23 de dezembro de 2015

Natal: a revolução (Anselmo Borges DN 19DEZ2015)


1- Jesus Cristo é figura "decisiva, determinante" da História da Humanidade. Quem o disse foi um dos grandes filósofos do século XX, Karl Jaspers. A pergunta é: porquê?
Crentes ou não, cristãos ou não, têm de reconhecer a Wirkungsgeschichte de Jesus, isto é, a história dos efeitos ou das repercussões, assombrosamente humana e positiva, de Jesus na História. Por exemplo, o próprio conceito de "pessoa" veio ao mundo por influência do cristianismo, por causa dos debates à volta da tentativa de compreender a pessoa de Jesus. Foi em solo de base cristã que, embora tenham tido de impor-se contra a Igreja oficial, se deram as grandes Declarações dos Direitos Humanos.
Isso é reconhecido por grandes pensadores, inclusive não crentes. Hegel afirmou que foi pelo cristianismo que se tomou consciência de que todos são livres. Ernst Bloch, marxista heterodoxo e ateu, escreveu que é ao cristianismo que se deve a exigência de que nenhum ser humano pode ser tratado como "gado". Jürgen Habermas, agnóstico, afirma que a democracia, com "um homem um voto", é a transposição para a política da afirmação cristã de que Deus se relaciona pessoalmente com cada homem e mulher. Frederico Lourenço - para citar um português -, que se confessa ex-católico, agnóstico, escreve: "Não tenho nenhum problema em afirmar que, pessoalmente, considero Jesus de Nazaré a figura mais admirável de toda a história da Humanidade", Jesus foi "o homem mais extraordinário que alguma vez viveu".
2- Evidentemente, a Wirkungsgeschichte, a história dos efeitos de Jesus na História, tem a sua base na história real de Jesus, no que ele disse e fez, na revolução que operou.
Esta revolução é a revolução da sua compreensão de Deus. Realmente, Jesus não veio revelar que há Deus, pois, se hoje a existência de Deus é problemática, não o era na altura. Jesus veio dizer, por palavras e obras, a sua experiência radical de Deus: Deus é amor incondicional, Abbá, Paizinho querido, que ama a todos, a começar por aqueles e aquelas que não são amados, os mais pobres, abandonados, humilhados. Assim, uma das palavras mais revolucionárias da história das religiões é esta: "O homem não foi feito para o sábado, mas o sábado para o homem", o que significa que mesmo as leis consideradas sagradas só o são se e na medida em que estiverem ao serviço do ser humano, da sua dignidade, liberdade, felicidade. Jesus antepôs a justiça e o amor ao culto: "Ide aprender: Deus quer misericórdia e não sacrifícios."
Por isso, os primeiros a serem verberados foram os profissionais da religião, que exploravam o povo em nome de Deus. E pôs-se ao lado das crianças, que não tinham relevância: "Deixai vir a mim as criancinhas, pois dos que são como elas é o Reino de Deus" - contra insinuações insidiosas quanto a estas palavras, acrescente-se que Jesus também disse: "Ai de quem escandalizar uma criança. Mais valia atar-lhe uma mó de moinho ao pescoço e deitá-lo ao mar." As mulheres têm razões para estar de mal com a Igreja institucional, mas devem saber que Jesus constitui um marco histórico na história da sua emancipação: superando proibições, teve discípulos e discípulas.
Inauditas são as palavras do chamado Juízo Final. Ali se diz que o que determina o julgamento não são actos religiosos no sentido comum da palavra, mas o que se faz aos outros, mesmo não sabendo que é a Deus que se faz: "Tive fome, sede, estava nu, na cadeia, no hospital, e destes-me de comer, de beber, vestistes-me, fostes ver-me..." Em ordem à salvação, nada se pergunta de confessional, tudo se centra nas respostas práticas às dificuldades das pessoas, independentemente da sua cor, etnia, sexo, de serem religiosas ou não.
Jesus não quis tomar o poder político: "Vim para servir, não para ser servido", "Dai a César o que é de César e a Deus o que é de Deus". Mas foi mandado crucificar como blasfemo e subversivo social e político. Pilatos, representante do poder imperial de Roma, que o condenou, não podia imaginar que aquele desgraçado seria figura "decisiva, determinante" da História. Deus confirmou a sua vida e a sua morte para dar testemunho da verdade e do amor: na morte, Jesus não encontrou o nada, mas a plenitude da vida em Deus, que é amor.
3- Custa-me a entender como é que os europeus parecem menosprezar a sua herança cristã, como indicam, por exemplo, a proibição de um anúncio, porque contém o Pai Nosso, ou a política de acabar com sinais cristãos da nossa cultura, como a presença de presépios em espaços públicos. Seja como for, é Karl Rahner, talvez o maior teólogo católico do século XX - tenho a honra de ter sido seu aluno -, que tem razão, quando escreveu: "Quando dizemos "é Natal" estamos a dizer: "Deus disse ao mundo a sua palavra última, a sua mais profunda e bela palavra numa Palavra feita carne". E esta Palavra significa: amo-vos, a ti, mundo, e a vós, seres humanos." Boas Festas!

