14 de março de 2013

Imperdoável!


O título do filme realizado por Clint Eastwood pode perfeitamente ser o título adoptado para classificar a maneira como o Porto foi afastado desta edição da Liga dos Campeões.
Declaração prévia - não vi o jogo.
Aquilo que escrevo resulta dos resumos que já vi, das crónicas que já li, do que são a minha opinião e a minha sensibilidade em situações como esta.
Uma vitória por 1-0 na primeira mão, não sendo um resultado excepcional, é sempre um resultado bom.
Sobretudo quando se tem que defrontar uma equipa que, não sendo fraca, está longe de ser forte.
Com um cenário destes, a equipa que está em vantagem na eliminatória, o Porto neste caso, deve preparar-se para gerir o jogo, controlá-lo o mais possível e surpreender o adversário no contra-ataque.
É simples, é dos livros.
E o que fez o Porto?
Controlou o jogo na primeira meia hora, mas sem nunca incomodar o adversário.
Aliás, quando Vítor Pereira prescinde de um ala (podia ser James, podia ser Atsu, podia ser Izmaylov) e coloca um médio no flanco (Defour) transmite esse sinal ao adversário.
Não estando rotinado naquela posição, Defour foi massacrado.
Até cometer um erro que lhe custou um vermelho e deixou o Porto a jogar quase toda a segunda parte com menos um.
Em boa verdade, menos dois.
Porque Moutinho não estava em condições para jogar este jogo e andou ali perdido até ser substituído.
 E o que fez Vítor Pereira, já a perder por 1-0?
Inventou!
Resolveu fazer entrar Maicon (porque foi para o banco quando Mangala vinha de lesão é algo que só Vítor Pereira pode explicar) passou a jogar com três centrais e dois falsos laterais, contra-natura, num jogo da Liga dos Campeões, fora de casa.
Deu (mais) asneira!
O Málaga cresceu, marcou o 2-0, eliminou o Porto.
No final, o cúmulo do ridículo - Vítor Pereira a queixar-se de árbitros, e da arbitragem, quando o Porto marcou um golo em fora de jogo no Dragão e viu o árbitro anular um golo limpo ao Málaga no jogo de ontem.
E agora?
Fora da Taça de Portugal; fora da Liga dos Campeões (e o Málaga até seria um equipa acessível a um Porto competente); a ter que correr atrás do prejuízo na Liga Zon Sagres (a Taça da Liga, insisto, não me desperta interesse nenhum); com jogadores claramente fora de forma e ainda não recuperados de lesões (o porquê de tantas lesões musculares é outra questão que ainda está por esclarecer); dá vontade de fazer a viagem do cinema para a música, de Clint Eastwood para os Talking Heads, e perguntar - On the Road to Nowhere?
Dá essa impressão.


No outro jogo da noite, o eliminado Arsenal deixou o Bayern à beira de um ataque de nervos.
Derrotados por 1-3 na primeira mão, os gunners foram ganhar por 2-0 a Munique e ficaram ali à beirinha de consumar o escândalo.

Os ingleses saem da prova de cabeça erguida.
O Porto, não.
Imperdoável!

8 comentários:

  1. Pedro,

    até eu fiquei desiludido com a prestação do FCP, ou melhor, com a invenção (habitual) daquele idiota que na sua (novel) postura de arrogância dirige os destinos da equipa de futebol do FCP.

    Amigo, o FCP tinha todas as condições para seguir em frente e, arrisco a dizer, ir longe nesta edição da Champions, e porquê?

    Desde logo, porque o Málaga está longe de ser um adversário à altura de um FCP "normal", depois porque na próxima ronda o FCP poderia encontrar o Galatassaray, a Juventus (não me assusta, Pedro), o PSG (que o FCP já havia defrontado, com sucesso, esta época)e a partir das meias-finais é, como dizia o outro, um "mata-mata".

    Pergunto o seguinte:

    1 - Serei só eu que vejo que este Pereira não tem estatuto, classe ou categoria para treinar o FCP?

    2 - Serei só eu que vejo que o Helton, há muito, está fora de forma e devia "aquecer banco ou bancada" durante uns (largos) jogos? Pedro, aquele 1º golo é um "frango" de Helton!!!

    3 - Serei só eu que vejo que Mangala é um jogador banal e a "anos-luz" do Otamendi (que coitado tem de andar ali a se desdobrar)?

    4 - Serei só eu que vejo que se o Jackson não tiver uma noite inspirada o FCP dificilmente vence um jogo?

    São perguntas que coloco e para as quais guardo a minha resposta lá mais para a frente na época.

    Caro amigo, quanto aos meus "Gunners" o resultado é enganador, aliás, tal qual o foi o resultado da 1ª Mão.

    Aquele abraço, caro amigo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ricardo,
      Se eu não estiver enganado, e estivermos mesmo On the Road to Nowhere, muitos desses problemas serão tratados no final da época.

