6 de março de 2018

Itália enfrenta novo cenário de ingovernabilidade


Conhecidos os resultados das eleições em Itália parece óbvio que resulta das mesmas um novo cenário de ingovernabilidade em Itália e no seio da União Europeia.
Não é terreno desconhecido para os italianos, não é surpreendente (as sondagens já apontavam nesse sentido), é complicado porque, depois do longo período negocial para encontrar um solução de governo na Alemanha, é agora a Itália, terceira economia da União Europeia, a entrar em roda livre, em mais um previsível longo período negocial completamente imprevisível no que toca ao quando e como terminará.
Os italianos escolheram o voto de protesto, o afastamento dos políticos e das políticas tradicionais.
Só assim se compreende a vitória do Movimento 5 Estrelas, um partido sem programa, um partido anti-sistema, um partido fundado literalmente por um palhaço (Beppe Grillo), dirigido actualmente por um jovem de 31 anos, até há bem pouco tempo completamente desconhecido em termos públicos (Luigi Di Maio).
Movimento 5 Estrelas que não deverá poder contar com o apoio da Liga do Norte, eurocépticos, regionalistas e xenófobos, e também com o apoio do Força Itália do inenarrável Berlusconi.
Uma "geringonça" à direita, com Salvini, Berlusconi e Giorgia Meloni (Irmãos de Itália, a extrema direita italiana), não só se afigura muito complicada como também não reúne o número de deputados necessário para conseguir maioria no Parlamento. 
Salvini recusou o que apelidou de "coligações minestrone" mas o cenário que resulta destas eleições em Itália é mesmo um cenário minestrone.
Quem vai ficar com este caldo na panela, e com o dever de lhe dar algum sabor e consistência, não só um sabor que agrade a Itália mas também à União Europeia, é Sergio Mattarella, Presidente da República, o "cozinheiro" a quem a União Europeia entrega a complicada missão de conseguir extrair destes ingredientes um cozinhado que pelo menos não seja indigesto. 

30 comentários:

  1. Infelizmente cada vez ha mais "desgoverno" pelo mundo fora. E triste quando o povo desiste de votar por ja nao ter confianca em nenhum partido ou governmante!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mais do que desistir de votar, os italianos optaram pelo voto de protesto, Sami.
      Ainda é relativamente recente o fenómeno Beppe Grillo, semelhante ao fenómeno Tiririca no Brasil, que representavam o anti-sistema, o gozar com o sistema.
      Agora o partido por ele fundado, sem programa, sem ideologia, um partido de gozo e protesto, ganha as eleições na terceira maior economia europeia.

      Eliminar
  2. Palpita-me que vai haver novas eleições em Itália daqui a uns meses.
    Fiquei contente com a derrota do sr. Berlusconi foi pena não ser ainda maior.
    Um abraço e boa semana.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    O prazer dos livros

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Para dar o mesmo resultado ou algo muito semelhante, Francisco?
      Pura perda de tempo.
      A mim custa-me acreditar como é que ainda há tanta gente a votar num partido que é dominado pelo Berlusconi.
      Parece impossível.
      Aquele abraço

      Eliminar
  3. Deve ser de todos os países do mundo o que tem maior história de ingovernabilidade. Os italianos estão fartos.
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por estarem fartos é que votaram anti - sistema, Elvira Carvalho.
      Pior a emenda que o soneto.
      Abraço

      Eliminar
  4. Pode ser que o caldo não azede se souberem escolher os ingredientes, uma leiteira já subiu ao palco, agora é só escolher o puro.
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os italianos já estão tão habituados ao minestrone, na cozinha ou na política, que mais uma vez menos uma não faz grande diferença, António Querido.
      Abraço

      Eliminar
  5. Talvez a solução seja mesmo um governo de iniciativa presidencial...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É uma das hipóteses, João Menéres.
      Vamos aguardar e ver.