VOTOS de UM SANTO NATAL!

52 comentários:

  1. Este é mais fácil de ser lido e compreendido e gostei imenso de ler.

    A 3ª parte é a mais dura realidade e mais acima realço uma frase que me disse muito: "Jesus antepôs a justiça e o amor ao culto: "Ide aprender: Deus quer misericórdia e não sacrifícios."

    Obrigado pela partilha, pois ainda não tinha lido!

    Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anselmo Borges é extraordinário até na facilidade com que se lê, Fatyly.
      Presença obrigatória por estas bandas.
      Beijos

      Eliminar
  2. Tem toda a razão amigo Pedro o Anselmo Borges para alem da sua imensa cultura é de muito facial leitura e este texto está magnifico.
    Um abraço e BOAS FESTAS.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Espero no próximo ano ter a oportunidade de o conhecer pessoalmente, Francisco.
      O meu pai, que foi aluno dele, diz-me maravilhas dele.
      Aquele abraço, votos de um Santo Natal

      Eliminar
  3. Belíssimo texto, aliás outra coisa não seria de esperar saída do punho de um Homem como Anselmo Borges.
    Obrigada pela partilha, Pedro.

    Santo Natal e bom ano, para ti e família.

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Remeto para resposta que dei ao comentário do Francisco, GL.
      Anselmo Borges continuará a passar por aqui com regularidade.
      Votos de um Santo Natal para si e família.
      Abraço

      Eliminar
  4. Um texto magnifico de leitura fácil e que nos prende até ao final.
    Gostei imenso

    Um feliz Natal na companhia dos que ama, com paz e tranquilidade

    Bjgrande do Lago

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. GarcaReal,
      Votos de um Santo Natal para si e família.
      Bjs

      Eliminar
  5. Só li o texto na diagonal, mas e este pensador merece muito mais. Voltarei, se Deus quiser.

    FESTAS FELIZES, Pedro!

    ResponderEliminar
  6. Um Santo Natal para si e todos os seus, Pedro.
    Forte abraço.

    ResponderEliminar
  7. Duas pessoas que eu muito admiro ( a par de outras duas também religiosas) e que foram um óptima opção do Pedro para esta quadra.


    Desejo-lhe e aos seus um Natal com muito amor e paz !

    Um abraço muito grato para si.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anselmo Borges e Frei Bento são duas das vozes mais fortes que se manifestam em favor de uma Igreja como eu a concebo também, São.
      Um abraço, votos de um Santo Natal

      Eliminar
  8. ~*****~
    ~ ~ E x c e l e n t e !

    ~ Excelente, como sempre,

    contudo, particularmente esclarecedor e luminoso...

