21 de maio de 2013

A técnica das caixas chinesas, ou das matrioskas, e o discurso benfiquista


A técnica das caixas chinesas, ou das matrioskas, é uma técnica narrativa à qual recorrem alguns escritores no desenrolar do romance.
As caixas chinesas e as matrioskas apresentam um traço comum - as caixas chinesas são famosas porque, ao abri-las, sempre encontramos uma caixinha menor, e outra, e outra, e outra, e assim por diante; algo de semelhante acontece com as matrioskas, as famosas bonequinhas russas colocadas umas dentro das outras.
Na literatura, essa técnica consiste em introduzir intermediários entre o leitor e a narração, sendo que estes vão produzindo transformações, fazendo surgir novas experiências e tensões para que o leitor esteja sempre dentro do feitiço necessário para a plena realização de um romance na sua mente.
O exemplo mais famoso é-nos dado pelo romance As Mil e uma Noites.
Scheherazade, sabendo qual o destino reservado às esposas do Sultão (decapitação) e procurando adiar essa inevitabilidade, vai distraindo e entretendo o todo poderoso Sultão com histórias que encadeia umas nas outras, assim  prendendo a atenção do seu amo nas histórias que conta e fazendo-o esquecer aquele que seria o desfecho inevitável.
O discurso da maioria dos benfiquistas (responsáveis directivos, técnicos, muitos sócios e simpatizantes) tem sido em tudo semelhante à técnica das caixas chinesas, ou das matrioskas, e à estratégia de Scheherazade.
Histórias encadeadas umas nas outras, teorias da perseguição, fábulas sem fim, invariavelmente com dragões malvados como protagonistas.
No romance As Mil e uma Noites, o Sultão, impressionado com a criatividade revelada por Scheherazade, acaba por lhe poupar a vida.
Será que os sócios e simpatizantes do Benfica, embalados por episódios e discursos mirabolantes, também vão poupar os responsáveis técnicos e directivos da "decapitação", do destino fatal?
E será que também vamos ter que esperar mil e uma noites para saber a resposta?

16 comentários:

  1. Estimado Amigo Pedro Coimbra,
    Será impossível assim agirem, já que as águias são uma ave de rapina.
    Lá para os lados da luz se não hover essas tais caixinhas acaba-se o enredo e eles só vivem disso e de recordações do passados.
    Abraço amigo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amigo Cambeta,
      Eu tenho muito respeito pela instituição Benfica e por muitos do que a representaram e representam.
      O mesmo se diga de muitos dos sócios e simpatizantes.
      Mas é para mim incrível que continuem com as mesmas conversas tontas há uma data de anos e se recusem a ver o que está à frente dos olhos.
      O discurso de Jorge Jesus, afirmando que "está mais perto do rival"; que o rival "só" foi campeão enquanto o Benfica esteve em todas; que a época do Benfica foi "magnífica"; é o espelho desse desnorte.
      Patético!
      O Benfica tem de ser muito mais do que isto.
      E este desnorte não tem nada a ver com "fruta", quinhentinhos, corrupção, árbitros, foras de jogo e "penalidades".
      Tem a ver com incompetência grosseira.
      E que se repete há uma data de anos.
      Será assim tão difícil de perceber e enfrentar?
      Aquele abraço!

      Eliminar
  2. Pedro antes de mais, já fiquei a aprender um pouco mais de literatura, e gosto de matrioscas, prefiro é em tons vermelhinhos :)

    Segundo, só quero realçar uma frase que para mim resume tudo aquilo que sinto e que escreveu em resposta ao António Cambeta:
    "O Benfica tem de ser muito mais do que isto."

