7 de maio de 2015

A greve de alguns pilotos da TAP


Uma pesquisa muito simples permite perceber que o termo greve tem origem na língua francesa (grève), referente à Place de Grève (Paris), local de embarque e desembarque e depois local de protestos de trabalhadores insatisfeitos com as suas condições laborais, e significa a interrupção voluntária e colectiva do trabalho com o objectivo de reivindicar melhores condições laborais.
Esta definição, e a origem histórica e etimológica do termo greve, permitem imediatamente intuir que o protesto de alguns pilotos da TAP, membros do Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil (SPAC), não é uma greve em sentido estrito, é antes um protesto elitista e descabido que busca em última análise a obtenção de privilégios para uma minoria de trabalhadores.
Trabalhadores que, no cúmulo do egoísmo, ameaçam inclusivamente prolongar o protesto porque o fundo de greve lhes dá margem para isso.
O respeito para com os utentes, os colegas, a empresa, são todos obliterados em obediência à ânsia de ganhos no curto ou médio prazo de uma minoria movida por motivos puramente de classe.
Ganhos de uma minoria que reivindica uma participação no processo de privatização da empresa, nem que para atingir os seus fins tenha que em última análise sacrificar a própria empresa.
Autistas, ignorando as vozes de protesto que surgem do interior da empresa, de quase todos os campos políticos, da sociedade em geral, os membros do SPAC que insistem nestes protestos revelam um completo desrespeito por terceiros e pelos seus direitos.
Até pode acontecer que venham a ser bem sucedidos nas suas reivindicações.
E que venham a ter nas mãos 20% de participação na empresa.
Que pode bem ser então uma empresa falida ou à beira da falência.
Vitória de Pirro, ou de porra?!

32 comentários:

  1. Fechar, dar por insolvência como é de hábito em Portugal e depois abrir com novo nome com novos trabalhadores....estes que vão à ilha de Pota...
    Kis :>)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. AvoGi,
      Parece que é isso mesmo que estão a pedir.
      Depois queixem-se.
      Beijinhos

      Eliminar
  2. Os pilotos da TAP sempre se interessaram exclusivamente pelos seus interesses, sejam eles quais forem e prejudiquem quem prejudiquem!

    Isto não é uma greve, é um acto vergonhoso em que as intenções subjacentes às verdadeiras greves são totalmente subvertidas.

    Fiz muitas greves e até fui dirigente sindical e por isso mesmo repudio este tipo de comportamento.

    Tudo de bom, Pedro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. São,
      Um sindicato responsável, que organiza um protesto responsável, é o oposto disto.
      Isto é pura reivindicação de classe sem pensar em mais ninguém.
      Tudo de bom

      Eliminar
    2. Nem isso, porque desde quando é que se fazem greves para ser patrões de colegas?!

      Eliminar
    3. Pelos vistos desde que um bando de irresponsáveis resolveu organizar um protesto, a que chamaram greve, na TAP, São.

      Eliminar
  3. Pedro, aqui vai um curriculum vitae de um piloto da TAP:

    De 1945 a 1 de Maio de 2015 - Piloto de Aviação numa companhia aérea de prestígio.

    De 1 de Maio a 10 de Maio de 2015 - Coveiro dessa mesma companhia aérea de prestígio.

    De 11 de Maio de 2015 a 31 de Dezembro de 2099 - Desempregado em potência.

    Aquele abraço, Pedro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O pior é que esse currículo se pode vir a aplicar aos pilotos que não aderiram a esta estupidez e que podem vir a ser atingidos pela irresponsabilidade de uns quantos.
      Aquele abraço

      Eliminar
  4. 'Vitória de Pirro, ou de porra?!'
    Nada disso, Pedro, apenas não haverá vitória.
    Um abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esse é o desfecho mais previsível, António.
      Toda a gente acaba por perder.
      Irresponsáveis e egoístas!
      Aquele abraço

      Eliminar
  5. Quando se olha só para o próprio umbigo, dá nisto!
    Lamentável e muito preocupante.

    Um beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É isso precisamente, Fê - olhar apenas para o próprio umbigo.
      E esquecer terceiros.
      Beijinhos

      Eliminar
  6. Só olham para o seu umbigo e pronto. Vamos ver se não lhes sai o tiro pela culatra.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O pior é afectarem terceiros e a própria empresa, Timtim Tim

      Eliminar
  7. http://observador.pt/opiniao/ja-se-pode-falar-sobre-os-sindicatos/

    Este, um dos melhores artigos que tenho lido nos últimos anos ! Claro que tem sido "tabu" dizer mal dos Sindicatos.

