29 de maio de 2013

E, mais uma vez, o incontornável Relvas


10 comentários:

  1. Caro Amigo Pedro,

    com notícias como esta, apetece sugerir mudar o título do blog para "Devaneios em Portugal"! :)

    Fora a brincadeira, isto é verdadeiramente vergonhoso, revoltante! O País está entregue à bicharada!

    Um abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo,
      Foi propositada a publicação destes dois posts em simultâneo.
      Como é que, com exemplos destes, se podem pedir sacrifícios a quem passa por sérias dificuldades?
      Revoltante!
      Aquele abraço!!

      Eliminar
  2. Vergonha, Pedro, vergonha!

    Abraço

    ResponderEliminar
  3. Pedro, no dia em que houver um politico em campanha que tenha t.... para dizer que uma das medidas que vai tomar é cortar com as regalias que esta gente tem, e coisas como o post anterior tinha terá o meu voto, o pior é que eu nunca ouvi ninguém ter coragem para isso, nem sequer em campanha eleitoral!

    Agora nesta situação em concreto ainda é pior, vai usufruir de algo que supostamente já não devia existir, como é que isto é possível? Falha da justiça, é por não haver denuncia é por não haver acusações? Isto acontece porquê afinal?

    Nós não podemos reunir-nos enquanto povo, fazer uma vaquinha arranjar um grupo de advogados e processar esta cambada toda? é que bolas, já não há palavras para expressar revolta face a estas coisas...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Mia Couto, ontem, tal como o Paul Krugman, apelava à insubordinação, Poppy.
      Quem sabe não será essa a solução.

      Eliminar
  4. Esta malta anda mesmo a fumar umas coisas estranhas.

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Se fosse na dose certa até era capaz de ser interessante, António.
      Nesta doses, dá estes resultados.

      Eliminar
  5. Ainda é mais nojento do que cuspir no chão. Agora sempre quero ver no que vai dar a investigação aberta pela UE!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Posso fazer uma aposta, Carlos (e eu não gosto nada de apostas)?
      Não vai dar em nada.
      Um puxãozito de orelhas, talvez.

      Eliminar