    ~~~ Magnífica lembrança de Natal. ~~~

    ~~~ Dias de Paz e Amor. Beijinhos. ~~~
    ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Paz, Amor, convívio familiar.
      Não é essa a mensagem essencial da quadra, Majo?
      Beijinhos, votos de um Santo Natal

      Eliminar
  9. Obrigada e são também os meus votos.
    um beijinho
    Gábi

    ResponderEliminar
  10. Caro Amigo Pedro Coimbra.
    Agradeço e retribuo os auspiciosos votos.
    Caloroso abraço. Saudações festivas.
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver sem véus, sem ranços, com muita imaginação e com muito gozo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Grande abraço, votos de um Santo Natal, Amigo João Paulo de Oliveira

      Eliminar
  11. Olá Pedro passando para te desejar boas festas.
    E até o próximo ano.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Votos de um Santo Natal, um Maravilhoso 2016, A Casa Madeira

      Eliminar
  12. Texto deveras interessante.
    Feliz Natal, Pedro! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Como é hábito em Anselmo Borges, AC
      Votos de um Santo Natal

      Eliminar
  13. Um excelente texto, Pedro. Votos de um Natal muito Feliz para si e para os seus :)
    Grande abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O hábito em Anselmo Borges, Carpe Diem.
      Grande abraço, votos de um Santo Natal para si e família

      Eliminar
  14. Caro Pedro
    Passo para lhe desejar a si e sua família um Natal Feliz, com muita saúde e paz.
    Grande abraço

    ResponderEliminar
  15. Belo texto Pedro!
    Realmente já tinha tido essa visão da importância dada à proteção da criança pelos primeiros cristãos e à veneração da mulher como mãe e como esposa (é ela que vai a cavalo na burrinha na fuga para o Egipto!)
    em oposição possível à civilização dos romanos bastante violenta, onde haviam escravos sem qualquer proteção, as crianças não tinham direitos nas classes mais baixas, e as mulheres mesmo nas elites eram facilmente abusadas mesmo no seio da própria família
    E eu diria que na Europa praticamente não se valoriza essa herança, sendo que mais se publicita quem se aproxima de outras religiões sejam elas orientais ou outras

    Boas Festas Pedro, e muitas felicidades
    Angela

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A Mãe é figura central na Igreja, Angela.
      E as crianças também.
      Símbolos sem pecado.
      Votos de um Santo Natal

      Eliminar
  16. Um texto óptimo, bem ao encontro do meu pensamento.

    Votos de um excelente Natal e um muito feliz Ano Novo.

    Beijinhos
    MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um texto na linha de excelência a que nos habituou Anselmo Borges, Mariazita.
      Votos de um Santo Natal e um Maravilhoso 2016
      Beijinhos

      Eliminar
  17. Para o Pedro e toda a família os meus votos de Boas Festas!

    ResponderEliminar
  18. Feliz Natal e um 2016 o melhor possível, Pedro.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Votos de um Santo Natal é um Maravilhoso 2016, Janita
      Beijinhos

      Eliminar
  19. Ora, li, agora, com olhos de ver e rever o fabuloso e lúcido texto deste pensador, que cita, outros, com muita inteligência. Na faculdade li alguns livros, por imposição, já se vê, de karl Jaspers e fiquei a admirar os seus pensamentos e teorias.

    Mesmo sendo ateu ou agnóstico há sempre uma base: JESUS, segundo entendi e com a qual estou de acordo.
    Interessante como Anselmo Borges vai escrevendo o texto ao mesmo tempo vai citando passagens bíblicas, que confirmam as suas afirmações.

    Creio que os Muçulmanos veem Jesus como discípulo de Deus e não como Seu filho. Digo isto, pke já tenho falado com Árabes sobre religião e a ideia que me transmitem é essa.

    BOAS FESTAS PARA SI E FAMÍLIA, Pedro!

    Beijos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anselmo Borges neste texto procura focar Jesus, o Homem, se bem percebo, CÉU.
      Crentes, ou não, a existência de Jesus, a figura histórica Jesus, parece inegável.
      Uma boa razão para se encontrarem pontes, pontos de contacto, afastando as diferenças, entre as várias religiões.
      O diálogo ecuménico que Francisco tanto procura.
      Votos de um Santo Natal.
      Beijos

      Eliminar
    2. Sim, Pedro, também cheguei a essa conclusão, que talvez não soubesse pôr em palavras, como o fez na sua resposta.
      Sabe, Pedro, eu acho que é muito difícil para alguns, talvez muitos "coabitar" religião, política e clubes diferentes. Destes três "domínios" o que mais me custa, ou melhor, o que me custa mesmo é a Política.
      Sou do Benfica, mas nem ligo às "teorias" de que foi falta ou não foi falta, de que (não) foi frango, foi antes um "ganda" galo, etc. até pke não percebo nem quero perceber nada de futebol. Eles ganham balúrdios, e depois os sócios e simpatizantes é que andam de "candeia às avessas". Era só o que faltava!

