24 de agosto de 2017

Tufão Hato

Sem palavras porque as imagens dizem tudo



















(Imagens retiradas da internet)

84 comentários:

  1. Respostas
    1. Macau, Catarina.
      Fotos de ontem, quando o tufão passou, e hoje.
      Um horror!

      Eliminar
    2. Não ouvi as notícias. Acabei de ler agora na net que estiveram em estado de alerta na região. Tantos prejuízos! Também houve mortes. Que horror!

      O Pedro já estava em casa nessa altura. A filha mais velha também deveria ter sentido esse terror em Homg Kong.

      Eliminar
    3. A minha casa também está danificada, Catarina.
      Apanhámos um grande susto.
      Felizmente a minha filha Catarina, porque Hong Kong tomou medidas de precaução que Macau não tomou, não foi afectada.

      Eliminar
    4. Que medidas de precaução podem ser tomadas em casos destes, Pedro? Sugiro que faças um post a clarificar. Já li algures aqui, no passado, a esse respeito. mas sinto curiosidade e também penso que é preciso saber de uma forma simplificada O QUE PODEM AS PESSOAS FAZER em caso de se prever uma catástrofe natural.

      Como também deves saber algumas pessoas sentiram um pequeno sismo em Lisboa há coisa de uma semana... não foi NADA. Mas um dia vai ser ALGUMA COISA.

      DUVIDO que exista o MÍNIMO de conhecimento sobre prevenção e socorro em caso de um cenário mais dantesco (que nos livre!). Nem o famoso 1755 nos serviu de lição, Pedro. É o que receio, pois em tantos anos a viver em Lisboa, não me recordo de falar muito do assunto, de escutar que as construções são anti-sísmicas no mais ínfimo pormenor, que a as câmaras municipais tem planos de acção e evacuação... Nada. Só uma vez quando era criança pequena na escola e recebi um panfleto... a dizer para me enfiar debaixo da cama, de uma mesa ou na ombreira da porta. E nunca usar o elevador, mas as escadas e uma vez na rua, procurar um descampado (como se fosse fácil em Lisboa ir para uma área sem infraestruturas altas que possam ruir).

      Por isso todos os cenários de precaução em caso de calamidades naturais despertam-me curiosidade.

      Eliminar
    5. Reforçar portas e janelas, fechá-las e protegê-las ( a tragédia em minha casa ocorreu quando a minha empregada abriu a porta da varanda, parecia uma bomba!), ter em casa alimentos, água, não sair à rua.
      Coisas básicas que precisam de ser tratadas antecipadamente (os sinais de tufão passaram de 3, que é algo vulgar, a 10, que é algo extremo, em menos de duas horas) e que não foram.

      Eliminar
    6. Obrigado. É bom saber.
      Quer dizer que se um objecto se mantiver sólido (uma casa de janelas bem fechadas), como o vento não consegue passar, não consegue destruir? Interessante.

      Eliminar
    7. É mais difícil, não posso dizer que não seja possível, Portuguesinha.

      Eliminar
  2. Respostas
    1. Yestrday was even worse, Charles.
      The doors and glasses from my balcony and laundry shatered.
      The scariest thing I have ever seen :(

      Eliminar
  3. Imagens impressionantes de uma situação preocupante.
    Como estão vocês, Pedro?
    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nós fisicamente estamos bem, António.
      Psicologicamente nem tanto.
      E a casa sofreu alguns danos de monta.
      Aquele abraço

      Eliminar
  4. Olá Pedro.
    Tanto quanto percebi vcs estão bem, não é?

    A natureza tem uma força estrondosa! Imagens impressionantes!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fisicamente sim, Lina.
      A casa é que sofreu alguns danos que demorarão a reparar.

      Eliminar
  5. Ontem já soube deste tremendo tufão.
    A Sofia estava em casa e refugiou-se numa dependência interior, já que os vidros das janelas partiam todos e os estilhaços se espalhavam casa dentro!
    A Sofia pegou na Maria e soube proteger-se !
    Móveis, TV, etc, tudo feito em bocados !
    E em sua casa, Pedro ?

