho, Vilas Boas, seriam parte da solução, mas inviável agora ! Seja como for e com quem for, tamanhas alterações (em tudo) vão exigir duas ou três épocas para implementar e sem ambição de novos títulos!
    Sem um Pinto da Costa dos bons velhos tempos (e sem outro à vista), sem um treinador capaz, sem um plantel (do qual apenas se aproveitarão 5 ou 6) torna-se uma tarefa muito difícil de levar a cabo ! :(

    Abraço ! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pinto da Costa tem aqui a oportunidade de ouro para demonstrar que mereceu a reeleição, Rui.
      Não sei como é que ele vai tirar um coelho da cartola mas tem que o fazer.
      Arriscando estar mais uns anos sem ganhar nada se não acertar em cheio no treinador, nas dispensas, nas contratações.
      Ficar como está é que não pode ser.
      Absolutamente patético o que aconteceu na final da Taça de Portugal depois de uma época cheia de disparates.
      Aquele abraço

      Eliminar
  10. Espero dias melhores, Pedro, frustração com o FCP e com o FORTUNA Düsseldorf.

    Abraço da amiga de longe.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Fortuna esteve no mata/mata, ematejoca.
      O Porto andou a penar um ano inteiro.
      E a fazer-nos passar vergonhas.
      Um abraço do Oriente

      Eliminar
  11. Eu nem quero pensar em que estado está o meu clube.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Temos que pensar e agitar as águas para ver se aquela porcaria (roubo a expressão ao Carlos Queiroz) muda.

      Eliminar
  12. Lembra-se do que eu lhe disse quando foram buscar o Peseiro?Eu não gostava do Lopetegui, que na minha opinião destruiu a equipa, para trazer para cá meia equipa espanhola. Mas mandá-lo embora e ir buscar um treinador como Peseiro, foi um erro maior.
    Agora vamos ver o que o presidente faz. E esperar que não estejamos ainda no começo da travessia do deserto.
    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Peseiro conseguiu a proeza de ainda fazer (muito) pior que o Lopetegui, Elvira Carvalho.
      Convenhamos que não é fácil!!
      A época que aí vem vai ser determinante no futuro a curto e médio prazo do Porto.
      Um abraço

      Eliminar
  13. estava a pensar nisso, enqto lia o texto - uma revolução no FCP. os cavalos também se abatem, nome de livro célebre, e que se adapta tb ao futebol.

    Agradeço visita e comentário.

    Beijo e boa semana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vamos ver se há coragem e pessoas para promover essa necessária revolução, CÉU.
      Beijo e boa semana também

      Eliminar
  14. Coimbramigo

    Penso que vou bater na mesma tecla que bastantes dos teus (bons) comentadores já usaram. Mas, quem dó que tem...

    Uma revolução (como lhe chamas) tem, normalmente, diversos fins; o principal é o de tirar do trono do Poder a quem há muitos o usa. Clausewitz entre diversos autores, para mim é quem o expressa melhor.

    Não querendo comparar casos e causas diferentes quem deve ir-se embora é o dinossauro que dá pelo nome de Jorge Nuno Pinto da Costa; sabe-lo tu e sabem-no muitíssimos mais que não gosto dele nem uma pinguinha. Porquê? Por muitos motivos (um dos quais é o meu... que um dia contarei) mas principalmente porque odeio ditaduras e ditadores.

    O projecto que elaborou teve muitos e excelentes resultados; mas não foram milagres - nos quais também não acredito... - foi o Zé do Boné, ou seja o José Maria Pedroto. Este sim foi um homem extraordinário para os portistas e para o futebol português!

    Mas a direcção foi reeleita há pouco, pouquíssimo tempo... E depois? Que tem o cu com as calças? Para que se fizeram, fazem e farão as revoluções? Ver parágrafo acima... Depois de desalojado o homem que continua a julgar-se o dono do FCP, o homem que tem o arrojo de pensar (e de dizer) o FCP sou eu, há que tratar com luvas de seda o que fazer de directores, equipas técnicas, não técnicas, assessores, bandos de esclavagistas, vulgo agentes FIFA e jogadores...

    Mas nessa estória e branca azul não entro, nem quero entrar; eu sou da estória verde e branca. E já me chega.

    Deixo-te este test..., depoimento sem pretender auxiliar; é só para alegrar a malta que é aquilo que mais falta

    Bjs tripartidos às tuas minínas e abç para tu

    Leãozão

    E muito obrigado para já teres cumprido o sugerido: foste à Nossa Travessa

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. FerreirAmigo,
      Quem é que vai correr com o Pinto da Costa?
      Os mesmos tolos que o reelegeram há meia dúzia de dias??
      Aí é que ele poderia ter sido corrido.
      Mas nem concorrência teve...
      Se não se pode mexer na direcção, e acredita que eu mexia, ora se mexia!!!, tem que se mexer na equipa.
      E virar aquilo do avesso.

      Eliminar
  15. Acrescentava ainda um nome ao meio campo, Pedro: Josué. Um portista de têmpera que vai regressar no início da época.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Josué é portista, é muito bom tecnicamente, mas só pode funcionar com um treinador que o discipline, Carlos.
      Dentro e fora do campo.
      Porque o rapaz pensa com os pés.

      Eliminar
  16. Uma grande decepção...
    Nunca pensei que não conseguissem ganhar este último jogo.
    bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Infelizmente não me surpreendeu, papoila.
      Depois de época horrível que fizeram, aqueles golos absolutamente ridículos até parecem normais.
      Bjs

      Eliminar
  17. Futebol? Futebol Clube do Porto? Pois, pesco pouco ou nada e não costumo comentar posts de bola, para não entrar em conflitos desnecessários, como já aconteceu noutros tempos... :P

    Beijoca!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não é não fala política, é não fala futebol, não é, Teté? :))
      Beijocas

      Eliminar
  18. No ponto!
    A proposito, o Pedro sabe o que é que o Pintor da Costa e o José Eduardo dos Santos têm em comum? Ambos são presidentes e têm o rabo atado...

    Abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hoje há para aí notícias que dão Marco Silva como o novo treinador do Porto.
      Seria uma aposta curiosa.
      Vamos ver...
      Aquele abraço

      Eliminar