12 de setembro de 2012

Dois jogos, duas vitórias. É bom!



Depois da sofrida vitória no Luxemburgo (2-1), consequência de uma sofrível exibição, ontem uma vitória mais folgada (3-0) desta vez com o Azerbaijão como adversário.
Duas selecções muito fracas, a ocuparem lugares muito modestos no ranking da FIFA (salvo erro, ambas abaixo do número cem) não serão propriamente teste fidedigno para apurar o que vale esta selecção que Paulo Bento quer levar ao Mundial sem sobressaltos.

Ainda assim, depois destes dois jogos, algumas conclusões se podem retirar:
- Paulo Bento é um bom timoneiro e é, como sempre foi, um homem de coragem. Que dá a cara e assume responsabilidades quando as coisas não correm tão bem, que deixa o brilho para os jogadores quando correm melhor;
- Essas características do seleccionador fazem com que haja bom ambiente na, e em volta da, selecção;
- Ontem, de forma inteligente, Paulo Bento até aproveitou para lançar em jogo Éder e Ruben Amorim, dois jogadores "da casa", de um Braga que é agora a equipa que mais jogadores dá à selecção nacional (quem diria??!!);
- A base da selecção está construída (Paulo Bento gosta pouco de grandes mexidas e gosta de grupos coesos);
- E percebe-se que os jogadores se sentem bem quando representam a selecção nacional (que diferença para um passado recente!!);
- Entre os jogadores, há ali gente que ainda não tem a cabeça no sítio. E que, por isso mesmo, não rende o que podia/devia. Nani é o exemplo mais gritante. Alex Ferguson há muito que perdeu a paixão pelo extremo português. Colocou-o no mercado, dá a entender que Nani não vai ser muito utilizado e que ganha mais do que aquilo que merece. E foi o elevado salário que fez abortar no último momento uma transferência para o Zenit, depois de já ter feito abortar mais uma série de hipóteses. Neste turbilhão, Nani nem no conforto da selecção rende o que dele se espera.

No jogo de ontem, a selecção viu-se afectada por uma atracção fatal pelos ferros da baliza (cinco bolas nos ferros!!).
Mas nunca se desorientou, nunca se desuniu, nunca se enervou.
Muito menos perdeu a cabeça.
E os golos chegaram com naturalidade.
Foram três, podiam ter sido muitos mais.
Segue-se agora uma viagem à Rússia, teoricamente o adversário  mais forte, e directo, da selecção portuguesa.
Com o que se tem visto desde que Paulo Bento pegou na equipa, com uma base que se mantém virtualmente inalterada, com bom ambiente dentro do grupo e à sua volta, para além de bons jogadores, afirmo sem dúvidas - acredito nesta selecção!

RESULTADOS E CLASSIFICAÇÕES NOS GRUPOS DE APURAMENTO EUROPEUS:

GRUPO A
Sérvia-País de Gales, 6-1
Bélgica-Croácia, 1-1
Escócia-Macedónia, 1-1

Classificação: Sérvia, Bélgica e Croácia, 4 pontos/2 jogos; Escócia, 2/2; Macedónia, 1/2; Gales, 0/2

GRUPO B
Bulgária-Arménia, 1-0
Itália-Malta, 2-0

Classificação: Bulgária e Itália, 4 pontos/2 jogos; Arménia, 3/2; Rep. Checa e Dinamarca, 1/1; Malta, 0/2.

GRUPO C
Suécia-Cazaquistão, 2-0
Áustria-Alemanha, 1-2

Classificação: Alemanha, 6 pontos/2 jogos; República da Irlanda e Suécia, 3 pontos/1 jogo; Áustria e Ilhas Feroé, 0/1; Cazaquistão, 0/2

GRUPO D
Roménia-Andorra, 4-0
Turquia-Estónia, 3-0
Hungria-Holanda, 1-4

Classificação: Roménia e Holanda, 6 pontos/2 jogos; Hungria e Turquia, 3/2; Estónia e Andorra, 0/2.

Grupo E
Chipre-Islândia, 1-0
Noruega-Eslovénia, 2-1
Suíça-Albânia, 2-0

Classificação: Suíça, 6 pontos/2 jogos; Albânia, 3/1; Noruega, Islândia e Chipre, 3/2; Eslovénia, 0/2.

GRUPO F
Israel-Rússia, 0-4
Irlanda do Norte-Luxemburgo, 1-1
Portugal-Azerbaijão, 3-0

Classificação: Rússia e Portugal, 6 pontos/2 jogos; Azerbaijão, Israel, Luxemburgo e Irlanda do Norte, 1/2.

GRUPO G
Bósnia-Herzegovina-Letónia, 4-1
Eslováquia-Liechtenstein, 2-0
Grécia-Lituânia, 2-0

Classificação: Bósnia e Grécia, 6 pontos/2 jogos; Eslováquia, 4/2; Lituânia, 1/2; Liechenstein e Letónia, 0/2.  

GRUPO H
São Marino-Montenegro, 0-6
Polónia-Moldávia, 2-0
Inglaterra-Ucrânia, 1-1

Classificação: Inglaterra, Polónia e Montenegro, 4 pontos/2 jogos; Ucrânia, 1/1; San Marino, 0/1; Moldávia, 0/2.

