11 de dezembro de 2009

"Obama, ganhaste-o, agora faz por o merecer!"


Esta frase, retirada de um cartaz empunhado por um manifestante ontem em Oslo, resume bem o sentimento de muitas pessoas no que respeita à atribuição do Nobel da Paz a Barack Obama.
De algum modo, resumirá também o que sentem os membros da Academia.
Volto ao que escrevi aqui na altura da atribuição do prémio.
Os membros da Academia norueguesa entregaram um prémio a Obama.
Mas também um pesadíssimo caderno de encargos.
Consciente desse facto, de ainda nada ter feito, objectivamente, para merecer tal honra e distinção, de ser o líder de uma nação envolivida em dois conflitos de grandes proporções, Obama fez o discurso que se esperava.
Em determinadas ocasiões, a guerra é o único meio para chegar à paz.
"A means to an end".
Obama, numa situação algo complexa e desconfortável, decidiu-se pela terapia de choque.
E defendeu a guerra numa cerimónia de entrega do Prémio Nobel da Paz.
Que mais poderia fazer?
Não sei quem empunhava o cartaz.
Muito menos quem o concebeu.
Quem o imaginou, numa frase, curta e concisa, resumiu os sentimentos de uma grande parte do planeta em relação a Barack Obama.
Esperemos que, apesar do aparato de segurança, Obama tenha lido o cartaz.
E que faça por merecer o prémio que lhe foi atribuído.

Sem comentários:

Enviar um comentário