      Religião, também ultrapasso muito bem e até troco impressões na rua ou qdo vêm à minha porta difundir a sua doutrina, uns apoiando-se no Velho Testamento, outros no Novo. Leem passagens bíblicas, que não são, de todo, fáceis de interpretar, mas "papagueiam" aquilo que lhes foi transmitido pelos altos "dignatários". Os mais caricatos e taxativos são os Árabes, mas enfim, se for mulher a trocar impressões com eles, dá-lhes mto bem a volta, temporariamente, claro.

      Pois, Política é que o "berbicacho". A esquerda está a governar, em Portugal, pke um partido de direita, o maior, a tem apoiado. Evidente k há gente boa e boa em todos os quadrantes políticos, mas há coisas que saltam "às meninas dos olhos".

      Qto ao Papa Francisco, pois como lhe disse há uns dias atrás, estou "sentada" esperando para ver quem é afinal aquele homem. Aguardemos!

      Aí, julgo, que o Natal já terminou. Que tenha sido de união, paz e amor.

      Bom fim de semana.

      Beijo.

      Eliminar
    3. CÉU,
      Não faço segredo que não concordei com esta solução governativa.
      Seja como for, ela está aí, agora como Governo.
      Não vale a pena estar com ressentimentos, bater sempre a mesma tecla.
      Como tal, gostei da atitude de Passos Coelho.
      Não viabilizar este Orçamento seria apenas uma atitude vingativa, como graves consequências para o País.
      E foi no País que Passos Coelho pensou.
      Indo até contra a opinião de muitos militantes do Partido.
      Fez muito bem.

      Já o voto contra do CDS, do Bloco e do PCP, em nada me surpreendem.
      O CDS (Paulo Portas) está a cumprir a agenda de deitar abaixo e descredibilizado quem governa, custe o que custar.
      Os outros dois têm uma cartilha da qual não abdicam.
      E é essa cartilha que os deveria deixar sempre fora de qualquer solução governativa.

      Precisamente as atitudes contrárias à que aqui se preconiza - a procura de pontes, de contactos, de chegar ao outro, de haver entendimentos.
      Não será isso possível nos três domínios que refere.
      Só se não quisermos.

      Bfds
      Beijo

      Eliminar
    4. Pedro,
      Já somos dois, pelo menos, e também acho que devemos ver o que "isto" vai dar e respeitar a "maioria" formada.
      Sinto Pedro P Coelho mais maduro e consciente, em todos os aspetos. A vida ensina-nos muita coisa, sem dúvida, e ele que esteve com "a mão na massa" sabe, talvez como ninguém, em que estado está a "fermentação" e o "levitar" de PORTUGAL.

      Evidente que o nosso show man, tinha de fazer das dele. Já votei no CDS, tipo voto útil, mas sei que quando estão separados, PSD E CDS, têm atitudes completamente opostas.
      Exatamente, o PCP é imutável e não consegue acompanhar o natural desenvolvimento, as mutações do mundo. O BE da Dra. "Katrina", enfim, acho que vai subindo e descendo como e conforme as marés.

      Tenho de ir ao "psicólogo" para me ajudar a encontrar o tal entendimento, especialmente no domínio que referi. Duas ex colegas da faculdade são militantes do PCP e nós damo-nos muito bem, embora eu sempre atire e receba umas "farpazinhas", não sei se melhores, se piores que as de Ortigão.

      O meu Natal foi calmo e em paz. Espero que o vosso tb tenha sido.

      Boa semana. Nós ainda nos "falamos" antes do fim do ano, se Deus quiser!

      Beijo.

      PS: retificando: 3º parágrafo - "Evidente k há gente boa e gente MÁ em todos...".

      Eliminar
    5. Uma vingançazinha seria perfeitamente estúpida e idiota, CÉU.
      E perniciosa para o País.
      Ainda bem que Pedro Passos Coelho não entrou por esse caminho.
      Espero que possa haver mais entendimentos e que se possa ser mais estadista e menos politiqueiro.
      Venha de que partido vier.

