6 de março de 2013

Espectacular Língua Portuguesa



(Show) da língua portuguesa

'Um homem rico estava muito mal, agonizando. Pediu papel e caneta.
Escreveu assim:
'Deixo meus bens a minha irmã não a meu sobrinho jamais será paga a conta do padeiro nada dou aos pobres.'
Morreu antes de fazer a pontuação. A quem deixava a fortuna? Eram quatro concorrentes.
1) A irmã fez a seguinte pontuação:
Deixo meus bens à minha irmã. Não a meu sobrinho. Jamais será paga a conta do padeiro. Nada dou aos pobres.
2) O sobrinho chegou em seguida. Pontuou assim o escrito:
Deixo meus bens à minha irmã? Não! A meu sobrinho. Jamais será paga a conta do padeiro. Nada dou aos pobres
3) O padeiro pediu cópia do original e esclareceu:
Deixo meus bens à minha irmã? Não! A meu sobrinho? Jamais! Será paga a conta do padeiro. Nada dou aos pobres.
4) Aí, um descamisado da cidade que andava por ali fez esta interpretação:
Deixo meus bens à minha irmã? Não! A meu sobrinho? Jamais! Será paga a conta do padeiro? Nada! Dou aos pobres.
Moral da história:
'A vida vem como um texto corrido. Somos nós que fazemos sua pontuação'.
E isso faz toda a diferença.


18 comentários:

  1. Respostas
    1. Sem necessidade de acordos forjados em gabinetes a língua portuguesa, na sua diversidade e nas suas cambiantes, dá-nos estas pérolas, Catarina.

      Eliminar
  2. Respostas

    1. Imaginação e riqueza da língua, e do vocabulário, têm estes resultados, Pats.

      Eliminar
  3. Genial. Aviso previamente que vou levar para o meu blog. Se houver problema diz.

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Claro que não há problema, Mariposa Colorida.
      Bem pelo contrário - quanto mais for divulgada a riqueza da nossa língua, melhor!

      Eliminar
  4. Esta riquezas fazem com que os advogados ganhem rios de dinheiro.
    Em muitos casos aqueles que deveriam ser herdeiros nada recebem

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Também dá para isso, luis.
      Mas o problema não está na língua, está na má utilização da mesma.

      Eliminar
  5. Estimado Amigo Pedro Coimbra
    Sem dúvidas algumas, a língua portuguesa é rica nesta e noutras matérias.
    Ex. Uma real f.... ou uma f.... real.

    Abraço amigo

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. As palavras são as mesmas, os significados são completamente diferentes, Amigo Cambeta :)))
      Aquele abraço

      Eliminar
  6. Caro amigo Pedro Coimbra!
    Incluia este texto no meu labor pedagógico...
    Este texto é supimpa para sensibilizar os regidos do papel preponderante que os sinais de pontuação exercem quando nos comunicamos através da linguagem escrita!
    Caloroso abraço! Saudações pontuadas!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Diadema-SP

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Caro Amigo João Paulo de Oliveira,
      Um belo exemplo para fazer os alunos compreender a importância da pontuação, uma bela lição de vida.
      Grande abraço!!!

      Eliminar
  7. Como aquela do César e do prisioneiro. "Matar, não. Soltar.", disse César. O carrasco matou o prisioneiro porque o que entendeu foi "Matar. Não soltar".

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também conhecia essa, Firehead.
      Preciosidades da sétima língua mais falada no Mundo.

      Eliminar
  8. Este texto é uma verdadeira viagem aos tempos em que andava na escola primária e o meu avô me escreveu esse texto para me mostrar a importância da pontuação!

    Que maravilha de recordação!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fico muito feliz por ter tido essa recordação, Poppy.
      Beijinho!

      Eliminar