27 de agosto de 2015

O Terreiro do Paço antes do terramoto de 1755

Momento de História:  um vídeo (duração de 3:50min, muito boa definição) com um interessante conjunto de imagens do Terreiro do Paço antes de 1 de Novembro de 1755, do maremoto ocorrido nesse fatídico dia e também algumas imagens da sua reconstrução e alterações até à actualidade, com acompanhamento de música barroca.
Nele podemos apreciar também a importância da vida social e da sociedade de então, que fervilhava à volta do centro do Poder.

10 comentários:

  1. ~~~
    ~ Muito interessante, Pedro.
    ~ Gosto da versão com árvores...

    ~~~ Beijinho. ~~~
    ~~~~~~~~~~~~~~~~

    ~~~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma maneira curiosa de ensinar História, Majo.
      Beijinhos

      Eliminar
  2. Um excelente momento de história. Na minha opinião se um dia, Deus queira que não, ocorrer um simples abanico naquela zona tudo irá por água abaixo porque escavaram um mundo no sub-solo sem pensarem que a própria trepidação do metro...com o tempo abrirá fissuras e digo-te Pedro que ao tirarem sobretudo as árvores e imperar o betão versus mármore não gosto nada da actual praça do comércio.

    Acompanhei as obras dantescas, ruidosas e danosas porque trabalhei 12 anos na Praça do Município junto à Câmara de Lisboa e depois fomos para os Restauradores.

    Modernices + Modernices por vezes sem pensarem nas possíveis consequências.

    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aqui também andam a fazer um metro.
      Mas é de superfície.
      E é uma obra de Santa Engrácia.
      Ninguém sabe quando estará pronta, quanto irá custar no final, qual o traçado exacto.
      E a cidade continua virada ao contrário, transformada em estaleiro a céu aberto.
      Um abraço

      Eliminar
  3. Um excelente vídeo, Pedro. Sempre oportuno.

    Um beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma lição de História simples e eficaz, Miss Smile.
      Beijinho

      Eliminar
  4. Caro Amigo Pedro Coimbra.
    Este grande terremoto deixou marcas indeléveis na capital do reino distante além-mar.
    Apreciei sobremaneira teu comentário na Nossa Travessa.
    Caloroso abraço. Saudações antissimicas.
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver sem véus, sem ranços, com muita imaginação e com muito gozo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O que assusta é pensar que a mesma destruição poderia acontecer novamente na actualidade, Amigo João Paulo de Oliveira.
      Aquele abraço

      Eliminar

  5. Adorei o vídeo, não só pela informação mas também pela música. Gosto muito de música barroca e este concerto de cravo em Lá Maior de Carlos Seixas é um ícone.
    Deliciei-me com os pormenores deste quadro, que imagino ser de um tamanho razoável para poder comportar com tantas cenas do quotidiano.
    O terreiro do paço é um lugar "mágico" para mim... temos muito a agradecer à tenacidade e vontade do Marquês de Pombal, pois Lisboa ficou linda após a reconstrução.

    Curiosamente ainda ontem à noite se falou cá em casa do terramoto de 1755 a propósito da necessidade de implementar um sistema de alerta e aviso às populações em caso de catástrofes naturais, como os tsunamis. Lisboa está perigosamente exposta a problemas que possam surgir derivados a subidas repentinas das águas...
    (mas nem é bom pensar num cenário desses)

    Beijinhos barrocos
    (^^)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A prevenção destes desastres naturais, especialmente em zonas propensas à ocorrência dos mesmos, é sempre uma boa ideia.
      Afastemos maus pensamentos
      Mas, ao mesmo tempo, tomem-se medidas para prevenir catástrofes.
      Beijinhos

      Eliminar