20 de janeiro de 2015

Vira o disco....


Vira o disco e toca o mesmo, não é, ilustre deputada Ella Lei Cheng I?
Já se estranhava o longo silêncio desta menina meteoricamente feita deputada acerca do seu tema de eleição - o ataque à mão-de-obra não residente.
Ontem, em entrevista ao canal em língua chinesa (tem muito mais audiência, não é?) da Rádio Macau, lá voltou a bater a mesma tecla.
Os trabalhadores não residentes ameaçam o emprego dos trabalhadores locais.
Os mesmos que as estatísticas mostram que não estão desempregados (vale sempre a pena lembrar que a taxa de desemprego é residual e estrutural, abrange apenas aqueles cuja empregabilidade é manifestamente impossível face à sua falta de condições e qualificações e aqueles que não querem trabalhar ou não querem trabalhar em determinadas profissões).
Ella Lei Cheng I foi eleita via sufrágio indirecto e é membro da ainda influente (já o foi muito mais) Associação Geral dos Operários de Macau.
Nessa qualidade, e na de deputada, devia ter conhecimento destes dados estatísticos, destes números, e devia saber reflectir acerca do que os mesmos indicam.
E eu até acho que os conhece muito bem e os percebe muito bem também.
Muito mais que reveladoras de xenofobia ou falta de informação ou cultura, as afirmações de Ella Lei Cheng I, que se repetem ciclicamente (vira o disco e toca o mesmo, não é?), são o reflexo de despudorada demagogia, de primário populismo, de uma pueril necessidade de se mostrar, de aparecer.
Compreende-se no quadro do instinto de sobrevivência e de caça ao voto - se a outrora influente Associação Geral dos Operários de Macau não agitar as águas de quando em vez arrisca-se a desaparecer ou tornar-se irrelevante a curto/médio prazo.
É só esta a (reduzida) importância que deve ser dada às declarações de Ella Lei Cheng I.
A deputada que daqui a uns tempos voltará ao mesmo tema e com a mesma abordagem.

13 comentários:

  1. Meu caro,
    sendo superficial diria que...a cara diz tudo. :DDDD

    Aquele abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Das tais que num concurso de cus ganhava de caras, Ricardo?! :)))
      Aquele abraço

      Eliminar
  2. ~ A menina exemplar devia vir pregar a sua política em Portugal.
    ~ Mesmo em cantonés. Dava-nos muito jeito!!

    ~ ~ ~ Beijinhos. ~ ~ ~
    .

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Agradecia que ela fosse pregar para outra freguesia, Majo.
      Já não há pachorra para esta é outra luminária como ela que por lá anda mas que tem andado muito calada.
      Beijinhos

      Eliminar
  3. ... voltará ao tema se não perde o emprego...

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas é isso mesmo, Agostinho - se não bate a tecla é apeada e vai outro tocar a música
      Aquele abraço

      Eliminar
  4. Por esse caminho, acho que ainda vem para Portugal...

    Tudo de bom, Pedro

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu até pago a viagem, São :)))
      Tudo de bom para si também

      Eliminar
  5. Respostas
    1. Faziam um belo para de jarras, Carlos.
      Não há pachorra para estas luminárias

      Eliminar
  6. Ella Lei Cheng em estágio para S. Bento?
    Aquele abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Repito, António - eu até pago o bilhete.
      De ida e sem volta.
      Aquele abraço

      Eliminar
  7. Esperemos que ninguém lhe pague o bilhete, que já nos chega o que por aqui anda...:)))
    xx

    ResponderEliminar