    Um abraço ( só mais tarde voltarei aqui para saber ).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Em minha casa também foi um pandemónio, João Menéres.
      Janelas partidas, portas todas torcidas, tudo na sala.
      Assustador!
      Em 22 anos de Macau nunca tinha tido medo de um tufão.
      Até ontem.
      Ontem tive MUITO medo.
      Aquele abraço

      Eliminar
  6. Enquanto ouvia a notícia na televisão pensei tanto em ti/vocês como no Fire que fechou o blogue. Mas estão bem e agora é arranjar os estragos e seguir em frente.

    A natureza enfurecida leva tudo e dizes numa resposta que Hong-Kong precaveu-se e porque raio não fizeram o mesmo em Macau?

    Por cá meu amigo os fogos continuam e já são cento e tal incendiários. Sinceramente não sei o que pretendem!

    Beijos a todos e bom restabelecimento do tremendo susto

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A pergunta que toda a gente faz, Fatyly.
      Porque é que Macau não se preveniu?
      Demitiu-se o Director dos Serviços Meteorológicos.
      Chega?
      E o caos que está Macau, quando é que ficará resolvido?
      Angustiante e revoltante.
      Beijos

      Eliminar
  7. Assustador, mesmo para quem não o sentiu na pele. Deve ter passado por uma "experiência daquelas". Espero que tenha ficado apenas pelos danos materiais. Abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Foram só danos materiais e provalmente o maior susto da minha vida, Corvo Negro.
      Uma coisa absolutamente dantesca.
      Aquele abraço

      Eliminar
  8. Muito triste vê essas imagens =(
    E que bom que você sua família estejam bem e não dá para imaginar o tamanho do susto...Deus abençoe vocês.

    Beijinhosss ;*
    Blog Resenhas da Pâm

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que foi o maior susto da minha vida Pamela Sensato.
      Uma coisa infernal.
      Beijinhos

      Eliminar
  9. Ouvi e vi, imagens semelhantes hoje de manhã na TV, do que se passou - passa(?) aí em Macau e Hong-Kong, Pedro. O meu pensamento voou logo para si e para os seus, tanto mais que me parece que a vossa casa se situa na parte alta da cidade.
    Já li que os estragos sofridos foram apenas materiais. Mesmo assim, pela violência do tufão, deve ter sido algo aterrador. Vá dando notícias, Pedro, por favor.
    Um beijinho e o desejo que o pior tenha passado e se encontrem todos em segurança.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A minha casa até fica numa zona relativamente protegida, Janita.
      Mas ontem foi o inferno.
      Graças a Deus só estragos materiais.
      E um susto como nunca tinha apanhado na vida.
      Sem electricidade, o vento a soprar a uma velocidade que nunca tinha visto, os vidros na sala a estilhaçar, o vento a entrar sala dentro e a partir tudo quanto lhe aparecia à frente foi aterrador.
      Já passou.
      Agora há que limpar a cidade, reparar a casa, o que vai demorar algum tempo, retomar a vida.
      Beijinhos

      Eliminar
  10. Se as imagens do exterior, carros, árvores, estradas, são terríveis, mas vemos imensas vezes na televisão, a primeira, chocou-me.
    Como é possível?
    Nunca vi isto.
    A natureza é implacável.
    O homem é o grande assassino dela e de si próprio.
    Espero que esteja, agora, recuperado do susto.
    Por cá, uma rajada mais forte de vento, amedronta-me. Não sei como reagiria a um tufão.
    Um beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu também nunca tinha visto, Maria Araújo.
      Nem julgava ser possível.
      Infelizmente é tudo muito real.
      Beijinhos

