27 de março de 2018

Quo vadis Rui Rio?


Há quanto tempo foi Rui Rio eleito líder do PSD?
Não se recordam?
É natural, o líder do PSD anda tão desaparecido do combate (antes fora desaparecido em combate) que é natural que as pessoas não o recordem.
Depois de derrotar Santana Lopes na corrida à liderança, mais de dois meses depois de ter sido eleito, que trouxe Rui Rio de novo ao PSD?
O facto mais notório foi a trapalhada com Feliciano Barreiras Duarte, um episódio patético que Rui Rio geriu de forma absolutamente desastrosa.
Ideias novas, novas políticas, alternativas à governação da “geringonça”?
Zero, um deserto.
Pior, Rui Rio parece preocupado com a criação de um entendimento com o PS, a possibilidade de ressuscitar um bloco central que, a ser assim, só Rui Rio vislumbra.
Mais de dois meses passados após a sua eleição olha-se para Rui Rio e fica-se com a mesma sensação que se tem quando um alfaiate nos faz um fato no qual nos sentimos desconfortáveis, incomodados.
Agradece António Costa, à esquerda, a ver uma maioria do PS ser ameaçada apenas pela liderança activa e assertiva de Assunção Cristas, aquela que cresce à direita de um cada vez mais definhado PSD.
Mais de dois meses após a eleição de Rui Rio ainda não percebi qual a coordenação entre a direcção do PSD e as concelhias (existe?), qual a política de oposição à actual maioria governativa, quais as propostas do PSD para poder discutir eleições com o PS.
A propósito da limpeza das florestas Marcelo Rebelo de Sousa deixou a alfinetada – quem diz e faz tantos disparates é porque não quer ser Governo tão cedo.
Será que Rui Rio ouviu e percebeu o recado do Presidente da República?
A ver vamos.
Portugal precisava de ter uma Oposição forte para enfrentar um Governo indiscutivelmente forte.
O País sairia altamente beneficiado com esse debate de ideias, de propostas, de alternativas.
Algo que só o CDS vai conseguindo fazer face ao total apagamento do PSD.

30 comentários:

  1. Confesso que estou desligada da politica...

    Isabel Sá
    Brilhos da Moda

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma Oposição que, da parte do PSD, não existe, Isabel Sá.

      Eliminar
  2. Bom dia. Política não é o meu forte. vejo que todos querem é tacho e encher o seu bolso. Porque tudo, vai de mal a pior.


    Hoje:- Sinto saudade de te voltar a amar

    Bjos
    Votos de uma boa Terça-Feira

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O sentido de serviço público, de servir o público, há muito tempo anda arredado da política.
      É com imensa pena que tenho que reconhecer esse facto, Larissa Santos.
      Bjs, votos de uma boa terça-feira

      Eliminar
  3. Estou completamente de acordo com o texto amigo Pedro, o país precisava de uma oposição forte e responsável e principalmente com ideias.
    Um abraço e Boa Páscoa.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    O prazer dos livros

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olho para o PSD e vejo um Partido à deriva, Francisco.
      E olho para o Rui Rio e vejo um líder que ou foi empurrado para isso ou apeteceu-lhe ser líder e agora não sabe o que fazer com a criança que tem nos braços.
      É pena.
      Quanto mais houver debate de ideias, de propostas, mais se enriquece a democracia.
      Assim estamos a assistir a uma cavalgada triunfal de António Costa a caminho de uma fácil e confortável maioria absoluta.
      E a nossa experiência com maiorias absolutas foi sempre uma grande chatice.
      Aquele abraço

      Eliminar
  4. O país é muito mais do que o Porto ( cidade ) !
    Não me parece que Rui Rio seja a pessoa ideal para dar verdadeira luta à Geringonça...
    Mas Pedro Santana Lopes também não era !
    Talvez o Montenegro...

    Boas férias no Japão.
    Um abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ora nem mais, João Menéres.
      É exactamente essa a sensação que tenho - Rui Rio pensava que ganhava o Partido como ganhou no Porto e conquistava o País como conquistou o Porto.
      Está muito enganado.
      E, muito sinceramente, não vejo alternativas dentro do Partido.
      Aquele abraço

      Eliminar
  5. Pedro, não dou nada por este Rio. Não flui.
    Mais parece um caudal de água estéril, sem vida.
    Hum, não chega ao mar...
    Azar nosso!
    Beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O País precisava e merecia um PSD forte, uma alternativa.
      Não é este PSD, não é este Rui Rio que conseguirá isso.
      Beijo

      Eliminar
  6. Cristas, de crista levantada. Já sonha em ser primeira-ministra, se o partido do qual é líder alguma vez ganhar as eleições legislativas. Se isso alguma vez acontecer, não será bom para os mais desfavorecidos deste pais! Rui Rio, não o vejo com garra de poder ser uma forte alternativa à actual geringonça. Se nas próximas eleições legislativas PSD/CDS, conseguirem maior número de deputados, formarão outra geringonça? O pais não passa da cepa torta de geringonça em geringonça!
    Tenha um bom dia caro amigo Pedro Coimbra.
    Um abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O CDS, sozinho, não consegue ser Governo, caro amigo Eduardo.
      Mas tenho que tirar o chapéu a Assunção Cristas.
      Suceder a Paulo Portas seria complicado.
      Goste-se ou não das ideias e do estilo de Assunção Cristas, ela soube tomar conta do Partido.
      Aquele abraço