    Quanto ao resto já sabe a minha opinião, só telhados de vidro por todo lado em todo lado, toda a gente é beneficiada em algum momento, porque a verdade é que os árbitros erram (num programa de comentários de futebol - trio d´Ataque, sim, porque eu vejo programas desses porque gosto de ouvir quem à partida percebe mais do que eu de futebol, eu já cheguei ouvir o comentador Portista - Miguel Guedes, dizer que o Porto por exemplo foi beneficiado no jogo do Braga, sim um comentador do Porto!), por isso ao Pinto da Costa também não ficaram bem as declarações que fez das capelas e afins quando isso acontece dos dois lados, mas como também conheço minimante a opinião do Pedro sobre o Pinto da Costa não vale a pena ir muito por aí, ele sempre foi assim, incendiário, embora até considere que ultimamente tem andado mais calmo, mas pronto. Nesse género de comentários entra-se por um caminho que eu não gosto, nem de ver os adeptos ou dirigentes do meu clube trilhar (por exemplo nunca suportei muito o Rui Gomes da Silva porque em debates nunca teve argumentos além da arbitragem, e em campo há mais duas equipas do que a de arbitragem para comentar, logo a equipa de arbitragem pode cometer erros, mas dos erros das outras equipas não se fala?).

    Quanto ao resto... Sim na última jornada o penaltie e a expulsão foram mal assinalados beneficiando o FCPorto, e depois? Foi aí que perdemos o campeonato? NÃO, não foi, e tem de haver a humildade de o saber assumir. A época do Benfica foi brilhante sim, mas na hora da verdade e para grande tristeza minha, foi ao ar, essa é que é essa, e não vale a pena andar com desculpas! "O Benfica tem de ser muito mais do que isto." e espero que não demore mil e uma noites!

    Beijinhos Pedro e boa semana*

    (Obrigada pelo comentário que deixou pelos lados de lá, toca-me muito, eu gosto muito de futebol, sou adepta orgulhosissima do meu Benfica, mas se houve coisa que a vida me ensinou - é neste ponto que eu sempre defendi que toda a gente devia praticar um desporto de equipa na adolescencia, e eu nem sequer era grande atleta - é preciso ter ganas de ganhar, é preciso saber ganhar, é preciso saber perder, mas acima de tudo é preciso saber respeitar o adversário se queremos respeito de volta! Eu respeito porque há muito que não caio no erro de colocar os adeptos dos clubes todos no mesmo saco, eu até já digo que para mim, não há portistas, benfiquistas ou sportinguistas, há adeptos, e dentro destes há os bons e os menos bons! Porque sabemos que se o Benfica tivesse sido campeão, o que o Pedro tem ouvido menos bom de adeptos do Benfica também nós o ouviriamos de adeptos do lado de lá, mas como o Pedro disse naquele momento de inspiração... Esse género de adepto, nem aquele sitio feio merece ser mandado.)

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Não há efectivamente santinhos, Poppy.
      Nem de propósito, ja depois de ter escrito isto, mostram-me aquele escarro que aquele tipo que é deputado do PSD e candidato à Câmara de Gaia mandou - ganhámos aos magrebinos.
      E este anormal é deputado, não é o líder dos Super Dragões.
      Às vezes dá vontade de esquecer a bola, porra!!

      O que eu escrevi no blogue é sincero e é sentido.

      Beijinhos e votos de uma boa semana!

      Eliminar
  3. Viva o Sporting!

    Quanto às bonecas russas, comprei um conjunto em Moscovo, porque as acho deliciosas.

    Relativamente à literatura, agradeço o ensinamento.

    Bom dia, rrss

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. O Sporting começa com uma decisão acertada, São - contratar o Leonardo Jardim.
      Se lhe derem tempo e condições acredito que faca um bom trabalho

      Eliminar
  4. Apenas uma frase, 'roubada' ao caro António Cambeta.

    "O Benfica tem que ser melhor que isto".
    Acrescento: muito melhor que isto.

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. António,
      Comentava hoje com um amigo sportinguista que a próxima época vai ser muito diferente.
      Ate porque os principais clubes vão perder os seus craques.
      Mas espero que seja, pelo menos, tão competitiva como esta.
      Até ao ultimo apito,cse possível com mais candidatos ao barulho.
      Aquele abraço!!

