18 de dezembro de 2012

Sermão do Bom Ladrão (Padre António Vieira)


Não são ladrões apenas os que cortam as bolsas. Os ladrões que mais merecem este título são aqueles a quem os reis encomendam os exércitos e as legiões, ou o governo das províncias, ou a administração das cidades, os quais, pela manha ou pela força, roubam e despojam os povos.

Os outros ladrões roubam um homem, estes roubam cidades e reinos; os outros furtam correndo risco, estes furtam sem temor nem perigo.
Os outros, se furtam, são enforcados; mas estes furtam e enforcam.

18 comentários:

  1. Estimado Amigo Pedro Coimbra,
    Linda e profunda parábola bem atual.
    Nos dias que correm temos os ladões de colarinho branco e os políticos.
    Abraço amigo

    ResponderEliminar
  2. Um sermão bem actual, não é, Amigo Cambeta?
    E, ouso dizê-lo, universal.
    Aquele abraço!

    ResponderEliminar
  3. Padre António Vieira não destoaria se vivesse nesta década.

    ResponderEliminar
  4. Catarina,
    Repito o que respondi acima - actual e universal.

    ResponderEliminar
  5. Esse padre foi um homem com uma mentalidade extremamente avançada para a época em que viveu. Actualmente a maioria dos homens tem o cérebro demasiado atrasado para a época em que vivem. :-)
    Um grande abraço

    ResponderEliminar
  6. A clarividência do Padre António Vieira, ainda hoje, é impressionante, L.O.L.
    Aquele abraço!!

    ResponderEliminar
  7. Desde tempos imemoriais que é assim. Faz parte da natureza humana essa universalidade. Infelizmente!

    ResponderEliminar
  8. A actualidade, e universalidade, deste sermão do Padre António Vieira surpreende, Carlos.

    ResponderEliminar
  9. O Pe. António Vieira foi um expoente, o príncipe dos oradores católicos. Era jesuíta e os jesuítas em regra são muito cultos.

    ResponderEliminar
  10. Caro Amigo Pedro Coimbra!
    Atualíssimo...
    Caloroso abraço! Saudações inconformadas!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Diadema-SP

    ResponderEliminar
  11. Muito atual, quase quatro séculos depois! Será que algum dia esta ladroagem chegará ao fim? Infelizmente, duvido! ;)

    Beijocas!

    ResponderEliminar
  12. Sublime!
    Catarina sou fã incondicional do Padre António Vieira.
    Este sermão tem muito que se lhe diga.
    beijinho grato! :))

    ResponderEliminar
  13. FireHead,
    Acho que sabe que estudei 5 anos num colégio de jesuítas, os dois primeiros só com homens.
    Mais, a minha vida inteira, e do meu pai, foi marcada pelos jesuítas.
    Por isso mesmo, quando casei, quando baptizei as minhas filhas, quis que fosse um jesuíta a celebrar as cerimónias.
    Conhece o Padre luís Sequeira?
    Foi ele.
    Mais que tudo, um amigalhaço.
    Curiosamente (o Mundo é tão pequeno!!) estudou no mesmo colégio onde eu estudei.
    Gente de uma cultura invejável.

    Prof. João Paulo de Oliveira,
    Correndo o risco de me repetir, actual e universal
    Aquele abraço!

    Teté,
    Duvidamos, pode deixar no plural.
    Beijocas!

    ana,
    Catarina? Catarina?? :))))
    Quem é que não fão da sabedoria do Padre António Vieira, pergunta aqui .......o Pedro? :)))
    Beijinho

    ResponderEliminar
  14. Incrivelmente actual, lembro-me daquela situação que ocorreu no ano que passou em que um individuo roubou um polvo num supermercado e foi logo a julgamento e condenado, e os que roubam millões arrastam os processos até à exaustão e ainda não vi nenhum ser condenado, é triste mas é a realidade que nos acompanha, e não é só do tempo do Pe Vieira nem só de agora parece uma constante demasiado inerente ao ser humano.

    ResponderEliminar
  15. Olá Pedro, Boas Festas... eu pergunto: o Pe. António Vieira era um visionário e escreveu sobre o futuro ou terão os homens de hoje decidido inspirar-se nas suas afirmações?

    Passando para outro assunto, até Nicolau Santos pede desculpa por se deixar enganar e consequentemente iludir os seus leitores, como se pode ver a seguir e ler mais sobre o artigo seguindo o link posterior:

    "O Expresso, e eu em particular, errámos ao dar como adquirido que a informação que nos estava a ser prestada era fidedigna e não carecia de confirmação. Pelo facto, peço desculpa aos leitores e aos espectadores por este falhanço profissional inadmissível ao fim de 32 anos de jornalismo."

    Ler mais: http://expresso.sapo.pt/o-expresso-e-artur-baptista-da-silva=f775848#ixzz2G6Zo6dts

    Como se pode constatar, acontece a qualquer um por mais avisado que esteja, mesmo que seja profissional!

    Abraço
    Bom Ano

    ResponderEliminar
  16. Uma boa pergunta, João Guerreiro.
    Não tenho a resposta, mas tenho a impressão que o Padre António Vieira era mesmo um visionário.
    Que não quereria sequer proximidade com estes víagaros de algibeira.

    Amanhã vou deixar aqui um post acerca da situação caricata em que se viu envolvido o Nicolau Santos e muitos outros.
    Acontece :))

    Boas Festas para si e família!

    ResponderEliminar
  17. Alguem pode me responder qual o enredo, tempo e espaço que são encontrados no sermão do bom ladrão?

    ResponderEliminar