      Eliminar
  11. Impressionante, meu querido amigo.
    Fiquei descansado quando me informou que estava tudo bem com vocês (família incluída) é, de facto, assustador e desalador olharmos para essas imagens, Pedro.
    Forte abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E parece que já vem outro a caminho, Ricardo.
      Não acredito é que seja tão bruto (esperemos que não) como este.
      A cidade parece um cenário de guerra.
      Simplesmente horrível.
      Aquele abraço

      Eliminar
  12. Durante os anos que estive em Macau só me lembro de ter apanhado um tufão 10 uma ou duas vezes, mas nenhum deles com grau de destruição equiparável a este Hato.
    Abraço e bom FdS, Pedro

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este foi o mais forte desde que há registos, Carlos.
      Uma coisa medonha.
      Aquele abraço, bfds

      Eliminar
  13. boa tarde amigo
    se tem fé dê graças a DEUS.
    JAFR

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É isso mesmo, Joaquim Rosa.
      Pelo menos não tivemos danos pessoais.
      Os danos materiais, mais tarde ou mais cedo serão reparados.

      Eliminar
  14. As imagens são impressionantes. Mais que as que vi na TV.
    Espero que esteja bem e que o temporal não o tenha afectado.
    Bom fim de semana, caro Pedro.
    Abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Apenas danos materiais e um susto terrível, Jaime Portela.
      Aquele abraço, bfds

      Eliminar
  15. MEDO!!!! Que horror! Grata por nos mostrar, anyway...

    Beijinhos de acalmia...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A minha médica estava a dizer-me que a minha tensão arterial estava alterada, Graça.
      Pudera!
      Beijinhos

      Eliminar
  16. Tinha ouvido as notícias e lembrei-me do Pedro...
    Pelos vistos sofreu prejuízos em casa. Imagino o medo perante essa emergência.Abr aço

    ResponderEliminar
  17. Que imagens assustadoras, Pedro !!! ... Pelo que tenho ouvido, nas notícias, tem sido terrível ! :(
    Ia-lhe perguntar se pessoalmente teve problemas, mas já estive a ler as suas respostas !... :((
    O Pedro está a residir em Taipa, não é ?...

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A minha casa até é numa zona relativamente abrigada da taipa, Rui.
      Mesmo assim foi bastante afectada.
      Aquele abraço

      Eliminar
  18. Meu Deus, Pedro, essas fotos chegam a arrepiar a gente! Que violência, penso no desespero das pessoas, o seu e de sua família! Está tudo destruído! Aqui, há 2 anos houve algo do gênero, mas nem chega perto do estrago e susto que houve aí, e ficamos meio apavorados...
    Agora é juntar os cacos e tentar reconstruir!
    Bjs, amigo, minha solidariedade.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma tragédia, um susto monumental, Tais Luso.
      O maior susto que apanhei na vida.
      Bjs

      Eliminar
  19. Eu preciso de palavras porque DESCONHECIA!!!
    Faz-me um pouco de confusão como pode o mundo ser um só e no entanto... Aí tanta água que virou catástrofe. E em Portugal só fogo que durante todo o verão só causa catástrofes... Porque não pode o mundo ser mais equilibrado, e um pouco da água daqui e daí ir para lá? Nem tanto aí, nem tanto lá. Um pouco disto e daquilo em toda a parte :)

    Enfim... Triste.
    E assustador.

    A natureza quando se manifesta em fúria faz-nos sentir humildes, impotentes e tira-nos a arrogância. Ela mostra "quem manda".

    Envio boas energias em direcção a Macau!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Só posso dizer que já há outro tufão a caminho, Portuguesinha.
      Que vai afectar Macau neste final de semana.

      Eliminar
    2. :(
      Espero que mais fraco e que as pessoas fiquem todas bem

      Eliminar
    3. Já está a passar, Portuguesinha.
      E não foi nada parecido com o outro.

