28 de agosto de 2014

Coincidências hoje, realidades amanhã?


Nada como umas apetitosas frases feitas para começar a desenvolver um raciocínio - a vida é feita de coincidências e o que hoje é verdade amanhã pode ser mentira, por exemplo.
Só pode ser coincidência o facto de, quase em simultâneo, o Banco Barclays apresentar como solução para a escassez de mão-de-obra em Macau a abertura das fronteiras a trabalhadores não-residentes provenientes de Zhuhai e o Governo Central anunciar a abertura 24 horas por dia da fronteira do Parque Industrial Transfronteiriço Zhuhai-Macau para permitir a passagem de trabalhadores de Guangdong e Macau.
Mas, esclarece Chan Meng Kam, o conceito de trabalhadores de Guangdong e Macau é limitado às pessoas que trabalham ou estudam em Zhuhai e Macau.
Pois, para ponto de partida não está mal, não senhor.
Também só pode ser coincidência que, ainda em simultâneo, os croupiers dos casinos andem em manifestações dia sim, dia não, supostamente para se baterem por melhores salários.
E eu até pensava que era o dinheiro que mais os motivava.
Mas, quando leio declarações atribuídas a manifestantes no sentido de verem em forma de lei a promessa de Chui Sai On de não importar croupiers para os casinos de Macau, tenho que pensar que efectivamente o que ontem parecia ser verdade hoje já parece ser mentira.
E, já que estamos em maré de frases feitas, dá vontade de comentar que croupier que tem cu tem medo.

14 comentários:

  1. Pois... estamos em pleno mercado globalizado e sem ética, como dizia ontem Adriano Moreira , para quem não podemos perder valores nem princípios...e é isso que está acontecendo.

    E claro que o Barclays também não ganha nada com o assunto!

    Tudo de bom, Pedro

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E o mais curioso acaba por ser ler as opiniões destes especialistas.
      Dizem coisas que deixariam La Palice corado.
      E depois apresentam a conta.
      Como dizia o Jorge Valdano, só me apetece rir, rir, rir.
      Tudo de bom também, São

      Eliminar
  2. Respostas
    1. De geração espontânea, Ricardo.
      Mais ou menos como os furúnculos :))
      Aquele abraço!

      Eliminar
  3. Caro Amigo Pedro Coimbra!
    São tarimbados.
    Caloroso abraço! Saudações mercantilistas!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Parecem fotocopiados, Amigo João Paulo de Oliveira
      Grande abraço!

      Eliminar
  4. Ai a concorrência!

    Rosa dos Ventos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concorrência para uns (inesperada) e falta de concorrência para outro (perniciosa), Rosa dos Ventos.

      Eliminar
  5. Estou enganado ou reina a desorientação, Pedro?
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Completa, António.
      Por estes dias é a parvoeira total.
      Aquele abraço

      Eliminar
  6. A politica de mãos dadas com o poder económico ou namoro inverso.

    Vai dar tudo ao mesmo.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Com uma situação política conturbada aqui e em Hong Kong, Pérola.
      Vamos ver os que nos reserva o dia de domingo dos dois lados.
      Beijinhos

      Eliminar
  7. Já tinha comentado este poste mas perdeu-se a prosa por razões que desconheço.
    A tão prezada harmonia que o Pedro tem referido neste espaço é torpedeada por um "direito" a que povo chama a "lei do funil". Será isto?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A harmonia, por estes dias, anda pelas ruas da amargura, Agostinho.

      Eliminar