13 de março de 2018

E tudo o vento levou


Estava tentado a classificar a Macau actual como A.H. e D.H. (Antes do Hato e Depois do Hato).
Se já se sentiam alguns ventos do Norte antes do super-tufão que abalou Macau em Agosto, depois da passagem do tufão esses ventos do Norte parece que se intensificaram.
São questões, às vezes questiúnculas, quase diárias que me fazem ter essa sensação.
E depois questões bastante graves, claramente desfasadas do segundo sistema que Macau devia representar, do qual devia ser até porta-estandarte.
A mais importante e impactante de todas, interna e externamente, a constante proibição de entrada de pessoas em Macau.
Sem que se perceba bem como e porquê.
O chavão “ameaça à segurança interna” é um saco onde tudo cabe e onde nada se mostra ou explica.
Um chavão que já existia na fase A.H., que se sente com mais força na fase D.H.
E que teve o seu triste epílogo com a proibição oficiosa de entrada de três escritores em Macau para participarem no Festival Rota das Letras.
Também constituíam uma ameaça à segurança interna?
Se sim, em quê e porquê?
Mais uma página negra se escreve na vida recente desta Macau que ainda é Região Administrativa Especial da China.
Sem que se perceba porquê e para quê se foi abalar deste modo a imagem interna e externa da cidade.
Na fase D.H. fica a sensação que, como no romance e na tela, e tudo o vento levou.
Especialmente o bom senso.

32 comentários:

  1. Respostas
    1. Uma mancha para Macau, Francisco.
      Sem que minimamente se justificasse tal atitude.
      Aquele abraço, boa semana

      Eliminar
  2. Se são pessoas indesejadas tudo bem, mas não acredito que os escritores levassem nas bagagens armas em vez de canetas.

    O meu abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O problema é que a caneta pode ser a mais terrível das armas, António Querido.
      Aquele abraço

      Eliminar
  3. Gostei do texto. Parabéns. :))

    Hoje:- Âmago em transparências
    .
    Bjos
    Votos de uma boa Terça - Feira.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bjs, Larissa Santos.
      Estas coisas mexem comigo, não consigo ficar mudo e quedo.
      Amanhã há mais.

      Eliminar
  4. A ideia de DOIS SISTEMAS assim esboroa-se..
    O que se seguirá ?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Essa é a pergunta que muita gente neste momento faz, João Menéres.
      Sem resposta por enquanto.

      Eliminar
  5. Realmente não se entende. Será que levaram à letra a máxima de que a palavra é uma arma?
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Exactamente, Elvira Carvalho.
      Gente inteligente, com pensamento livre, é um perigo.
      Abraço

      Eliminar
  6. O que terao feito os 3 escritores para merecerem tal tratamento. E uma pena que tais coisas acontecam em Macau, ou em qualquer outra parte do mundo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Como respondi à Elvira Carvalho são gente de pensamento livre, inteligente, com ideias.
      Uma delas a autora dos célebre Cisnes Selvagens.

      Eliminar
  7. Lamentável, realmente !

    E também não me parece muito sensata a nomeação do actual presidente chinês até que morra...

    Boa semana, Pedro.

    São

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não é bem isso, São.
      Pode acontecer porque deixa de haver limites para os mandatos presidenciais.
      Algo que Deng Xiaoping imaginou precisamente para evitar que se eternizassem no poder as mesmas pessoas e para que houvesse rejuvenescimento do Partido e de ideias.
      Xi Jinping não está eternizado no poder.
      Mas pode ficar por se ter eliminado esse limite aos mandatos presidenciais.
      Que agora poderá acontecer noutras instâncias de poder dentro da China.
      Culto da personalidade no seu cúmulo.

      Eliminar
    2. Oficialmente não é, mas o resultado prático é exactamente o mesmo...

      Como diz, culto da personalidade ao rubro.

      Eliminar
  8. Um texto na onda das fortes denúncias ao sistema.
    Penso eu de que.
    Um abraço, Pedro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amanhã há mais, António.
      Como na canção, até que a voz me doa.
      Aquele abraço

      Eliminar
  9. Realmente isso não faz sentido nenhum, Pedro!
    Que ameaça, para Macau, poderia haver na participação, no certame literário, desses 3 escritores?
    Já agora, qual seria a sua nacionalidade, Pedro? Ou acha que isso seria irrelevante?
    Enfim...tudo o vento está de facto a levar, sobretudo o bom senso.

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma é chinesa, uma de origem norte-coreana mas há muitos anos a viver na China, o outro americano.
      Qual era a ameaça, Janita?
      A pior de todas - o pensamento livre.
      Beijinhos

      Eliminar
  10. Mau de mais!! Falta aqui o emoji de surpresa, mas fica aqui um imenso OOOOOOOH!!!

    Shame!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Leu Cisnes Selvagens, Graça?
      Pois, Jung Chang é uma das autoras objecto desta medida.
      Beijinhos

      Eliminar
  11. nunca é muito bom quando se proíbe a entrada de pessoas ligadas à cultura, Pedro :(
    boa noite

    Angela

    ResponderEliminar
  12. Facto que tem sido bastante noticiado por cá. Nada bom.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda bem que a notícia se espalha, luisa.
      Apesar de Macau ficar com a cara borrada (onde é que está a perda de face nestes casos??) fica-se a saber os abusos que se vão cometendo.
      E que é bom que não passem impunes.

      Eliminar
  13. Enfimmm
    Abraço
    https://caminhos-percorridos2017.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  14. O pensamento é uma ameaça para os lunáticos.

    ResponderEliminar
  15. O pensamento e uma ameaça para os lunáticos.

    ResponderEliminar
  16. Tenho acompanhado o assunto com interesse, mas ainda não percebi bem se é uma ingerência de Pequim, ou o governo de Macau a mostrar serviço a Xi.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cada vez se percebe menos, Carlos.
      Porque quem supostamente teria dado o recado (o Gabinete de Ligação do Governo Central em Macau) já negou essa possibilidade.
      Afinal em que é que ficamos?
      Alguém sonhou com um telefonema?
      Foi uma partida de primeiro de Abril antes de tempo?
      É no que dá receber ordens por telefone e não exigir que sejam transmitidas formalmente.

      Eliminar