      Eliminar
  7. O pior mal de Rui Rio está dentro do PSD. Não será fácil lidar com isso.
    Não começou bem, de facto mas, ainda está a tempo de mostrar que não é (mais) um peso morto na política.
    Rio vai lá, devagar mas vai.
    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um saco de gatos, António.
      Quando devia estar a procurar ser alternativa à "geringonça", que está a funcionar muito bem, reconheça-se isso, o PSD anda desnorteado.
      A começar no líder.
      Aquele abraço

      Eliminar
  8. Concordo , embora seja de Esquerda, que seria bom haver uma oposição digna desse nome.

    No entanto, o PSD está partido a meio e quanto ao CDS a incoerência entre o que praticou no poder e o que agora defende tira-lhe a credibilidade.

    Esperemos que as coisas melhorem

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não é uma questão de ser de Esquerda ou de Direita, São.
      Seria bom para todos, a começar pelo próprio Governo, que houvesse uma Oposição forte e credível.
      Com novas ideias, novas e diferentes propostas.
      Creio que até António Costa se sentirá frustrado com este cenário.

      Eliminar
  9. Só receio que o António Costa seja menino para formar um bloco central com o Rui Rio nas próximas eleições para se ver livre dos comunistas e do Bloco de Esquerda.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não acredito, Teresa.
      Não quer nem vai precisar.
      Não vai precisar do PSD nem vai precisar dos actuais companheiros da "geringonça".
      Com este caminho o PS consegue maioria absoluta sem quaisquer dificuldades.
      E é por isso que vemos o PCP e o BE a procurar aparecer, mostrar-se.

      Eliminar
  10. Rui foi levado pela corrente do Rio, começou logo a pedir socorro com as escolhas que fez e nunca vai ter estofo para uma alternativa a Costa!

    Feliz Páscoa com o meu abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fico um bocado com essa sensação, António querido - que ele foi empurrado para a liderança do PSD sem saber muito bem como lá chegou e o que fazer depois de lá ter chegado.
      Aquele abraço (ainda vou andar por aqui até quinta-feira, só vou para Tóquio no sábado).

      Eliminar
  11. Ainda que nos antípodas da minha ideologia política, gostaria de me ver, enquanto mulher, mais bem representada no mundo da política. Mas, infelizmente, a senhora Cristas diz tudo e o seu contrário, personaliza o populismo, a vacuidade. Muitas das suas críticas podem ser pertinentes mas, apesar da sua linguagem bem mastigada e assertiva, entra em contramão, em choque, diria, com o que defendeu/fez há pouco mais de um par de anos. Perde toda a credibilidade. E é de lamentar, tal como é de lamentar a ataraxia de Rio, porque como muito bem diz o Pedro, uma oposição forte e responsável torna qualquer governação igualmente forte e responsável.
    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Com todos os disparates e contradições Assunção Cristas ainda aparece, ainda se mostra, ainda apresenta ideias, por muito eu se discorde delas.
      Rui Rio e o PSD é que não mostram nada.
      Um abraço

      Eliminar
  12. Este é igual á outra múmia que la pairava falou muito mas fazer alguma coisa tá quieto.
    Tacho, tachinho tachão,
    Abraço
    https://caminhos-percorridos2017.blogspot.pt

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pior que múmia o Rui Rio parece que anda às aranhas, Kique.
      Sem saber bem para onde se virar.
      Aquele abraço

      Eliminar
  13. Respostas
    1. Um PS a caminho da maioria absoluta, Magui.
      Tão simples como isso.

      Eliminar
  14. Como oposição, Rui Rio não trouxe nada de novo. Pior ainda... começou precisamente por ser vítima daquilo que sempre criticou e prometera erradicar. Não fiquei surpreendido.
    A única mais valia que Rui Rio trouxe ao país até agora foi a sanidade mental que era alheia a Passos Coelho. Quem vive em Portugal, nota que o ar está mais respirável e isso é uma mais valia. Para o país, não para o PSD, entenda-se...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não é o PSD que me preocupa, Carlos.
      Gosto de debate de ideias, gosto de alternativas.
      E, com este PSD, não há nada disso.
      Há mais, concorde-se ou não, com o CDS.
      O que anda a fazer Rui Rio??
      A resolver questiúnculas dentro do Partido??

      Eliminar
  15. Já tinha reparado que este senhor não aparece.
    E AS vai crescendo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O PS está tranquilamente a caminho de uma maioria absoluta.
      Sozinho, sem precisar de muletas.
      E temos tão más experiências com maiorias absolutas...

      Eliminar