      Eliminar
  20. Fiquei assustada com as imagens que vi, deve ter sido demasiado dramático. Pelos comentários já percebi que aí em casa houve estragos, felizmente não vos aconteceu nada.
    Agora há que recomeçar com ânimo , força e muita energia.

    Beijos Pedro

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A cidade está um caos, Manu.
      Mas, com a ajuda de muita gente, a tentar recompor-se.
      Beijos

      Eliminar
  21. Que horror.
    Quando ouvi a notícia pensei logo em ti e família.
    Espero que estejam recompostos do susto.
    Bjs

    ResponderEliminar
  22. Vi as fotos que o genro da Maria Rodrigues – do blogue “Divagar sobre tudo um pouco” – tirou em Macau.
    Tantos danos materiais e tantos danos psicologógicos talvez.
    Nem quero imaginar o medo que todos sentiram.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Psicologicamente acho que está toda a gente afectada, Catarina.
      Um horror.
      E parece que vem outro tufão a caminho.

      Eliminar
  23. A revolta da natureza que se está a tornar cada vez mais indiscriminadamente global e frequente.
    Lamento profundamente os danos materiais dum modo geral e do caro Pedro em particular, mais ainda nos casos que envolvem vitimas humanas.
    Com desejo de que tudo se recomponha rápido, fica o meu humilde e solidário abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O pior foi a perda de vidas humanas, Victor Barão.
      Podendo ainda haver cadáveres por encontrar.
      Um horror!
      Aquele abraço

      Eliminar
  24. Espero que a fúria da natureza tenha amainado! Tenho andado em viagem, mas ouvi as terríveis notícias sobre o flagelo que atacou Macau. Muito naturalmente lembrei-me do Pedro e família. Como pude ler pelos comentários, estão bem afora alguns estragos na residência. Do mal, o menos. Lembrei-me também de uma grande amiga minha macaense, a Felícia, de quem perdi o rasto...
    O Pedro parece que escreveu ali em cima que esperavam mais uma réplica. Espero que tal não se tenha verificado.
    Estes sustos que a natureza nos prega fazem-nos sentir formigas.
    Força, Pedro, que o pior já tenha passado e que o importante é a família estar toda bem.
    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Está outro tufão a caminho, Célia.
      Isso é certo.
      O que falta saber é a intensidade.
      Muito dificilmente será tão forte como este, o mais forte desde que há registos, uma coisa horrenda.
      Um abraço

      Eliminar
  25. Estive a ver as imagens e a ler os comentários...
    Fiquei aterrada! :(

    Que tudo se recomponha depressa, sobretudo a vossa coragem e força anímica.
    Um abraço solidário!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. São dez da manhã de sábado.
      A minha mulher foi comigo de manhã ao hospital porque eu tinha que fazer uma TAC aos ouvidos.
      Saiu agora novamente para, com uma equipa de voluntários, ir ajudar nos esforços de limpeza da cidade.
      Toda a gente a ajudar sabendo que se aproxima novo tufão.
      A vida tem que continuar.
      Beijinhos

      Eliminar
  26. Terrível! O Pedro há de ter passado um mau bocado. Nem quero imaginar.
    É a fúria da Natureza.
    Um abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Elisabete
      Deu para ver o melhor e o pior das pessoas.
      E continua assim.
      Amanhã há outro tufão.
      Esperemos que não haja mais problemas.
      Um abraço

      Eliminar
  27. Olá Pedro, venho dar força moral na medida das poucas possibilidades, também pensei em vocês porque pensei Macau é tao pequena, e assim haveria menos hipóteses de o Pedro não ter apanhado a passagem do mau tempo :(
    espero que tudo se recomponha, o pior é quando há tragédias nas famílias, porque a entreajuda de uns e de outros reduz o impacto da fúria da natureza
    será que estamos mesmo a destruir o seu equilíbrio ?!
    mas que deve ter sido um grande medo, acredito que sim
    bom fim de semana e que não se repita esse perigo
    Angela

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este perigo espero que não, Angela.
      Mas amanhã já há outro tufão.
      Tudo indica que de muito menor intensidade, no entanto.

