31 de agosto de 2016

Guterres ainda à frente

Terceira votação informal e António Guterres ainda é o candidato mais bem colocado para suceder a Ban Ki-moon como Secretário-geral da ONU.
Onze votos de encorajamento, três de desencorajamento, uma abstenção (sem opinião), são um resultado um pouquinho pior que os anteriores.
Mas, ainda assim, o melhor de entre todos os candidatos.
No longo processo que conduzirá à sucessão de Ban Ki-moon, que se imiscuiu neste processo de forma perfeitamente despropositada, apelando ao voto numa mulher (não é nada difícil colocar um nome e um rosto nesta declaração de Ban Ki-moon...), António Guterres continua a reunir um forte apoio entre os membros do Conselho de Segurança e no seio da chamada comunidade internacional.
Entra-se agora na fase crucial do processo de escolha, na fase que terá que culminar com a escolha de um candidato consensual para ser apresentado a aprovação  da Assembleia Geral da ONU lá mais para o final do ano.
Com António Guterres, à revelia dos desejos de Ban Ki-moon, muito bem colocado para lhe suceder e ocupar o mais prestigiado cargo alguma vez ocupado por um português.
Que Portugal saiba acompanhar António Guterres, e saiba agora jogar o jogo diplomático que é sempre fundamental nesta fase e neste processo, é o que se deseja.
Faites vos jeux!

34 comentários:

  1. Respostas
    1. Não gostei nada da postura de Ban Ki-moon, Elvira Carvalho.
      Sabe-se quem é candidata favorita dele.
      Mas não precisava de vir fazer a apologia pública do caso, um quase apelo ao voto.
      Vamos acreditar que vai ser um português, que é um bom homem, o próximo Secretário-geral da ONU.
      Um abraço

      Eliminar
  2. Bom dia Pedro.
    Faço votos para que consiga.
    Agradeço a atenção relativa a um dedal de Macau. O meu marido já lá esteve, mas não encontrou nenhum.
    Um abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Com toda a sinceridade, em vinte e um anos de estadia aqui, também foi algo que nunca vi, Elisabete.
      Um abraço

      Eliminar
  3. O lugar certo para o homem certo, Pedro.

    Abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É essa a minha opinião, Ricardo.
      Esqueçamos a política interna, vamos todos, de esquerda ou direita, apoiar António Guterres.
      Aquele abraço

      Eliminar
  4. António Guterres tem tudo para vir a ser o sucessor de Ban Ki-moon, mas até ao lavar dos cestos é vindima.
    Abraço, Pedro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ban Ki-moon que teve o desplante de demonstrar publicamente a sua preferência, António.
      Um gesto perfeitamente ridículo.
      Aquele abraço

      Eliminar
  5. Ban Ki-moon se está tão preocupado em que seja uma mulher a ocupar o cargo, pois deveria ter tido essa preocupação aquando da sua própria candidatura!!!!

    ESperemos que Guterres, que não foi um Primeiro-Ministro por aí além, seja eleito pois tem toda a competência para tal.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hipocrisia à coreana, São.
      Não nomeou nenhuma mulher, deixou-as na sombra, e agora vem dar lições de moral.


      Guterres é demasiado boa pessoa para ser primeiro-ministro, São.
      Mas terá o temperamento e a personalidade para ser um excelente Secretario-geral da ONU.

      Eliminar
    2. Concordo totalmente com a sua análise sobre a personalidade de Guterres não se adequar ao cargo de Primeiro.Ministro.Para cúmulo aconteceu a doença mortal da mulher -

      Lembro-me da passagem do livro de Grilo (ministro da Educação) que refere o esforço titânico que representou esse período da sua vida.

      Creio sim que está talhado para o cargo que teve na área dos refugiados e agora para este.Ou algo sempre dentro deste campo.

      Eliminar
    3. António Guterres sofreu muito com o sofrimento e posterior morte da mulher, São.
      É essa lado, humano e humanista, que fazem dele um candidato excelente ao lugar de Secretário-geral da ONU.

      Eliminar
  6. Respostas
    1. Temos todos essa esperança, Chic'Ana
      Beijinhos

      Eliminar
  7. Respostas
    1. Eu também, Catarina.
      De olhos fechados.
      Aqui já é noite :)

      Eliminar
  8. Até aqui, tudo bem e "sobre rodas" ! ... Desde que não haja um voto de "desencorajamento" dos USA, Reino Unido, França, Rússia e China, tudo bem, mas bastará um apenas de qualquer daqueles para tudo cair por terra ! :( ... Não bastará ter mais votos ! Esperemos que não !!! Vamos fazer figas ! :))

    Abraço, Pedro !