      Eliminar
  5. Gostei da comparação, Pedro. Felizmente há benfiquistas com noção do ridículo, como é o caso do Seara qe reconheceu mérito à vitória do Porto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Carlos,
      Eu não meto tudo no mesmo saco.
      Há muitos benfiquistas, e eu conheço alguns, alguns até passam por aqui e comentam, que sabem reconhecer o que têm à frente dos olhos.
      Se fôssemos meter tudo no mesmo saco, nós dois, portistas, podíamos ser confundidos com aquele verme que utilizou aquele vómito linguístico (magrebinos)

      Eliminar
  6. Pedro,
    Achei graça ao seu comentário na minha janela. A lucidez fala assim.

    Gosto destas matrioskas, não para usar em discursos mas pela peça em si mesma.
    Uma bela forma de abordar o assunto.
    Sou do Sporting mas respeito os vencedores. Tenho que lhe dar os parabéns, não é?
    Beijinhos. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ana,
      O Porto foi campeão e eu fiquei contente.
      Como já comentei várias vezes - glória aos vencedores, honra aos vencidos.
      E, daqui a pouco, começa outra época e outra história.
      Tão simples como isso.
      Beijinho

      Eliminar
  7. Futebol aparte, embora saiba ser esse o cerne de todo o discurso, adorei o texto, por duas razões. Adoro essas bonequinhas russas, já as caixinhas chinesas nunca vi.
    A aplicação desta teoria à literatura, é tal e qual como diz o Pedro.
    Espectacular!:))

    Beijinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Janita,
      As caixinhas chinesas, se procurar na Net é fácil encontrara imagens, funcionam no mesmo princípio das matrioskas.
      E são ambas muito bonitas.
      Um outro bom exemplo desta técnica na literatura é o D. Quixote.
      Histórias que se vão metendo no meio de outras histórias e da história principal.
      Beijinho

      Eliminar
  8. Com a sua licença(como será que se escreve isto em magrebino?), amigo Pedro, gostaria de apenas fazer um curtíssimo comentário.

    Em primeiro lugar, o "meu" Benfica fica a dever a si próprio a derrota no Campeonato (lembra-se, Pedro, do que eu lhe disse sobre os últimos quatro jogos?), não pode queixar-se de mais ninguém.

    Em segundo lugar, haverá sempre o penalti por marcar, o fora-de-jogo por assinalar, enfim, um cem número de "tretas" que poderemos apontar para justificar o nos erros ou falhas.

    Em terceiro lugar, continuo a achar que Vítor Pereira é um tipo cheio de sorte (1º pela estrutura do clube em que está, 2º pelos jogadores que tem, 3º pela sorte mesmo no jogo).

    Abraço, Pedro, e que Alá esteja consigo!!!

    P.S. - Falo em magrebino porque houve um cretino do seu clube que nos (Benfica) apelidou a todos de magrebinos, aliás, esse "monte de banha" ambulante, é deputado da Nação e foi eleito com os votos de portistas, benfiquistas, sportinguistas, vimaranenses, maritimistas, nacionalistas (Nacional da Madeira), enfim, é um monte de esterco que não representa a Instituição FC Porto que vai para além de um qualquer Amorim, Pinto, Antero ou Vítor que possa existir neste mundo.

    ResponderEliminar
  9. Ricardo,
    De acordo em tudo.
    Até no facto de o Vítor Pereira ser sortudo.
    Agora imagine como é que Pinto da Costa o pode mandar embora.
    Quando ouvi os adeptos a gritarem "fica, fica" (esqueceram rapidamente as asneiras na taça de Portugal, na Taça da Liga e na Liga dos Campeões) percebi que ele agora só sai se quiser.
    Mais, agora até se sente com poder para dizer que quer mais......dinheiro e poder.

    Já aquele escarro só tive conhecimento dele ontem, Ricardo.
    Já o comentei, repito - merecia que os "magrebinos" o esperassem à porta da Assembleia e lhe assentassem uns bons tabefes (como é que se diz tabefe em magrebino?) naquele traseiro gordo.
    Uma coisa é certa - a candidatura à Câmara de Gaia já foi.
    Talvez seja melhor pensar em mudar para....o Magrebe.
    Parvalhão!!

    Aquele abraço!!

    Agora prepare-se para gozo com Porto e Benfica no Facebook :))

    ResponderEliminar