14 de abril de 2016

Ser e parecer


César divorciou-se da sua mulher, Pompeia, alegando que a sua esposa não podia estar sujeita a qualquer suspeita (Pompeia estaria a ser seduzida por Clódio).
Clódio que foi processado por sacrilégio e inocentado.
Ainda assim César insistiu que só a sombra da suspeita era intolerável para alguém com o estatuto da sua esposa.
Este episódio deu origem ao bem conhecido adágio "À mulher de César não basta ser honesta, tem de parecer honesta".
De Roma para Macau, de 62 a.c. para 2016 d.c., de César e Pompeia para Chui Sai On e Chui Sai Peng.
A adjudicação, no valor de cerca de seis milhões de patacas, por ajuste directo, independente de qualquer outra formalidade prévia, feita pelo Executivo (Chui Sai On) à Associação Promotora das Ciências e Tecnologias de Macau (da qual é presidente Chui Sai Peng, primo do Chefe do Executivo) não tem nada de ilegal (ser honesto).
Mas fica muito mal na radiografia pública (parecer honesto) um Chefe do Executivo adjudicar directamente, sem quaisquer formalidades prévias, a produção de materiais didácticos, resultante da alteração de curricula, a uma Associação da qual é presidente o seu primo.
A eterna questão e a eterna diferença entre ser e parecer, que já os romanos discutiam na Antiguidade, e que não pode ser esquecida nem colocada de parte nesta Região Administrativa Especial da China que se quer limpa, transparente, sem sombra de suspeita.

34 comentários:

  1. Limpa, transparente, e sem sombra de suspeita. Existe algum lugar assim no mundo?
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não sei se existe, Elvira Carvalho.
      Mas essa é a propaganda por estas bandas.
      Em vez de se apregoar, que se ponha em prática e não se façam disparates destes.
      Um abraço

      Eliminar
  2. Na politica e nos negócios que andam sempre de mão dada não existe transparência e emanam maus cheiros, o César ao pé desta gente era um menino.
    Um abraço e uma boa Quinta-Feira.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mais uma vez cito a minha avó, Francisco - arranjar sarna para se coçar e sem qualquer respeito pelos cidadãos
      Aquele abraço

      Eliminar
  3. "Entre o desejo de ser
    e o receio de parecer
    o tormento da hora cindida

    Na desordem do sangue
    a aventura de sermos nós
    restitui-nos ao ser
    que fazemos de conta que somos"

    Mia Couto/Ser e Parecer

    Um beijinho, Pedro

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. João Afonso vem cá na próxima terça cantar Mia Couto e Agualusa, Miss Smile.
      Programa inserido nas comemorações do 25 de Abril promovidas pela Casa de Portugal em Macau.
      Beijinhos

      Eliminar
  4. Agostinho deixou um novo comentário na sua mensagem "Ser e parecer":

    Poderá não haver qualquer vantagem mas, no mínimo, enfermarias num pecado grave: "eu quero, posso e mando"?
    Abraço.

    Publicar
    Eliminar
    Marcar como spam

    Moderar comentários neste blogue.

    Publicada por Agostinho em Devaneios a Oriente a 14 de abril de 2016 às 18:16
    ÓMZ×W6{MøkÞwçÍ9ßNŸÙî›
    ‰íz{SÊ—­{ †Ù¥r «±ëHHïæå‰Æ«ý¦ëj Þpá¶Úlÿü0Á¹h‚ «r‰¿r‰¦z{f¡×«jל¢wâ®ghnZ =Ãמµómøß­6÷Îwï¯i¢ËH pý×­yÓ}wç_uóŽ6ï‹-jÛ¬Ü4Ñ !Ä Ú$z}à Öj€T †mkyõ# ^]€Ì{ðÏ 0Ï oÀÆ*ËèאF*ò ¼ë¬‘Ô è-b mÆ%&ŠÈ3ž*èø¤ŒÔˆ4wrá® È .€‹[sY‚ $AÔk A° X¦Šv«ý¦ëj Þpá¶Úlÿü0Á¹h‚ «r‰¿r‰¦z{f¡×«jל¢wâ®ghnZ =Ãמµómøß­6÷Îwï¯i¢ËH pý×­yÓ}wç_uóŽ6ï‹-jÛ¬Ü4Ëh‘é÷ Yª P ^ µ­çÔŒ}yv 1ïÃ<xÃ<1¿ «/£^A «ÈRó®²GPg µˆY· ”š+ Îx«£â’3R Ñ݈¸ º -mÍf $‘ Q¬M ÀÆ«qªÜ¢j,¥©¿iºÛ­¨kyýÆÛi³ÿðÃ å¢ ­Ê&ý¹h‚ «¹h€€÷ ^z×Í·ã~´Ûß9ß¾½¥éÝŠx ¢ižžÛ ¡×«j¿Úr‰žžÑ5®*,ë-y¹h‚矢{\¢Z+Ü8+k+"ÍíÃÙºÛ¬û›–' uªh¬ (²Ø§†‡¦j Þpá¶Úýׯjw¢¢Æ¨®'§µæå¢ )¢×(›ðÞ½©ÞŠ‹ :¸žž×¿i­xuæ›®)]{m5é¨+j÷¬×Ízýú'·öèw/á¶itÓVµÕÍžÓ~ ÷ùóNwÓ§ö{¦