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aí é que pode residir a chave da questão, Rui - o voto dos membros permanentes.
      E essa foi a razão que me fez ficar ainda mais indignado com as declarações de Ban Ki-moon.
      São esses que ele quer influenciar.
      Aquele abraço

      Eliminar
  9. Um português como o próximo Secretário-geral da ONU não é para desprezar, embora eu não lhe ache piada nenhuma ao António Guterres e, no meu tempo de revolucionária, lhe tenha dado o apelido de "sacristão do PS".


    PS: DESEJO À CATARINA MUITO SUCESSO NA SUA VIDA UNIVERSITÁRIA.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. António Guterres é um humanista, Teresa.
      Que passou por um período horrível na sua vida enquanto era primeiro-ministro.
      Basta ver o trabalho dele no ACNUR para perceber que seria um óptimo Secretário-geral.
      E um orgulho para Portugal.

      A Catarina está radiante, Teresa.
      E o pai, radiante por ela estar radiante, mesmo sabendo que ela está aqui logo ao lado, tem saudades dela.

      Bjs

      Eliminar
  10. Oxalá ele consiga! É um grande senhor, dono de uma excelente educação e de uma forte inteligência.

    (Não percebo nada deste processo de escolha - muito complicado pour moi....)

    Beijinhos leirienses...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um processo complicado e confuso, Graça.
      E onde, à boa maneira de Orwell, uns são mais iguais que outros.
      O que, como bem comenta o Rui, pode virar a escolha do avesso de um momento para o outro.
      Beijinhos

      Eliminar
  11. Um processo muito confuso mas a ver vamos porque lançar foguetes antes da festa dá sempre mau resultado. Mas gostaria que ele ganhasse.

    Beijocas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não quero levar com as canas na cabeça, Fatyly.
      vamos estando atentos a todo o processo, especialmente agora que Ban Ki-moon resolveu divulgar a sua escolha e procurou condicionar a escolha de outros.
      Beijocas

      Eliminar
  12. Todos nós esperamos que ganhe pois confiamos no seu carácter e inteligência mas, como já foi dito, as espectativas favoráveis à sua eleiçoes podem esfumar-se de um momento para o outro.
    Receio que, para além das declarações de Ki-moon surjam elementos perturbadores para a candidatura de Guterres. Ouvi, anteontem, uma notícia sobre a ajuda da ONU na Síria que não será inocente...
    Abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estamos naquela fase em que praticamente vale tudo, Agostinho.
      Até ver o actual Secretário-geral condicionar o sentido de voto.
      Guterres ainda é favorito.
      Mas o caminho está cheio de armadilhas.
      Aquele abraço

      Eliminar
  13. Gostava muito que fosse eleito...
    Fiquei muito zangada quando se demitiu, mas não há dúvida
    que é uma pessoa de uma verticalidade irrepreensível, que
    merece o cargo.
    Até podia contribuir para amenizar a corrupção no nosso
    país.
    ~~~ Beijinhos ~~~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Majo,
      António Guterres não é um politiqueiro.
      E quem não é politiqueiro não tem grande futuro na política em Portugal.
      Um humanista, católico (a maçonaria dentro do PS esteve sempre de faca afiada por causa disso), um homem de diálogo, de consensos, nunca teria grande futuro com primeiro-ministro em Portugal.
      Beijinhos

      Eliminar
  14. Amigo Pedro, conheço António Gueterres pessoalmente nos
    tempos em que ele estava à frente do PS e tenho desde
    então uma grande consideração por ele.Gostaria muito
    que ele fosse eleito para esse cargo, mas não vai ser fácil, apesar deste vez o processo ter alguma transparência. Quando chegar a uma determinada data,
    serão os EUA e a Rússia a fazer entre si a escolha.
    Poderão escolher um nome que não tenha sido considerado como o mais capaz? Podem.
    Aguardemos e se A.G. não for escolhido, não fica em
    nada diminuído como um homem muito Humanista e genuinamente preocupado com o bem-estar das pessoas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vamos aguardar, Irene Alves.
      Para já é o candidato melhor colocado.
      Mas também é claro que não é o favorito de Ban Ki-moon...

      Eliminar
  15. Espero que sim, Pedro, que Guterres leve o nome de Portugal e o eleve.
    Beijinhos. :))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tenho essa esperança, ana.
      Vai ser difícil, vai ser um caminho longo e complicado, mas tenho esperança que tenha um final feliz.
      Beijinhos

      Eliminar
  16. Espero que o António Guterres não seja eleito. Esse homem é uma vergonha para Portugal.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. João José Horta Nobre,
      Você tem a certeza que não é anarca??
      É que tem exactamente a postura "Hay gobierno? Soi contra!!"

      Eliminar