    Assim como outra coisa: porque será que todos os humoristas são de esquerda ? ... Lá está ! Cai bem no goto, da generalidade ! Qual deles se atreve a fazer humor inverso ? ... Também é tabu.
    Lembra-se que após o 25 de Abril a Revista Portuguesa caiu a pique ? ... É que quando não há "em quem bater", não há clientela !

    Abraço, Pedro ! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu sou, cada vez mais, ferozmente independente, Rui.
      E aponto aquilo que considero errado, à esquerda ou à direita.
      O post de ontem é disso um bom exemplo.
      Este protesto (recuso chamar-lhe greve) é descabido, egoísta, elitista, irresponsável.
      Aquele abraço

      Eliminar
  8. ~~ Ninguém sabe até que ponto são verídicas, estas informações.

    Como saber se não estamos a ser manipulados pela comunicação social?

    ~~~ Beijinho. ~~~
    ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Majo,
      Os pilotos estão todos a cumprir as suas obrigações profissionais?
      Não estão.
      Porquê?
      É o porta-voz do Sindicato a vir para a comunicação social falar em percentagem no processo de privatização.
      Beijinhos

      Eliminar
  9. De um modo geral sou contra qualquer greve, mas aceito-a porque está na constituição da República.
    Mas esta greve é perfeitamente vergonhosa, por tudo o que já se disse aqui. No dia 11 de Maio quando alguns dos pilotos grevistas resolverem retomar o serviço, podem ter a surpresa de já não terem empresa.
    Segundo a TAP 70% dos pilotos não fizeram greve e de facto quem olhe para os céus de Lisboa, continua a ver aviões da TAP no ar, o que prova que nem todos os pilotos são loucos.
    De qualquer modo repito: Esta greve é uma vergonhosa!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O direito à greve está constitucionalmente consagrado, Paulo Lisboa.
      E é um direito que deve ser reconhecido a todos os trabalhadores.
      mas que, como qualquer direito, tem que ser exercido responsavelmente (liberdade e responsabilidade andam de mãos dadas).
      O que estes tipos estão a fazer na TAP não é uma greve - é um protesto de classe.

      Eliminar
  10. Mas não são todos os pilotos, há muitos que não aderiram à greve.
    Quando vejo as imagens na televisão, penso na sorte que tenho em não estar a viajar agora.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A grande maioria pelos vistos, Gábi.
      Meia dúzia de parvos irresponsáveis podem estar a pôr em causa o futuro da empresa e dos colegas.

      Eliminar
  11. É uma situação lamentável. Os pilotos poderão ficar com uma empresa a dar as últimas, como se costuma dizer. Inaceitável.
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O mais lamentável é afectarem outras pessoas.
      A começar e a acabar nos próprios colegas.
      Aquele abraço

      Eliminar
  12. 20% x 0 = ?
    parece difícil de calcular
    é também verdade que as informações distribuídas são muitas vezes contraditórias, mas que assustam os potenciais passageiros, não haverá dúvidas
    boa noite Pedro

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Angela,
      Os voos cancelados, as reservas de hotéis canceladas, não deixam margem para dúvidas.
      Não há aqui nenhuma cabala, há uma cambada de irresponsáveis que estão a afectar muita gente.

      Eliminar
  13. Esta greve não é um tiro no pé deles. É uma descarga de metralhadora.
    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O pior é atingir terceiros, Elvira Carvalho.
      E nem se pode falar em fogo amigo num caso como este.
      Um abraço

      Eliminar
  14. E nem se vê fim disto... Ou talvez só se veja o fim, mesmo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esse é um desfecho bem possível, luisa - ser este o fim.
      Pelo menos o princípio do fim :(

      Eliminar
  15. O último que feche a porta!
    A TAP está como está por quê?
    Para mim o pior têm sido os políticos. Durante décadas acumularam erros e omissões.
    Dos pilotos nem vale a pena falar.
    O destino da TAP parece traçado e este Governo está deserto por fazê-lo: a venda às fatias. Há muitos urubus à espera.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ouvir aquele representante dos pilotos (Pilatos???) fazer coroa de glória com os prejuízos da empresa, a qual, enquanto for pública, é paga por todos os contribuintes, dá vómitos, Agostinho.

      Eliminar