22 de janeiro de 2015

Clear as mud


5 comentários:

  1. Sem querer, eliminei o comentário, Catarina.
    Peço desculpa pela estupidez.
    Vou reproduzir o que a Catarina tinha comentado e eu respondido.

    Catarina:
    Clear as mud, indeeed.

    Resposta:
    Um artigo muito feliz, Catarina.
    Em poucas palavras resume todo aquele imbróglio.

    Mais uma vez peço desculpa pela minha tolice.

    ResponderEliminar
  2. ~ Os sarilhos que se arranjaram com aquela brutal e inútil invasão do Iraque!
    ~ Pensar que os invasores assaltaram os museus dum país com enorme e valioso património cultural.
    ~ Obama desiludiu-me: está a ser conivente com o genocídio de Gaza.
    ~ Os homens de boa vontade pasmam porque a cadeia de ódio não tem fim!!

    ~ ~ "Claro como a lama." ~ ~

    ~ ~ ~ Beijinhos. ~ ~ ~
    .

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quem se lembrou da expressão atoleiro foi muito feliz para descrever a situação naquela zona do Mundo, Majo
      Beijinhos

      Eliminar
  3. As contradições e encrencas das estratégias políticas de circunstância é no que dão

    ResponderEliminar