      O Vítor Pereira ficou com o lugar de treinador porque foi campeão nacional não porque tenha convencido alguém da sua competência.
      Se, este ano, não for campeão, não é a Taça da Liga que o safa.
      O Helton já tem a sombra do Fabiano Freitas.
      O primeiro golo, Ricardo?
      E o golo anulado?
      Que disparate!!!
      Dele e do árbitro.
      Já nao concordo nada com a apreciação ao Mangala.
      Um garoto que é craque mas que foi lançado às feras, ele e o Moutinho, sem estarem em condições físicas para isso.
      O Porto podia, e devia, ter passado esta eliminatória.
      O discurso no final do jogo envergonha.

      O Arsenal teve um mau jogo na primeira volta.
      Ontem provou que não é nada inferior ao Bayern.

      A melhor das sortes para o Benfica hoje!

      Aquele abraço!

      Eliminar
  2. O Málaga foi melhor, sobretudo depois de estar em vantagem numérica. A arbitragem foi fraca, mas, apesar de ter anulado mal um golo ao Málaga, invalidou bem dois golos irregulares do FC Porto. O Maicon ainda lá meteu a bola dentro da baliza... mas o árbitro não era o Proença.
    Este resultado foi mau para o FC Porto e pior para o Benfica porque agora o FC Porto já só tem o campeonato (da Taça da Liga não falo, pois ainda está em curso o recurso do Vitória de Setúbal) e o Vítor Pereira já não precisa de andar a fazer a gestão de um plantel que é reduzido. O Benfica, pelo contrário, está sem os defesas centrais para Bordéus e depois só tem 48 horas antes do dia em que vai a Guimarães defrontar o Vitória local.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mau é ser eliminado sem honra nem glória, Firehead.
      Eu preferia que o Porto continuasse em prova.
      O plantel é mais do que suficiente.
      O treinador é que é burro.
      E isso não tem nada a ver com árbitros
      Até fiquei com vergonha a ouvir o gajo dizer aquilo.
      Vamos ver se eu tenho razão nos meus pressentimentos.
      Se tiver, lá vai ele procurar outro emprego.

      Eliminar
  3. Primeiro a conversa da arbitragem é ridícula. Segundo, o plantel é claramente desiquilibrado e curto. Basta comparar com o do slb.
    Terceirto, a equipa entrou bem no jogo. mandona e a assumir o jogo mas como tem acontecido recentemente, cria pouco perigo. A partir do remate perigoso do Antunes, algo se passou e a equipa não foi a mesma,
    Quarto, foi uma pena ficar pelo caminho depois de uma exibição como a da primeira mão.
    Quinto, o Defour tem jogado ali muitas vezes. Na Luz inclusivamente.
    Bom fim de semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hugo,
      De ridículo, estamos conversados.

      Plantel curto, ou opções erradas?
      Vai mais por esta hipótese.

      A equipa cria pouco perigo porque está a jogar tudo ao monte e fé em Jackson.
      Não pode ser assim.

      Na primeira mão percebeu-se perfeitamente que um Porto normal podia/devia passar esta eliminatória.
      Porque é melhor.
      O que se passou é que o treinador borrou a pintura e transmitiu sinais errados.

      Um desses sinais errados foi a colocação de Defour a jogar ali.
      Sim, já jogou ali na Luz.
      Mas o Benfica não tem uma ala direita como tem o Málaga.
      Percebendo isso, e a tendência ofensiva de Alex Sandro, Pellegrini massacrou aquele flanco.
      Defour, que devia ter jogado a "8", com Moutinho a ter tempo para recuperar. foi sacrificado e queimado.
      E Moutinho também.
      É muita borrada para um jogo só, Hugo.
      Imperdoável!!

      Bom fim de semana!!

      Eliminar
    2. Perdão, Pedro, mas o Benfica não tem uma ala direita como tem o Málaga, meu amigo?

      Bem, devo ser que ando a ver mal pois é na ala direita, precisamente, que o Benfica constrói a maior parte do seu jogo ofensivo com Maxi e Sálvio!!!

      Desculpe-me ter me imiscuído na conversa, mas como não concordava tive de desabafar.

      O problema está no treinador, essencialmente, e no guarda-redes que está num franguista de 1ª apanha!!!

      Abraço

      Eliminar
    3. Ricardo,
      Um dos melhores, e por isso mesmo mais pretendidos, alas da actualidade joga no Málaga.
      Está ali o ponto forte, que desequilibra, naquela equipa.
      E sim, meu caro, considero aquela ala do Málaga mais forte e mais perigosa que a do Benfica.
      Temos opiniões diferentes, só isso.
      E não peça desculpa por se imiscuir.
      Dê opiniões que são sempre bem vindas.
      Aquele abraço!

      Eliminar