21 de junho de 2017

Começar do zero (Miguel Esteves Cardoso)


É pena que tanta gente saiba explicar porque é que os incêndios acontecem mas ninguém seja capaz de impedi-los de acontecer.

São tantos os peritos. Cada um deles sabe qual é o problema. Cada um deles sabe qual é a solução. Cada um deles sabe de quem é a culpa.
O mal é haver X. O mal é não haver Y. O mal é do ordenamento do território. O mal é da falta de pessoal. O mal é da falta de investimento. O mal é da falta de educação. O mal é da ignorância. O mal é das falsas economias. O mal é das vistas curtas. O mal é da pobreza. O mal é da falta de dinheiro. O mal é da ganância. O mal é do desconhecimento ecológico. O mal é das reformas. O mal é dos políticos. O mal é da política. O mal é do planeta. O mal é do capitalismo. O mal é da incúria. O mal é do sistema. O mal é da natureza humana. O mal é dos portugueses. O mal é do ser humano.
É fácil fazer uma lista de males. Um mal nunca vem só. É pena que tanta gente saiba explicar porque é que os incêndios acontecem mas ninguém seja capaz de impedi-los de acontecer. Um dos deveres mais básicos de qualquer estado é proteger os cidadãos. Quando acontece uma tragédia a única resposta racional é juntar esforços para tentar impedir que volte a acontecer. Isso significa, no mínimo, mudar imediatamente o estado das coisas. Isso significa criar imediatamente uma nova força de prevenção dos incêndios: uma força científica, executiva, didáctica e policial. Isso significa um orçamento generoso. Isso significa recrutamento. Isso significa gente qualificada e ordenados decentes.
E isso significa, também, acarinhar e dignificar as outras vítimas: os bombeiros.

10 comentários:

  1. Faz sentido. A maioria pensa da mesma forma.
    Boa noite, Pedro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Costumo dizer que sou um EPON (Especialista de Porra Nenhuma), Catarina.
      O que inclui obviamente o combate e a prevenção de incêndios florestais.
      Daí o outro post que hoje publico.

      Eliminar
  2. Não sou perita em nada e muito menos dar opiniões sobre o que desconheço.

    Subscrevo o MEC e a minha opinião que sempre tive, tenho e continuarei a ter é que neste país continua a existir muita, mas muita "carne para canhão" ao abrigo da incúria de políticos versus Estado eleito por todos nós que abrigam "interesses de cofres cheios" em detrimento do povo que ironicamente também eles fazem parte...mas ficam sempre a salvo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Outro Miguel, o Sousa Tavares, fala abertamente dos negócios e dos interesses que giram à volta dos fogos.
      É uma realidade tenebrosa.
      Mas é uma realidade.

      Eliminar
  3. O Miguel Esteves Cardoso fala abertamente e expressa exactamente aquilo que eu penso, que eu infelizmente não consegui explicar claramente nos meus comentários.

    Um profundo respeito e admiração para as outras vítimas: OS BOMBEIROS.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aqueles que nas palavras de Jay Leno, também ele filho de bombeiro, "fight the good fight", Teresa.
      Leno dizia isto em lágrimas num dos primeiros Late Show após o 11 de Setembro.
      Seres humanos especiais, superiores.

      Eliminar
  4. Concordo consigo, Pedro.
    Beijinhos
    ~~~~~

    ResponderEliminar
  5. Parece-me muito certo.
    Hoje com as notícias tocou-me ver alguns dos nossos Bombeiros a descansarem depois de nestes dias poucas horas terem dormido e a chegada de um grupo de Bombeiros da Galiza que vieram ajudar a combater o incêndio.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esses são mesmo seres humanos muito especiais, Gábi.
      Quem arrisca a vida para salvar a vida de terceiros tem que ser alguém muito especial.

      Eliminar