      O meu Natal também foi calmo e sossegado, passado em família que é como deve ser.
      Boa semana!

      Beijo

      Eliminar
  20. Pena que nem tempo arranjemos para refletir sobre os valores critãos que fazem parte da nossa herança cultural e da qual, infelizmente, muitos se esquecem e até parecem envergonhar-se.
    Feliz Natal, Pedro. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma herança que muito me orgulha, luisa.
      Votos de um Santo Natal

      Eliminar
  21. Como sempre a crónica de AR tem a qualidade de um iluminado. Acompanho o seu pensamento há muito tempo e acho óptimo o Pedro dar-lhe realce neste espaço.
    Boas festas para o Pedro e família.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anselmo Borges é um pensador que muito admiro, Agostinho.
      E que sigo com toda a atenção.
      Boas Festas para si e família também.
      Grande abraço

      Eliminar
  22. Juntar o profano ao sagrado é muito salutar.
    Boas Festas
    Kis :=)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Inteiramente de acordo, AvoGi.
      Boas Festas.
      Beijinhos

      Eliminar
  23. Li maravilhada este texto que talvez pelas correrias de Natal, não tinha visto. Sabe eu acho que esta história dos europeus, renunciarem às suas crenças, em favor de outras, está a levar-nos para um beco sem saída. Estamos a retirar dos nossos países tudo o que possa "chocar" com os muçulmanos. Mas estamos a deixar que eles implantem cá os seus símbolos. Deixamos que eles usem as burkas, ainda que debaixo delas esteja um arsenal pronto a explodir em qualquer local. Se nós formos para os seus países temos que seguir as regras deles, ou matam-nos. Não quero com isto dizer que fizéssemos o mesmo. Mas devíamos fazer com que respeitassem os nossos símbolos, e as nossas crenças, em vez de os eliminar-mos. e quem não o quisesse fazer, pois que voltasse para o seu país. Que é o que os europeus fazem quando não estão interessados nas regras dos países que visitam.
    A D. Beatriz, senhora alentejana, 80 anos, solteira, organista numa igreja da Diocese de Beja.
    É admirada por todos pela sua simpatia e doçura.
    Uma tarde convidou o NOVO padre da igreja para ir lanchar a sua casa e ele ficou sentado no sofá, enquanto ela foi preparar um chá.
    Olhando para cima do órgão, o jovem padre reparou numa jarra de vidro com água e, lá dentro, boiava um preservativo.
    Quando a D. Beatriz voltou com o chá e as torradas, o padre não resistiu tirar a sua curiosidade perguntando o porquê de tal decoração em cima do órgão
    E responde ela apontando para a jarra:
    "Ah! refere-se a isto? Maravilhoso, não é? Há uns meses atrás, ia eu a passear pelo parque, quando encontrei um pacotinho no chão. As indicações diziam para COLOCAR no órgão, manter húmido e que, assim, ficava prevenida contra todas as doenças. E sabe uma coisa?
    Um abraço e dias felizes

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estamos (europeus) a prescindir das raízes da nossa cultura, da nossa civilização.
      Precisamente o oposto do que fazem os muçulmanos.
      A minha mulher deu formação no Irão há já alguns anos.
      E, como é óbvio, ela e as colegas tiveram que se adaptar aos costumes locais, à forma de vestir local (tapam o cabelo, não tapam a cara e usam roupas muito largas), ao facto de não poder um homem (muito menos um dos líderes religiosos!!) cara a cara.
      Quem não quer não vá, não apareça.

      Eliminar
  24. Há coisas neste blogger que eu não entendo. Aqui há tempos tinha na minha sidebar, como post de um amigo que tem um blogue de imagens, o Carrajola, uma das suas anedotas. Quer dizer o princípio de uma das suas anedotas. E eu clicava lá e o link ia para o blogue dele que tinha na altura uma postagem dum café cultura em Setúbal e da exposição de pintura que lá estava.
    Agora venho aqui ler a sua resposta e vejo outra das suas anedotas anexada ao meu comentário. Isto é de malucos.
    Um abraço e feliz 2016

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este Blogger é falhado de todo, Elvira Carvalho.
      Um abraço, feliz 2016 também

      Eliminar