      Eliminar
  28. Pedro
    A minha total solidariedade contigo e com os teus e com o povo de Macau. São coisas que por aqui pela Europa ainda não sabemos o que é, mas que se calhar com as mudanças climáticas, causadas em grande parte pelo homem, o saberemos em breve !
    Grande Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hoje apanhámos com outro, Ricardo.
      Mas nem sequer semelhante ao anterior.
      Aquele abraço

      Eliminar
  29. Amigo Pedro quando soube lembrei-me logo de si.
    Diz ter tido só prejuízos materiais, o que eu
    lamento, mas ainda bem que ficou por esse tipo
    de prejuízos. E o susto que o amigo e os seus
    apanharam. Realmente foi um caos! A Natureza quando
    se revolta é indomável. Espero que hoje não tenha
    acontecido nada de idêntico, ouvi agora as noticias
    às 19h. e não disseram nada.
    Espero amigo que consigam recuperar dessa tragédia.
    Um grande abraço
    Irene Alves

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Foi um grande susto, Irene Alves.
      O maior que apanhei na vida.
      E hoje já houve outro tufão.
      Muito mais suave.
      Grande abraço

      Eliminar
  30. Amigo Pedro, o tempo está louco, ou a humanidade endoidou, cuja agressão desenfreada ao meio provoca tantas tragédias? O que se há de dizer? É incêndio em Portugal, ciclone nos Estados Unidos, enchentes no Brasil, Tufão em Macau... Meu Deus, temos que fazer algo. E creio que o maior problema realmente é a lotação exagerada desta nave Terra. Temos que nos condicionar às medidas restritivas ao melhor trato com o meio ou o meio nos engole. Espero que tudo logo se restabeleça e empenho minha solidariedade à população atingida. Grande abraço, amigo! Laerte.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tanto abusámos, e continuamos a abusar, que a Natureza se revoltou, Laerte.
      E quando a Natureza se revolta é muito complicado fazer-lhe frente.
      Aquele abraço

      Eliminar
  31. Nesta semana que passou e durante a qual quase não fiz uso da blogosfera, e poucas notícias fui vendo ou lendo, ainda assim, sabendo deste desastre, lembrei-me de si, Pedro. Imagino o susto e agora os trabalhos para que tudo volte à normalidade.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Foi o maior susto que apanhei na vida, luisa.
      E ontem houve outro tufão.
      este já muito menos violento.
      Agora é a tentativa de regressar à normalidade.

      Eliminar
  32. A natureza por vezes mostra como pode ser poderosa e impiedosa, mas certamente que somos nós os grandes responsáveis das alterações climatéricas que se vão verificando.
    Espero que esteja tudo bem consigo e com a sua família.
    No condomínio onde vive a milha filha os vidros das janelas de muitos andares foram totalmente destruídos, felizmente a casa dela não teve danos, mas foram momentos muito difíceis para todos os tiveram de enfrentar a fúria do tufão. Mal termina e logo outro surge, pelo menos pelo que sei, foi menos devastador.
    Um grande abraço e tudo de bom.
    Maria de
    Divagar Sobre Tudo um Pouco

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O de ontem foi muito menos violento, Maria Rodrigues.
      Sem comparação.
      Ainda há muito trabalho de limpezas para fazer mas hoje já estamos mais ou menos de regresso à normalidade.

      Houve muitas habitações seriamente afectadas, muitos prédios com grandes danos.
      A minha casa também os sofreu (culpa da empregada).
      Mas nós não.
      E isso é o mais importante.

      Tem uma filha a viver em Macau?
      Com todos os defeitos (qual é a cidade que os não tem?) é uma cidade bestial.
      Vivo cá faz no dia 1 de Outubro 22 anos.
      Vim para ficar...2 :)
      Acabei por casar aqui, aqui fazer o meu lar.

