19 de agosto de 2015

Inglês como língua oficial de Macau?


De quando em vez aparece uma mente peregrina a sugerir que a língua inglesa seja adoptada como língua oficial em Macau.
A ignorância e a má-fé explicam facilmente estes dislates.
As mentes brilhantes que avançam com esta proposta deviam começar por se interrogar acerca do é afinal uma língua oficial.
E facilmente encontrariam a resposta dada pela UNESCO.
A(s) língua(s) oficial(ais) é (são) a(s) adoptada(s) nas actividades oficiais de um estado ou território.
A consagração legal desse(s) idioma(s) provém da tradição, do costume, da prática, de compromissos estabelecidos em tratados internacionais.
Se não fosse pedir muito, talvez não fosse de todo despiciendo consultar ainda o que consagram o artigo 9º da Lei Básica de Macau e o artigo 6º do Código do Procedimento Administrativo, também de Macau.
Se lhe juntarmos os quase cinco séculos de permanência portuguesa como potência administrante em Macau, e a expressa vontade do poder político chinês, tornar-se-ia cristalino o porquê da consagração da língua portuguesa como língua oficial de Macau.
E talvez se pusesse de uma vez por todas um fim a este complexo neo-colonialista que ainda afecta muita boa gente nesta cidade banhada pelo Rio das Pérolas.

22 comentários:

  1. Já agora o tagalo e o russo...
    Santa ignorância.
    Bom dia, Pedro!
    Mor

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mor,
      Como já comentei hoje, espero ansiosamente o dia em que Hong Kong decida adoptar o português como língua oficial :))

      Eliminar
  2. Ora aqui está o sabonete para os modernaços do costume.
    Abraço, Pedro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esta gente é parva e faz dos outros parvos, Agostinho.
      Pata que os pôs!!
      Aquele abraço

      Eliminar
  3. Achas que será o português? Deveria ser pelo que enumeras...mas não acredito.

    Beijocas e um bom dia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O português é língua oficial de Macau, Fatyly.
      O que dá cócegas a muita gente.
      Cocem-se!!!
      Beijocas

      Eliminar
  4. Há os tempos era em Moçambique que se falava de mudar a língua oficial para inglês. Custa-me a entender tanta parvoíce.
    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A mesma motivação, Elvira Carvalho.
      Complexos neo-colonialistas.
      Um abraço

      Eliminar
  5. Por cá, as escolas secundárias que oferecem Mandarim fazem disso parangonas. A pequenez a que se sujeitam perante outra línguas que julgam mais importantes é confrangedora.

    Boa tarde, Pedro. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O conhecimento de outras línguas é uma vantagem competitiva, Maria Eu.
      Daí até querer subverter o que está legalmente consagrado, a nível constitucional e baseado em tratados depositados na ONU, vai um grande e perigoso passo.
      Boa tarde para Portugal (em Macau são 9 e meia da noite)

      Eliminar
    2. Nada contra a aprendizagem de outras línguas, até porque sou professora de Inglês. :)

      Boa noite, então. :)

      Eliminar
    3. As minhas filhas estudam em escolas cujo ensino é de base inglesa, Maria Eu.
      70% inglês, 30% mandarim.
      E ainda dominam o português e o cantonense.
      Habituaram-se desde pequeninas e é uma vantagem para elas.
      Fica caro para os pais mas é o mais importante dos investimentos que se pode fazer na vida.

      Eliminar
    4. Magnífico! Falar 4 línguas com dois sistemas de escrita diferentes sem dúvida que é uma grande vantagem. Só não sei é porque é que Macau não está na CPLP, devia lá estar pelo menos como observador.

      Eliminar
  6. Respostas
    1. Catarina,
      A Lei Básica, com origem na Declaração Conjunta, uma de nível constitucional, outra um tratado depositado na ONU, consagra o billinguismo em Macau.
      PORTUGUÊS E CHINÊS.
      Inglês é em Hong Kong.
      Estes apressados vão ter que esperar até 2049.

      Eliminar
  7. ~~~
    ~ Tenho apontado estes casos - também ocorrentes em Timor e Moçambique -
    como fatores primordiais para a prática do novo Acordo Ortográfico vigente.
    ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

    ~~~~~ Beijinhos. ~~~~~~~~~~~~~~~~
    ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A questão do Acordo Ortográfico aqui não é o principal, Majo.
      O fundamental é que há para aqui muita gentalha que abomina a ideia de o português permanecer com o estatuto de língua oficial.
      E, de vez em quando, lá vem um mandar uns bitaites acerca das virtualidades da língua inglesa.
      2049 é já ali ao virar da esquina.
      Só têm que esperar um bocadinho.
      Beijinhos

      Eliminar
  8. Pedro,
    muito se fala na proteção da diversidade, mas muitas mais forças haverá para tudo uniformizar (neste caso pelo idioma)
    boa noite !
    Angela

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por muita força que façam não estão com sorte nenhuma, Angela.
      A China quer o português como língua oficial em Macau (estratégia de penetração nos mercados lusófonos)
      Azares da vida.....

      Eliminar
  9. Uma amiga que esteve em Macau ficou muito espantada porque ficou com a ideia que apenas uns 5% da população falava português. Se assim for, esse costume há de passar depressinha. Agora se a população está virada para aprender e usar inglês oficialmente, pois, já são outros 5 paus...

    Beijocas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. 5% fala português ou 5% é de origem portuguesa, Teté?
      É que são coisas bem diferentes.
      Há muita gente que domina a língua portuguesa.
      Até a nível do actual Executivo.
      Só o Chefe do Executivo, e um dos Secretários, de todos os titulares dos principais cargos, não dominam o português.
      Neste caso podemos mesmo dizer que vozes de burro não chegam ao céu (Pequim).
      Beijocas

      Eliminar
  10. Cabe também a Portugal, se possível em coordenação com a CPLP, fazer pressão para que o português continue a ser língua oficial em Macau. Creio que isso até ficou estipulado no acordo que permitiu a transferência de soberania para a China em 1999.

    ResponderEliminar