31 de dezembro de 2015

Intemporais (11)

4 comentários:

  1. É um grande som, sem dúvida.
    Um abraço, Pedro e até p'ró ano.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cresci com Joy Division como uma das grandes companhias, António.
      Esta versão, nunca chegando ao extraordinário original, é muito boa, está muito bem conseguida.
      BOM ANO!!
      Aquele abraço

      Eliminar
  2. ~~~
    Excelente interpretação!

    Contudo, faço votos
    para que nem o Amor, nem a Amizade, jamais nos magoem.

    ~~ Demos vivas à Alegria!
    ~~~~~~ Beijinhos. ~~~~~~
    ~~~~~~~~~~~~~~~~~~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quando Ian Curtis escreveu este poema era já uma alma amargurada, Majo.
      Esta versão é alegre, solarenga, viva.
      O original é quase um grito de auxílio.
      Beijinhos

      Eliminar