14 de setembro de 2012

As praças dos outros (8)

Desafio que o Carlos lança tem sempre resposta positiva deste lado.
Desta vez, a escolha de uma praça que tenha marcado as nossas vidas.
Fica a minha escolha.


Hesitei entre a Praça da República (Coimbra), local de grandes boémias, de muitas estórias, de grandes memórias, e a Praça que marcou uma mudança total na minha vida.
Acabei por escolher o Largo do Senado, em Macau.
Aquele que é mesmo o Centro de Macau.
O local onde conheci Henrique de Senna Fernandes na primeira Feira do Livro que visitei poucos dias depois de ter chegado a Macau, o local de passeio obrigatório, sobretudo aos fins-de-semana, durante muitos anos.
Com a liberalização do Jogo, e a invasão de milhões de visitantes, feios, porcos e maus, o Largo do Senado perdeu grandemente a sedução que possuía.
Há vários anos que raramente por ali passo e, quando o faço, confesso que fico triste com o que vejo.
Porque a erosão da aura sedutora do Largo do Senado representa em pleno o que aconteceu a Macau após a liberalização do Jogo - a invasão da cidade por gente que não tem o mínimo de educação, civismo, hábitos citadinos; a venda de Macau a retalho.
Quem é que pagou maior preço?
Quem "comprou", ou os habitantes de Macau que assistiram, impotentes, à "venda"?

Bom fim de semana!!!

18 comentários:

  1. Como prometi, aqui estou de madrugada para saber o nome da praça, que o Pedro escolheu para participar no desafio do Carlos.

    A praça em Coimbra também conheço, mas em Macau não conheço nem esta, nem nenhuma praça.

    Fabuloso fim-de-semana, Pedro, visitando ou não, o Largo do Senado, em Macau.

    ResponderEliminar
  2. ematejoca,
    Não haverá visita ao Largo do Senado porque, hoje em dia, é intolerável.
    Ficam memórias bonitas, tardes bem passadas.
    Mas que são passado.
    Agora é uma balbúrdia, uma confusão insuportável.
    Fico no sossego da ilha da Taipa, sobretudo no sítio onde vivo qu parece que estou no campo no meio da cidade.
    Barulho, confusão, montes de gente, já basa durante a semana.
    Um fabuloso fim-de-semana para si também!!

    ResponderEliminar
  3. Estimado Amigo Pedro Coimbra,
    Inteiramente de acordo com suas sábias palavras.
    Para mim a Praça que me marca e continua a marca é aquela onde vivo a Praça de Lobo de Ávila, mas a primeira que me marou foi a Praça do Geraldo em Évora, cidade que me viu nascer e me desprezou, tal como a Praça do Leal Senado vendida sem dar-mos conta.
    Abraço amigo

    ResponderEliminar
  4. A Praça Lobo de Ávila também foi uma hipótese considerada, Amigo Cambeta.
    Porque foi aí que começou a minha aventura em Macau
    Mas o Largo do Senado tem (tinha) uma sedução especial.
    Aquele abraço e votos de bom fim-de-semana!

    ResponderEliminar
  5. Muito obrigado pela sua participação, Pedro.
    Quando aí estive pela última vez, também não gostei do que vi, mas continua a ser para mim um lugar com algum charme. Acreito, no entanto, que se ainda aí vivesse faria como o Pedro.
    Um grande abraço e bom fds

    ResponderEliminar
  6. Pois se me é permitido e para aliviar o stress de uma semana cheia de emoções, apostava numa outra praça cujo único defeito é ter o nome a atirar para o esverdeado: Praça de Alvalade (Lisboa).

    Um abraço com votos de bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  7. Carlos,
    Mas a sedução perdeu-se em grande parte.
    Porque estragaram o local.
    A equação é fácil:
    muita gente = muito dinheiro - qualidade de vida.
    Aquele abraço e votos de bom fds


    António,
    O Carlos teve (mais) uma boa ideia.
    Todos nós temos uma praça que marca as nossas vidas.
    Partiu daí o desafio.
    Com resultados muito interessantes.
    Aquele abraço e votos de um bom fim-de-semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Foi bom o Pedro ter esclarecido.
      Esta meu hábito de aligeirar tudo tem alguns inconvenientes.

      Sorry.
      Aquele abraço.

      Eliminar
    2. Sem problema nenhum, António.
      O seu comentário foi bestial.
      Pedir desculpa de que?
      Aquele abraco

      Eliminar
  8. Só as vivências na Praça da República davam um livro Pedro! E não falo de toda a nossa Coimbrinha falo mesmo só na Praça da República :)

    Com tempo colocarei a leitura em dia como já é meu costume, por agora passo mesmo só para deixar votos de um bom fim de semana.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  9. Estimado amigo Pedro Coimbra!
    Como deve ser deleitante flanar por esta praça!
    Caloroso abraço! Saudações divagadoras!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Diadema-SP

    PS - Tomei a liberdade de publicar na sua página do facebook um reclame antigo.

    ResponderEliminar
  10. Pedro passo para desejar um bom fim de semana!

    Beijinho e uma flor

    ResponderEliminar
  11. Catarina,
    Hesitei muito entre ambas.
    Entre a boémia, os amigos, as memórias de amigos que ficarão para toda a vida.
    E a mudança radical na minha vida, pessoal e profissional.
    Escolhi a última.
    Porque, em boa verdade, nunca fui tão feliz como aqui em Macau.
    Beijinho e votos de bom fim-de-semana


    Prof. João Paulo de Oliveira,
    Era, Prof. João Paulo de Oliveira, era.
    Agora já não é.
    Criar um local agradável, sedutor, é muito difícil.
    Estragá-lo é muito fácil.
    E estragaram o Largo do Senado.
    Aquele abraço e votos de bom fim-de-semana


    Adélia,
    Um beijinho e votos de bom fim-de-semana

    ResponderEliminar
  12. Com a liberalização do Jogo, e a invasão de milhões de visitantes, feios, porcos e maus, o Largo do Senado perdeu grandemente a sedução que possuía.

    Mas isso ainda se suportava... o pior foi mesmo depois da transformação do Macau português na RAEM.

    ResponderEliminar
  13. Eu não consigo suportar aquele balbúrdia, FireHead.
    É mais forte do que eu.

    ResponderEliminar
  14. Concordo plenamente com o seu cometario, eu qd estive nessa praça foi esse o sentimento que tive ....

    ResponderEliminar
  15. Concordo plenamente com o seu cometario, eu qd estive nessa praça foi esse o sentimento que tive ....

    ResponderEliminar
  16. TeKanelas,
    Mas não era nada assim.
    A Praço (Largo) do Senado era um sítio muito agradável, muito bonito, onde se passava e passeava com prazer

    ResponderEliminar