7 de setembro de 2012

A vingança do Joãozinho



A professora estava tendo dificuldades com um dos alunos.
(adivinha quem?) 

 
Joãozinho qual é o seu problema? 

 
 
Sou muito inteligente para estar no primeiro ano. Minha irmã está no terceiro ano e eu sou mais inteligente do que ela. Eu quero ir para o terceiro ano também! 

 
A professora, vendo que não vai conseguir resolver este problema, o manda para a diretoria. 

 
Enquanto o Joãozinho espera na ante-sala, a professora explica a situação ao diretor. O diretor diz para a professora que vai fazer um teste com o garoto. 

 
Como é certo que ele não vai conseguir responder a todas as perguntas, vai mesmo ficar no primeiro ano 
A professora concorda. Chama o Joãozinho e explica-lhe que ele vai ter que passar por um teste e o menino aceita. O Diretor pergunta para o Joãozinho: 
Joãozinho, quanto é 3 vezes 3? 
- 9.
  • - E quanto é 6 vezes 6? 
- 36. 
O diretor continua com a bateria de perguntas que um aluno do terceiro ano deve saber responder. Joãozinho não comete erro algum. O diretor então, diz para a professora: 
 - Acho que temos mesmo que colocar o Joãozinho no terceiro ano. 
 A professora diz: 
- Posso fazer algumas perguntas também
 O diretor e o Joãozinho concordam. A professora pergunta: 
 - O que é que a vaca tem quatro e eu só tenho duas? 
 Joãozinho pensa um instante e responde: 
 - Pernas. 
Ela faz outra pergunta: 
 - O que é que há nas suas calças que não há nas minhas? 
 O diretor arregala os olhos, mas não tem tempo de interromper...
 - Bolsos. (Responde o Joãozinho).
 Mais uma vez a professora o indaga com aquela malícia:
- Que parte do corpo da mulher que cheira peixe? 
O Joãozinho de bate-pronto já responde:
 - O nariz!
 Mais uma: 
- O que é que entra na frente na mulher e que só pode entrar atrás no homem? 
 Estupefato com os questionamentos, o diretor prende a respiração...
 - A letra "M". (Responde o garoto.)
 A professora continua a argüição: 
- Onde é que a mulher tem o cabelo mais enroladinho? 
 - Na África. (Responde Joãozinho de primeira.) 
 E continua: 
- O que é que entra seco duro e sai mole pingando? 
 O diretor apavorado..
 E o Joãozinho responde:
 - O macarrão na panela 
 E a professora não pára: 
- O que é que começa com "b", tem "c" no meio, termina com "ta" e para ser usada é preciso abrir as pernas? 
 O diretor fica paralisado.E o Joãozinho responde: 
- A bicicleta. 
E a professora continua: 
- Qual o monossílabo tônico que começa com a letra "C" termina com a letra "U" e ora está sujo ora está limpo?
 O Diretor começa a suar frio.
 - O céu, professora
 - O que é que começa com "C" tem duas letras, um buraco no meio e eu já dei 
para várias pessoas? 
  - CD.
 Não mais se contendo, o diretor interrompe, respira aliviado e diz para a 
professora: 

- Puta que Pariu! Põe esse moleque como diretor, pois eu mesmo errei todas.

16 comentários:

  1. : )
    Pobre diretor... ainda bem que nao e o meu.

    ResponderEliminar
  2. Quem tem o Joãozinho na escola arrisca-se a estes choques, Catarina.
    Director sofre!! :))

    ResponderEliminar
  3. Eu acho que ele não deveria ser passado nem para a terceira classe nem para director, deveria ser-lhe dada equivalencia a um doutoramento! ;) Grande Joãozinho desta vez saiu-se bem para variar, eheheheh

    ResponderEliminar
  4. Doutoramento só se ele se chamasse Joãozinho Relvas, Catarina :))
    Aí era tiro e queda.

    ResponderEliminar
  5. O eterno Joãozinho!

    Ainda bem que acaba de ser publicada a lei dos estudantes.
    Para ver se os 'Joãozinhos' e seus pais vão começas a ser responsabilizados pelo que dizem/fazem.
    :)

    Abraço

    ResponderEliminar
  6. Caro amigo Pedro Coimbra!
    O Joãozinho só podia ser meu xará!!!
    Caloroso abraço! Saudações argutas!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Diadema-SP

    ResponderEliminar
  7. Já vai sendo tempo, António.
    Brincar com o Joãozinho é saudável.
    Ter Joãozinhos (filhos e pais) no ensino, é inadmissível.

    Caro Prof. João Paulo de Olveira,
    Nosso xará.
    Mas nós portamo-nos bem.
    Quase sempre....:))
    Aquele abraço e votos de bom fim de semana

    ResponderEliminar
  8. Ainda estou a rir, Pedro !
    Estou como o director : não acertei uma ! eheheheh

    bom fim de semana ! :))))
    .

    ResponderEliminar
  9. Nem eu, Rui.
    Todinhas ao lado!! :)))
    Aquele abraço e votos de bom fim de semana

    Luciano,
    Acertou alguma?? :)))

    ResponderEliminar
  10. Já conhecia as perguntas e as respostas, mas a anedota era diferente. :)

    ResponderEliminar
  11. Então acertou nas repostas, FireHead
    Atenção que amanhã vai ser picante.
    Num dos casos, muito picante!! :))

    ResponderEliminar
  12. Este miúdo é um génio, e se não fosse brasileiro, até podia ficar com o cargo do Cavaco.
    A professora é que tem uma imaginação muitíssimo suja!!!

    Em resposta ao seu comentário:

    Para mim, uma grande admiradora do Woody, é realmente impossível sair mal disposta do cinema depois de ver um filme dele, mas para a minha amiga, que não aprecia os filmes deste realizador americano, já é possivel sair do cinema muito mal disposta, como por exemplo, depois de ver Manhattan Murder Mystery (O Misterioso Assassínio em Manhattan) filme de 1993, inspirado, segundo o próprio Allen, na série policial The Thin Man.

    Não perca este filme, Pedro, só para ver a cena do chuveiro, na qual eu sufoquei a rir, vale a pena ver o último filme do meu querido Woody.

    ResponderEliminar
  13. ematejoca,
    Eu, que me abstive (mais uma vez!!) como aqui escrevi na altura, no Joãozinho votava de caras!! :))

    O Woody é genial.
    De todos os filmes dele ainda consigo escolher um favorito - Manathan, um tributo fenomenal a Nova Iorque.
    Maravilhoso!!

    ResponderEliminar