16 de dezembro de 2015

Uma lei que é uma droga?


No combate aos crimes relacionados com a posse, o consumo e o tráfico de estupefacientes, Macau insiste em caminhar no sentido oposto ao do mundo civilizado.
Numa região que assiste a uma queda enorme nos números e estatísticas dos crimes relacionados com a droga (números e estatísticas oficiais), que aliás nunca foram um problema muito delicado, a agravação das penas ontem oficialmente anunciada parece ser um enorme contra-senso.
Em países e regiões onde o fenómeno é muito mais gravoso que em Macau, a tendência é de descriminalização (a tipificação como crime é retirada e a acção passa  a ser juridicamente irrelevante) e despenalização (as penas restritivas de liberdade são substituídas por outras, tais como serviço à comunidade, educação).
Macau, supostamente seguindo a política dos países à sua volta (quais??), e também supostamente por manifestação de vontade dos próprios infractores (esta "justificação" é simplesmente ridícula), agrava as penas privativas de liberdade de quem precisa muito mais de ser tratado do que encarcerado.
Uma política criminal obsoleta, que olha a criminalização e a penalização das drogas, e do mundo em volta das mesmas, como panaceia, devia envergonhar uma cidade moderna como Macau pretende ser.
Mão pesada para o tabaco, mão pesada para a droga, a mesma mão que trata fenómenos quiçá muito mais gravosos com toda a brandura.
No mínimo incompreensível.

28 comentários:

  1. Respostas
    1. Macau a caminha no sentido oposto ao resto do mundo civilizado, Karocha.
      É triste, confesso.

      Eliminar
  2. Bom não há como contrariar uma lei que é pedida pelos próprios infractores.deve ser uma originalidade de Macau. Claro que estou a brincar, mas um argumento desses, fez-me rir. Melhor era que criassem centros de tratamento para os infractores.
    Um abraço e Feliz Natal

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Macau está a caminhar no sentido oposto ao mundo desenvolvido, Elvira Carvalho.
      E com argumentos perfeitamente patéticos.

      Vai de férias?
      Se sim, desejo-lhe um Santo Natal.

      Um abraço

      Eliminar
  3. À sempre alguém que gosta de ir em sentido contrário mesmo que seja em direcção ao abismo.
    Um abraço e continuação de uma boa semana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esta iniciativa legislativa vai ao arrepio-me tudo quanto se ensina na política criminal há muitos anos, Francisco.
      Aquele abraço, continuação de boa semana

      Eliminar
  4. Mais palavras para quê, Pedro?

    Você escreveu (e bem) tudo !!! O que é que passa pela cabeça dessa gente por ai?

    Aquele abraço!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Punir, punir, punir, castigar, castigar, castigar.
      É só isso, Ricardo :(
      Aquele abraço

      Eliminar
  5. Um título para o texto muito adequado :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acredite que estes assuntos me entristecem, Gábi :(

      Eliminar
  6. Realmente, não se entende. Mas deixe estar que existem leismuito avançadas,que pura e simplesmente não são postas em prática...aqui na Tugolândia temos uma vasta experiência disso! ;)

    Beijocas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também é verdade, Teté.
      Fazer leis excelentes para as emoldurar é pura perda de tempo e recursos.
      Beijocas

      Eliminar
  7. Perante o exposto, será até pertinente afirmar que por aí - e não só - se criam Leis que são autênticas drogas?!?

    Continuação de boa semana, Pedro!

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esta iniciativa legislativa envergonha, ou devia envergonhar, Macau, Janita.
      Continuação de boa semana também
      Beijinhos

      Eliminar
  8. Mas porquê essa teimosia na trajectória, diferente em relação ao resto do mundo?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Porque aqui em volta (China, Malásia, Indonésia, Singapura) é essa a mentalidade.
      Ainda é pior porque a pena de morte é aplicada com toda a facilidade, Maria do Mundo.

      Eliminar
  9. Respostas
    1. Só se compreende quando se raciocina dentro do mindset asiático, LopesCa Blog

      Eliminar
  10. Todo esse expediente atira-nos para um cenário de mentira, Pedro.
    Essa malta não acorda?
    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Infelizmente é bem verdade.
      Levada a cabo por gente bem acordada :(
      Aquele abraço

      Eliminar
  11. Realmente, estão em contra-mão...

    E essa dos infractores é surrealista

    Aqui, boa tarde, que cheguei de Lisboa :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já imaginou a cara-de-pau que é preciso ter para vir com uma desculpa destas, São???

      Eliminar
  12. Macau está a seguir apenas a rota da China, o que talvez não surpreenda. É incompreensível. Concordo.
    Aquele abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gente que se está esquecer que é um país, dois sistemas, Carpe Diem.
      E que a ideia era o primeiro sistema aproximar-se progressivamente do segundo, não o oposto.
      Aquele abraço

      Eliminar
  13. Uma bela reflexão, Pedro! Concordo!

    Beijinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quando a mentalidade é regional, e esquece que há muito Mundo para além da Ásia (alguns países asiáticos...), saem disparates destes.
      Beijinho

      Eliminar
  14. Pois é, concordo contigo, mas deixo-te uma pergunta: os "fenómenos quiçá muito mais gravosos" não serão mais rentáveis????? e falo do jogo, casinos e afins onde...vale tudo!

    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas não pode valer tudo, Fatyly.
      E não se pode seguir por estes caminhos.
      Porque é uma absoluta tolice.
      Perigosa, ainda por cima.
      Um abraço

      Eliminar