21 de setembro de 2012

O emigrante

Da mala de cartão ao saco de canudos .... meio século de evolução!


15 comentários:

  1. Este cartoon está muito bem apanhado.
    Há cinquenta anos a Alemanha só queria emigrantes para os trabalhos que os alemães não queriam fazer, hoje em dia a Alemanha só aceita emigrantes especializados, quer dizer, com uma óptima formação profissional.

    ResponderEliminar
  2. Um pouco assim por todo o Mundo, ematejoca.
    Aliás, para ser eficaz, o humor tem de ter correspondência com a realidade.
    Se não for assim, não passa.

    ResponderEliminar
  3. Caro Pedro Coimbra
    Era suposto que o cartoon me fizesse rir. Mas teve um efeito contrário. Fez-me sentir o drama de muita gente que conheço (nalguns casos muito de perto) de pessoas que já passaram a barreira dos 50 e não conseguem trabalho por cá e muitos menos emigrar, dada a idade. Sobre os Jovens licenciados o Luis Novais Tito escreveu uma parábola interessante usando a maçã como exemplo.

    Um grande abraço e bom fim de semana.
    Rodrigo

    ResponderEliminar
  4. Rodrigo,
    Este é um caso típico de humor negro.
    Porque retrata, de forma cruel até, uma realidade que todos podemos constatar.
    O problema mais sério está nessa faixa etária que o Rodrigo aponta.
    Porque, para os mais novos, os recém -licenciados, o problema põe-se de forma completamente diferente.
    Têm chegado tantos a Macau nos últimos anos!
    Gente com habilitações, que o país formou, com os quais gastou dinheiro, dispendeu recursos, e que deitou fora.
    Aquele abraço e votos de bom fim-de-semana

    ResponderEliminar
  5. É a vida, vivemos numa aldeia global, Pedro!

    Abraço

    ResponderEliminar
  6. Sem duvida, António.
    Humor negro.
    Mas muito (demasiado!!!) real.

    ResponderEliminar
  7. Não era suposto o 25 de Abril ter feito mudar isso? Estranho...

    ResponderEliminar
  8. Pelo menos houve uma enorme evolução ! eheheh
    .

    ResponderEliminar
  9. Mudou e de que maneira, FireHead.
    Esta aí a prova.


    Rui,
    Já viu o que o pais esta a desperdiçar?
    Em recursos e em talentos?

    ResponderEliminar
  10. O problema é que os de hoje ficarão por lá ! ... enquanto que os de antigamente regressavam bem endinheirados e aplicavam os seus patacos nas suas aldeias e isso trouxe desenvolvimento !

    Bom fim de semana !
    .

    ResponderEliminar
  11. Rui,
    Eu sou um bom exemplo disso.
    Supostamente, vim para aqui dois anos.
    Faz 17 no dia 1 de Outubro.
    E são só os primeiros 17.
    Bom fim-de-semana!!

    ResponderEliminar
  12. Esse cartoon desperta um sem número de emoções (sim eu sou emotiva), por um lado a nuvem negra que aparentemente paira sobre nós, porque parece que temos de ir para fora para termos o reconhecimento que não encontramos cá dentro, isto já não se trata só de crise, se fizer uma pesquisa no iefp encontram-se anuncios em que oferecem tanto pelo trabalho de um farmacêutico como pelo trabalho de alguém para trabalhar numa gelataria, e também, já cheguei a ver, e isso foi passado em noticiário um anuncio para um pedreiro a oferecer 900€ (com tudo o respeito pelos pedreiros) e a oferecerem 700€ a um engenheiro civil... Ou seja, começa-me a parecer que isto não se trata só de crise, trata-se da maldade de querer explorar quem tem ânsias de trabalhar na área em que se formou.

    A segunda emoção que me desperta o cartoon, é boa, pois afinal de contas se a Alemanha e outros países importam mão de obra qualificada de Portugal é porque afinal somos bons, certo?

    Enfim... Devaneios :)

    ResponderEliminar
  13. Eu sabia dessas ofertas descabidas, Catarina.
    Passos Coelho não teve tacto quando afirmou que sair do pais pode ser uma boa oportunidade.
    Eu sou testemunha que pode.
    Mas não se pode dizer da maneira que ele disse.

    ResponderEliminar