      Um grande abraço

      Eliminar
    2. Boa noite Pedro, felizmente que está bem, assim como a sua família.
      Pelos estragos que tenho visto na net, penso que até estar tudo normalizado, ainda é capaz de levar algum tempo.
      A minha filha foi para Macau, em julho do ano passado com o marido e a filha dela. A empresa onde trabalham aqui em Lisboa, tem um escritório na Taipa e ela vive num condomínio muito perto de Zhuhai. Adora estar em Macau, mas infelizmente será apenas até 2019, pois o escritório daí vai fechar e na área deles ( consultores de SAP) ela pensa que não há grandes hipóteses de trabalho em Macau.
      Espero sinceramente que os tufões "acalmem" agora por aí.
      Um abraço
      Maria de
      Divagar Sobre Tudo um Pouco


      Eliminar
    3. Vai demorar algum tempo até ter tudo em ordem, Maria Rodrigues.
      Mas a cidade já está a voltar a mexer, já está a querer voltar depressa a esse normal.

      Daqui até 2019 muita coisa pode acontecer.
      E em Macau acontecem muito depressa.
      Se a sua filha e o marido gostam de viver em Macau isso é o mais importante.
      Trabalho por aqui, felizmente, é coisa que não falta.

      Um abraço

      Eliminar
  33. Caro Amigo Pedro Coimbra.
    Quando li na tua página do facebook que estavas seguro fiquei aliviado, mas agora ao visitar teu imperdível blog soube que - por imprudência da empregada doméstica - passaram por momentos aterrorizantes, mas que - felizmente - não causaram danos físicos a tua honrada família, em contrapartida a situação aterrorizante que passaram afetou a psique dos teus entes queridos, mas certamente logo lembrarão do infortúnio que passaram com uma nefasta situação imprevista, sem sequelas psicológicas.
    Aqui não estamos sujeitos a cataclismos - deste naipe - a não na política, que chegou a situação impensável de suspeitarmos da imparcialidade de um Magistrado do Supremo Tribunal Federal.
    Certamente tens seguro residencial, mas peço-te que me informe se danos a residência, advindos de cataclismos, o seguro cobre?
    Caloroso abraço. Saudações solidárias.
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se há coisa que não falta em Macau é dinheiro, Amigo João Paulo de Oliveira.
      Nem é preciso chatices com seguros, o Governo cobre os prejuízos através da Fundação Macau.

      A minha empregada doméstica é das pessoas mais teimosas que conheci na vida.
      Abrir a porta no momento em que o tufão estava mais violento????
      Parecia uma bomba!

      Aquele abraço

      Eliminar
  34. Respostas
    1. Muito, Gábi.
      O maior susto da minha vida.
      E ontem houve outro tufão.
      Este em muito menor escala.
      Beijinhos

      Eliminar
  35. A natureza, a força dela é indomável e não há ciência, que preveja.

    Que imagens, Pedro!

    Boa semana, soft, o mais possível.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Continua muita gente a trabalhar 24 sobre 24 horas, CÉU.
      E a cidade começa a tentar voltar ao normal.
      Ainda vai demorar algum tempo, mas vai acontecer.
      Beijinhos, boa semana

      Eliminar
  36. Lamento muito, Pedro... é o que se chama «uma dor de alma»...
    Que venham melhores dias...
    ~~~ Beijinhos ~~~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda dói a alma andar nada ruas e ver algumas coisas que se vêem, Majo.
      Hoje mais uma vez o Jardim de São Francisco estava fechado, sujo, destruído.
      Dói tanto olhar para árvores centenárias caídas.
      Beijinhos

      Eliminar
  37. Tristes imagens que mostram uma ainda mais triste realidade...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Imagine o que é andar na rua e ver estes cenários ao vivo, São.
      Especialmente para quem, como eu, gosta tanto de Macau.
      Dor de alma, como bem diz a Majo.

      Eliminar