6 de dezembro de 2017

Dicionário Mineirês/Português


DICIONÁRIO MINERÊS/PORTUGUÊS
Procê intende mió o minero, uai.
BÃO DIMAIS DA CONTA.


PRESTENÇÃO - é quano eu tô falano iocê num tá ovino.

CADIQUÊ ? - assim, tentanu intendê o motivo.

CADIM - é quano eu num quero muito, só um poquim.

DEU - omez qui 'di mim'. Ex.: Larga deu, sô!!

SÔ - fim de quarqué frase. Qué exêmpro tamem? 
Cuidadaí, sô!!

DÓ - omez qui 'pena', 'cumpaxão': 
'ai qui dó, gentch...!!

NIMIM - o mez qui ni eu. 
Exemprão gora, ó: 
Nòoo, ce vivi garrado nimim, trem!...
Larga deu, sô!!…

NÓOO - Num tem nada a vê cum laço pertado, não! omez qui 'nossa!..' Vem de Nòoosinhora!…

PELEJANU- omez qui tentanu: 
Tô pelejanu qü'esse diacho, né di hoje, qui nó! (agora é nó mez!)

MINERIM - Nativo duistadiminnss.

UAI - Uai é uai, sô... Uai!

ÉMÊZZZ ?! - minerim querêno cunfirmá.

NÉMÊZZZ ?! - minerim querêno sabê si ocê concorda.

OIAQUI - Minerim tentano chama atenção prarguma coizz…

PÃO DI QUEJJ - Iosscêis sabe!... Cumida fundamentar qui disputa co tutu a preferênça dus minêro.

TUTU - Mistura de farinha di mandioca (o di mio) cum fejão massadim. Bom dimais da conta, gentch!!

TREM - Qué dize quarqué coizz qui um minerim quizé! 
Ex "Já lavei us trem!", Qui trem bão!!

NNN - Gerúndio du minreis. 
Ex: 'Eles tão brincannn', 'Ce ta innn, eu to vinnn…'

BELZONTCH - Capitár dustado.

PÒPÔ - muié respondenu, umes qui pode colocar.

POQUIM - só um poquim, pra num gastá muito

JISGIFORA - Cidadi pertin du RidiJanero. 
Cunfundi a cabeça do minerim que acha qui é carioca.

DEUSDE - desde. 
Ex: 'Eu sô magrelin deusde rapazin!'

ISPÍIA - nome da popular revista 'VEJA'.

ARREDA - verbu na form imperativ (danu órdi), paricido cum saí. 'Arredaí, sô!'

IM - diminutivo. 
Ex: lugarzim, piquininim, vistidim, etc.

DENDAPIA - Dentro da pia.

TRADAPORTA - Atrás da porta.

BADAPIA - Debaixo da pia.

BADACAMA - Debaixo da cama.

PINCOMÉ - Pinga com mel.

ISCODIDENTE - Escova de dente.

PONDIÔNS - Ponto de ônibus.

SAPASSADO - Sábado passado.

VIDIPERFUME - Vidru de perfume.

OIPROCÊVÊ - óia procê vê

TISSDAÌ - Tira iss daí.

CASSZOPÔ - Caxa disopor.

ISTURDIA - Otru dia.

PROINOSTOINO? - pronde nós tamo inu?

CÊSSÀ SÊSSE ONSPASNA SAVAS? - ocê sabe se ess ônibus passa na Savassí?

LUBRINA - é chuva miúda di moiá bobo. 
Ex.: Ih, tá lubrinanu dimais hj, já tô todo moiádo, sô!

18 comentários:

  1. Respostas
    1. ô xente, ocê copreneu.
      Procê vê qui num é dificer :))
      Aquele abraço

      Eliminar
  2. Caro Amigo Pedro Coimbra.
    Meu saudoso sogro, o Sr. Antônio Machado Filho (1922-1987), era mineiro.
    Eles têm um sotaque e linguajar peculiar, mas este dialeto é mais corriqueiro na zona rural.
    Caloroso abraço. Saudações paulistas.
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E é um dialecto muito curioso, muito musical, muito engraçado, Amigo João Paulo de Oliveira.
      Aquele abraço

      Eliminar
  3. Meus "vizinhos"" mineiros hehehehe
    Possuem esse sotaque particular que eu até gosto, se bem que aqui no Brasil possuímos diversos sotaques (uma amiga minha do Pará diz que nós cariocas falamos chiando hehehe)
    Tenha uma excelente quarta feira!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esses diversos sotaques, algo que também acontece em Portugal, é que dá riqueza à Língua, Vanessa.
      Tenha uma excelente quinta-feira

      Eliminar
  4. Também quero uma dicionario gaúcho, tem vezes que vamos a outro estado eles perguntam se somos brasileiro, não entendem o que falamos. Além de falarmos muito alto é diferente. Somos um pouco fronteiriço. Meu pai falava muito estranho,e se agente brincava ele ficava muito brabo. Eu também passei por apuros na adolescência, quando fui estudar na capital eu falei uma palavra e virou gozação total, no fim virei quase uma muda. hahaha Sou meia envergonhada. Lá na minha terra quando se ficava com vergonha se dizia que ficava floreada.
    Abraços

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anajá,
      Não tem nada que ter vergonha de um sotaque muito curioso, muito musical.
      Que eu gosto particularmente de ouvir.
      Abraços

      Eliminar
  5. Respostas
    1. Estamos sempre a aprender, Maria Rodrigues.
      Um abraço

      Eliminar
  6. Respostas
    1. Nadica di nada, Mena Almeida.
      Uai, sô, puque sirá??? :))))

      Eliminar
  7. Foi-me enviado por uma verdadeira Mineira (de Minas Gerais), natural e residente em Belo Horizonte ! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E é uma pérola, Rui.
      Acho que toda a gente gostou de ler.
      Aquele abraço

      Eliminar
  8. Santo Nome !!
    Mas nem com dicionário...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Está bestial, São.
      Gosto de malta assim bem disposta como o Rui.

      Eliminar
  9. rsrsrs, que que é isso??? Nem eu entendo bem, só depois de repetir! Mas eles também não entendem o nosso Gauchês!! Nesse é mais difícil dado as palavras com o sentido muito diferente, não na pronúncia.
    https://www.terra.com.br/noticias/brasil/cidades/dicionario-gaucho/

    Um beijo, adorei!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fui espreitar.
      Se conseguir formatar, publico.
      Um beijo, boa semana :))

      Eliminar