GRUPO I
Geórgia-Espanha, 0-1
França-Bielorrússia, 3-1

Classificação: França, 6 pontos/2 jogos; Espanha, 3/1; Geórgia, 3/2; Finlândia, 0/1; Bielorrússia, 0/2.

16 comentários:

  1. Dois jogos, duas vitórias. É muitíssimo bom!
    Uma vez que Portugal não vencia os dois primeiros jogos da qualificação para um Mundial desde 1986.

    Eu torcia pela Áustria, mesmo sabendo, que só um milagre lhe daria a vitória.

    ResponderEliminar
  2. Eu sou muito exigente, ematejoca.
    Para ser muitíssimo bom tinha que ser com muitos golos.
    Porque podem vir a revelar-se importantes.
    Mas estou contente e confiante.
    Com o Paulo Bento tudo mudou.
    Par MUUUUUUUITO melhor!

    ResponderEliminar
  3. Estimado Amigo Pedro Coimbra,
    Como ex-treinador de futebol, hoje treinador de bancada, vou ser sincero e concordo plenamente com suas sábias palavras.
    O treinador dá o que pode, os dois jogos resultaram em duas vitórias o que muito bom, porém as exibições deixaram muito a desejar.
    Veremos nos seguintes jogos com equipas mais fortes se os jogadores darão outro rendimento, caso contrário as estrelas apagadas terão que regressar aos seus clubes.
    Abraço amigo

    ResponderEliminar
  4. Amigo Cambeta,
    Princípio de época, muita gente andou com a cabeça à roda e com a casa às costas por causa do mercado de transferências, já é bom.
    E a equipa transmite confiança que é o mais importante.
    Aquele abraço

    ResponderEliminar
  5. Gostei da exibição, da eficácia (inclusive, na que se refere ao tiro ao poste), da disponibilidade do "tristonho" (ontem, fez uma exibição para a equipa), enfim, as partes que vi gostei (estava a ver o Inglaterra-Ucrânia)e, como tal, hoje "não bato" na selecção, Pedro!!! :DDD

    Aquele abraço!

    P.S. - Como aqui já alguém disse, Pedro, e eu corroboro aprecio muito os seus comentários sobre futebol, assim, mais ou menos, como ...os meus!!! :DDD

    ResponderEliminar
  6. Eu acredito nesta selecção, Ricardo.
    Há ali uma aura positiva, bom espírito de grupo.
    Quando isso existe, e há bons jogadores, o sucesso é provável.

    Nós, apesar de sermos adeptos de clubes rivais, somos inteligentes e educados, Ricardo.
    Como tal, é natural que os nossos "bitaites" tenham algum interesse :))

    Aquele abraço

    ResponderEliminar
  7. E logo de seguida 3 a 0 à Itália em Hoquéi em patins :)

    Beijinho

    ResponderEliminar
  8. Não vi o jogo na íntegra.
    Do que vi não desgostei mas, já foi dito, com adversários deste (fraco) nível até eu meto golos.

    Bolas nos postes? Mas não são os postes o limite das balizas?
    Atirar ao poste não é proeza. A menos que seja sinal de uma tendência atacante e rematadora.

    Já em Outubro receberemos aquela que é, quanto a mim, a selecção mais forte: Rússia.
    E aí, os serviços mínimos de ontem não vão chegar.

    Só acredito na selecção, em termos de apuramento, porque a não ser os russos, não vejo mais ninguém que possa pôr em perigo o apuramento lusitano.
    Mas, é bom lembrar, qualquer das outras selecções é mais forte do que o Luxemburgo e o Azerbaijão.

    Abraço

    ResponderEliminar
  9. Catarina,
    Será que, finalmente, vamos conquistar um título que nos foge há muitos anos?


    António,
    Independentemente dos adversários, eu acredito nesta selecção.
    Agora as pessoas estão nos lugares que deviam estar.
    E há uma equipa, grande espírito.
    Têm em mim um fã.
    Aquele abraço

    ResponderEliminar
  10. Pedro
    Hoje passo apenas para deixar o meu beijinho e uma flor!
    Um pouco afastada por motivos de saúde da minha mãe.

    Beijinho e uma flor

    ResponderEliminar
  11. A 12 de Outubro, na Rússia, as contas podem ficar mais claras. Um empate pode garantir-nos o 1º lugar do grupo, se não fizermos asneiras nos jogos fáceis.

    ResponderEliminar
  12. Adélia,
    Depois do que acabo de ler no Facebook......foi a sua mãe?
    Beijinho grande desde Macau


    Carlos,
    A equipa está forte.
    Não acredito que cometa as asneiras que vimos noutras ocasiões.

    ResponderEliminar
  13. Concordo inteiramente. Gostaria de ver Paulo Bento dar uma oportunidade a Vaz Tê.

    ResponderEliminar
  14. VICI,
    Se as coisa forem correndo bem, lá mais para a frente acredito bem que seja possível

    ResponderEliminar
  15. Pedro
    Não, não foi a minha mãe.
    Foi uma grande amiga minha com 47 anos, mãe de um menino e uma menina de 17 e 12 aninhos, parecia vender saúde, um dia acordou com uma perna dormente, isto à 3 meses, um tumor na cabeça que lhe roubou o direito de viver.

    Beijinho e uma flor

    ResponderEliminar
  16. Que coisa horrível, Adélia.
    Que Deus a guarde e lhe permita que agora repouse em paz.
    Para si, um grande beijinho

    ResponderEliminar