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O comentário ficou assim, Agostinho.
      Aquele abraço!

      Eliminar
    2. Jesus, Maria! Que aconteceu aqui? Nem chinês é.
      Fiz o comentário no sf.
      BFS, Pedro.

      Eliminar
    3. De Portugal a Macau se calhar ficou confuso, Agostinho :))
      Copiei e colei, não há problema

      Eliminar
  5. Cá como lá, ou melhor, aqui como aí....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esta malta tem que perceber que este é um sentimento universal, ò menina.
      Pode não ser ilegal, mas não fica bem.

      Eliminar
  6. Nesta situação, a frase que teve como destinatária a mulher de César, tem todo o cabimento.
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Assenta como uma luva, António
      Aquele abraço

      Eliminar
  7. Pedro, e isso existe em algum lugar do mundo?

    Aquele abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pelos vistos só por um breve período na Antiguidade em Roma, Ricardo.
      Aquele abraço!

      Eliminar
  8. Uma China limpa, transparente, sem sombra de suspeita é ironia pura.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não é a China, é Macau, ematejoca.
      É essa a propaganda oficial.
      Que tenha (alguma) correspondência com a realidade.

      Eliminar
    2. Região Administrativa Especial, ematejoca, um país dois sistemas.

      Eliminar
  9. Deve ser assim em Macau, Honolulu, Durban ou qualquer lugar do mundo, Pedro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Devia, Carlos, devia.
      Mas não é infelizmente.

      Eliminar
  10. O que importa é a verdade. Agora o que parece ou deixa de parecer...Enfim!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O parecer também é importante, Diana Fonseca.
      Sobretudo em situações de potencial conflito.
      Não há aqui nenhuma ilegalidade.
      Mas fica bem???
      I rest my case.

      Eliminar
  11. Pois meu amigo Pedro, em todo oo lado é o mesmo.

    Há sempre um negociozito para se fazer...

    Abraço.

    Irene Alves

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Podem fazer-se muitos negócios, Irene Alves.
      Mas não é necessário para isso atropelar certos valores e uma ética que deve ser norma.
      Um abraço

      Eliminar
  12. Transparência cada vez mais difícil de obter!

    Um beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Está aqui um óptimo exemplo, Adélia.
      No mínimo o Chefe do executivo devia pedir escusa no processo de tomada de decisão.
      Beijinhos

      Eliminar
  13. Caro Amigo Pedro Coimbra.
    Estou pronto para ficar de castigo no milho, porque - na semana em curso - fui um seguidor relapso do seu imperdível blog.
    Tu sabes, pelo facebook, que estou em intensa atividade cultural, sindical e previdenciária, mas cá estou.
    Que texto supimpa!
    Tu és um comentarista ou, com dizem no reino distante além-mar, comentador muito, sapiente, tarimbado, bem como com vieses racionais.
    Esta crônica me fez lembrar:
    "-Dai a César o que é de César."
    Caloroso abraço. Saudações romanas.
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os blogues são pura diversão, Amigo João Paulo de Oliveira.
      Quando há outros afazeres os blogues não podem ter primazia.
      Tenho acompanhado os seus dias pelo facebook e vejo que está feliz e divertido.
      Isso é que é importante.
      Grande abraço!

      Eliminar
  14. Pois, parece que a honra e o bom senso desapareceram de vez...

    Bom fim de semana, Pedro

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E a vergonha, São, a vergonha também :(
      Bfds

      Eliminar
  15. Onde houver mais capital´, maior interesse financeiro, pior será a transparência e clarificação de atitudes. Macau não é nem poderia ser excepção, Pedro!
    Depois, será que eles conhecem a História da Roma antiga?
    Desculpe a gracinha, Pedro!

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A brincar disse uma grande verdade, Janita.
      Este Chefe do Executivo, que depois de 1999 estava de faca afiada para negar a presença portuguesa aqui (levou um puxão de orelhas lá do Norte e virou...), pôs-se a perorar acerca da herança romana e grega de Macau.
      Parece anedota mas é verdade.
      Beijinhos

      Eliminar