      Eliminar
  6. Bom dia. penso que é geral :))

    Hoje: - {Poetizando e encantando} ...Promessas
    .
    Bjos
    Votos de uma feliz Terça-Feira.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nisto os italianos são mesmo mais iguais que os outros, Larissa Santos.
      Bjs

      Eliminar
  7. Um saco de pulgas é o que é, Pedro... o populismo começa a ganhar terreno nas sociedades e começa-me a assustar.

    Votos de excelente semana para si e suas princesas, meu amigo.

    Aquele abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O populismo, a demagogia, a xenofobia, Ricardo.
      Portugal está a passar ao lado desse movimento que está a infestar o resto da Europa.
      Aquele abraço, votos de excelente semana para si e as suas mais que tudo

      Eliminar
  8. A situação não é agradável, realmente, mas um ingrediente existe que amarga ainda mais : a subida do CasaPond, assumidamente fascista e com activistas muito novos....
    Para onde caminha a União Europeia?!

    Boa semana

    SÂO

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caminha, São?
      Acho que já lá está.
      Para o populismo, a demagogia, a xenofobia, como comentava com o Ricardo.
      Boa semana

      Eliminar
  9. Há décadas que a Itália mete-se em caldos e abanões provocados pelo povo, mas depois entendem-se, pode demorar mas que me lembre nunca houve uma repetição de um acto eleitoral.

    Olha lá na Alemanha...pois...seis meses né?

    Já para não falar na Espanha!

    Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Portugal está mesmo à parte no meio de toda essa confusão, Fatyly.
      Somos bons em muita coisa.
      Nessa tolerância começamos mesmo a ser campeões.
      Beijos

      Eliminar
  10. Meu jovem, tem gente que
    prova ser bom de garfo e
    isso leva os incautos a
    pensar que são bons
    cozinheiros. Espero e torço
    para que a Itália volte aos
    bons tempos ou, no mínimo,
    preserve os direitos dos
    seus concidadãos.

    Um forte abraço,

    silvioafonso


    .

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já não me lembro de bons tempos em termos políticos em Itália, silvioafonso.
      Que saco de gatos!!
      Aquele abraço

      Eliminar
  11. Isto das políticas anda mesmo feio, Pedro ! :((
    Parece que os eleitores andam completamente desencontrados das maiorias. Tudo muito dividido e muito complexo !
    Veja-se, cá em Portugal, nos USA, na Alemanha, agora na Itália ! ... :(((

    Abraço :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os leitores andam revoltados, Rui.
      E exprimem essa revolta com reacções primárias, irracionais, quase.
      Aquele abraço

      Eliminar
  12. Num país onde vão a votos 41 partidos e movimentos seria de esperar uma coisa assim....ingovernabilidade, os tachos na Itália ainda são piores que em Prtugal
    Abraço Pedro
    https://caminhos-percorridos2017.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não comparo a confusão política permanente que é a Itália com o ambiente político português, Kique.
      Nessa vertente somos até um bom exemplo.
      Aquele abraço

      Eliminar
  13. A Itália viver sem governo é normal. O problema é que, desta vez, seja qual for a escolha, a Itália vai caminhar para o precipício.

    ResponderEliminar
  14. O resultado só peca por escasso. Num país com níveis de desemprego jovem elevadíssimos e que, ainda por cima, está a ser invadido e destruído por animais do terceiro mundo, graças às políticas irresponsáveis dos monstros não-eleitos da União Europeia, com a ex-Stasi genocida Angela Mer(d)kel à cabeça, o resultado obtido pela Liga Norte é escandalosamente baixo. Mas os globalistas que continuem assim... continuem alegremente a assobiar para o lado e a chamar covardemente "populistas" àqueles que vão denunciando a barbárie. A revolta dos povos ocidentais só vai continuar a aumentar. Quando derem por ela, vão ter uma guerra civil em mãos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já estava a estranhar não o ver por cá há muito tempo, Afonso de Portugal.
      Os resultados eleitorais na Itália são exactamente o equivalente a procurar pegar num monte de trampa pelo lado limpo!!

      Eliminar
  15. Tantos partidos, dificilmente se encontra união e unidade.

    ResponderEliminar