12 de março de 2013

O Conclave


Os 115 cardeais que irão eleger o novo Papa entram hoje em clausura.
Cumprindo o ritual, deslocam-se da Casa Santa Marta até à Basílica de São Pedro para assistirem à missa que abre formalmente o conclave.
Após a missa, seguem em procissão até ao prédio da Capela Sistina e recolhem-se em absoluta clausura no local da votação já previamente preparado para os receber.
Se tudo correr como os analistas têm vindo a prever, este será um conclave curto, rápido.
E, até ao final da semana (quinta-feira?) haverá fumo branco a sair da chaminé do fogão da Capela Sistina.
O Primeiro Diácono deslocar-se-à então até à varanda da Basílica de São Pedro onde anunciará formalmente Annuntio vobis gaudium magnum: Habemus Papam (Anuncio-vos com a maior alegria:Temos Papa!) seguido do anúncio do nome escolhido pelo novo Papa.
Até chegar aqui, um longo cerimonial, ritualizado, terá sido seguido.
Os 115 cardeais, mais de metade europeus, 28 dos quais italianos, depois de jurarem sigilo, escreverão o nome do seu favorito num papel de cor branca e forma retangular, que tem escrito na parte superior Eligo in summum pontificem (Elejo como Sumo Pontífice).
Os votos são dobrados e depositados numa bandeja de prata e dali vertidos para uma taça onde serão contados.
Se nenhum dos cardeais obtiver dois terços dos votos, esses papéis são queimados em palha húmida e sairá fumo negro da chaminé do fogão da Capela Sistina.
Este ritual é repetido até à eleição do novo Papa, seguindo-se a aceitação formal do cargo, a escolha do nome a adoptar e o anúncio supracitado.
Os analistas referem que, à partida para este conclave, para pelo menos 50 dos cardeais votantes, o novo Papa ainda não está escolhido.
Ainda assim, reforçam, essa escolha não irá ultrapassar esta semana.
O que leva a pensar que, se a cara ainda não está escolhida, o perfil já estará.
O tal Papa vindo de fora do continente europeu, com uma mentalidade mais arejada, aberto a novos valores, pronto a aceitar novos desafios?
Custa a acreditar que assim seja quando se está perante um Colégio Cardinalício composto por uma grande maioria de cardeais escolhidos por Bento XVI, com idade superior a 70 anos e tidos como profundamente conservadores.
Previsões, com algum grau de certeza, por esta altura só se pode fazer uma - até ao final desta semana será conhecido o próximo Papa.

20 comentários:

  1. Que Deus os abençoe nesta importantíssima decisão para a Igreja Católica, Pedro!

    Grande Abraço, Pedro!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E num momento particularmente conturbado na História da Igreja, Ricardo.
      Que o Divino Espirito Santo os ilumine.
      Grande abraço, Ricardo!

      Eliminar
  2. Quem entra Papa sai cardeal, esta é que é esta. Os média podem avançar com todos e mais alguns nomes... nunca acertaram nem hão-de acertar. O importante mesmo é que o futuro Papa seja fiel à Tradição e que não a traia, evitando seguir o exemplo de Judas Iscariotes.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A única previsão que pode fazer com algum grau de certeza é que o sucessor de Bento XVI será conhecido até ao final da semana.
      Por aí parece estar tudo de acordo, Firehead

      Eliminar
  3. Pedro,
    Gostei da sua interrogação. Um papa fora da Europa será difícil, a meu ver.
    Beijinhos. :))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ana,
      Fala-se muito no cardeal canadiano, no cardeal brasileiro (São Paulo), no cardeal filipino (um jovem).
      No final, lá sairá mais um europeu :(
      Beijinhos

      Eliminar
  4. Coimbramigo

    Linda cara nova tem este teu blogue, possivelmente para receber o Conclave, mas estás muito enganado, ele começou em Belém do Múmia semi-vivo, semi-morto. Era para ser no Vaticano, mas o Relvas meteu uma cunha e quando os cardeais se interrogaram e lhe pediram papel justificativo, o Ervas citou o Chiquinho Viegas: vão tomar no cu.

    Por isso agora o fummetto será cor de laranja e os participantes deslocam-se ao palácio (que nós pagamos) de eléctrico ou de trotineta, dependendo do gosto, do feitio e disposição de cada umas das eminências algumas muito pardas.

    Entretanto o FêCêPê continua em segundo, o Jesus vermelho dá uma aula numa Universidade e o meu Sporting faz um resultadão, ah ganda malta piquena!!!9 1-1 na nossa Coimbra.

    E por hoje é tudo. Ite missa est

    H

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. FerreirAmigo,
      Só tu para me fazeres rir com o conclave.
      O Relvas não conseguiu equivalência, não foi?
      Passou à frente da igreja e isso não suficiente para lhe darem equivalência a cardeal.
      Que injustiça!! :))

      O Sporting conseguiu roubar um ponto à Académica.
      Malandros do ca....raças!

      Zaijian!!

      Eliminar
  5. Aguardarei e quem quer que seja irá ter um enorme trabalho/batalha pela frente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não vamos ter que aguardar muito, Fatyly.
      Os conclaves nunca demoram mais que cinco dias.
      Desta vez, atendendo à renúncia de Bento XVI, até é possível que seja mais rápido.
      Até ao final da semana, no máximo.

      Eliminar
  6. Eu passo para deixar um beijinho e uma flor

    ResponderEliminar
  7. Consta-me que a escolha não será fácil porque, desta vez, há duas correntes antagónicas.
    Se, como o Pedro diz, a maioria dos cardeais é afecto a Bento XVI, então palpita-me que o brasileiro não terá muitas hipóteses. Esperemos para ver sair o fumo branco.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Carlos,
      Como já referi noutro comentário, os conclaves nunca demoram mais de cinco dias.
      Desta vez, atendendo à situação de vazio que a renúncia de Bento XVI criou e aos problemas que a Igreja vive, até é bem provável que seja mais rápido.
      Um Papa com ideias mais arejadas, mais aberto ao Mundo?
      Era bom, mas não acredito.
      A linha Bento XVI domina.
      Como referem muito especialistas nas questões do Vaticano, o mais provável é virmos a ter um Bento XVII.

      Eliminar
  8. Ui, esperemos que se resolvam depressinha, que já hoje eram só emissões e programas especiais sobre o conclave e o Papa demissionário, se a decisão se prolonga ainda vão inventar mais uns...

    Beijocas!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Antes do final da semana, Teté, antes do final da semana.
      Beijocas

      Eliminar
  9. Agora que o "meu" papa se foi embora, não interessa quem seja o novo Papa.

    Seja qual for a nacionalidade do Papa a Igreja continua a defender os seus dogmas e nada vai mudar.

    Não gostavam do pastor alemão, mas o pior, é se a seguir vem um lobo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas, atendendo à composição do colégio cardinalício, é melhor esperar por um Bento XVII, ematejoca.
      É o mais provável.

      Eliminar
    2. E ainda bem que assim é. Se a Igreja deixar um dia de defender os seus dogmas, morreu.

      Eliminar
    3. Hoje voltarei ao tema, FireHead.
      Não aqui, mas no Olhar Direito

      Eliminar