13 de junho de 2019

Companhias fiéis que nunca conheceremos pessoalmente


Há pessoas que entram na nossa vida e passam a fazer parte dela ainda que nunca as venhamos a conhecer pessoalmente e que tenhamos ideais políticos muito diferentes.
Há muitas assim na minha vida, algumas já desaparecidas, mas que deixaram marca.
O Ruben de Carvalho era uma dessas pessoas.
Homem culto, inteligente, de fortes convicções, o Ruben de Carvalho era uma companhia indispensável ao fim-de-semana.
Com o seu bom gosto a nível musical, muito ecléctico e enciclopédico, nas “Crónicas da Idade Mídia” e com a sua enorme cultura e mundividência nos debates com Jaime Nogueira Pinto nos “Radicais Livres”.
O meu fim-de-semana vai ficar mais enfadonho agora que o Ruben de Carvalho partiu.
Nunca o conheci ou conhecerei pessoalmente, tínhamos ideias muito díspares em muitos sectores da vida, mas o Ruben de Carvalho deixa um vazio também na minha vida.

43 comentários:

  1. Sim, ele partiu e o Pedro nunca o irá conhecer.
    Temos, por vezes, grande admiração por pessoas que têm ideais e opiniões muito diferentes das nossas. Mas nem por isso deixamos de as respeitar e admirar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Era uma companhia fiel, Catarina.
      O Jaime Nogueira Pinto escreveu um epitáfio que será o melhor de todos e que o Ruben Carvalho merecia.

      Eliminar
  2. Sim, também me deixa saudades. Quem diria que duas pessoas, ideologicamente nos antípodas, dariam uma dupla de sucesso! Mas, sempre pensei, que quando as pessoas são sérias, respeitadora dos outros, funciona sempre. E...a idade também ajuda, dá a maturidade e o "tempo" que se precisa...
    Cumprimentos do Porto

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma dupla fantástica, Maria Eugénia.
      Muito inteligentes, muito cultos, espíritos livres e esclarecidos.
      Cumprimentos

      Eliminar
  3. Bom dia
    É verdade que muitas vezes ganhamos empatia por pessoas que não conhecemos pessoalmente.
    Eu por exemplo não conheço ninguém dos blogs que quase todos os dias leio e no entanto parece que algumas me são muito familiares e amigas .
    JAFR

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já começam a ser, Joaquim Rosário.
      Os tais amigos virtuais.
      Dois infelizmente já desaparecidos.

      Eliminar
  4. Este Senhor candidatou-se uma vez à Câmara da minha cidade de Setúbal e tive muita pena de ele não ter ganho essa eleição.
    Um abraço e continuação de uma boa semana.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    O prazer dos livros

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Ruben de Carvalho era uma companhia indispensável, Francisco.
      As gargalhadas dele vão fazer falta.
      Aquele abraço

      Eliminar
  5. A vida é assim... mas fica um enorme vazio. Que Deus lhe dê o eterno descanso.


    Bjos
    Votos de uma óptima Quinta - Feira.

    ResponderEliminar
  6. Ruben de Carvalho,
    Um lobo com pele de ovelha. Em Portugal desde o golpe de estado comunista de 1974. A terceira republica que tanto tem feito para destruir a nacao e soberania de Portugal.
    Que descansse em paz, o fiel COMUNISTA SOCIALISTA, systema que tanto tem feito para a destrucao e pobresa do individo e das nacoes.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não percebo porquê, Augie Cardoso.
      Ele sempre assumiu abertamente as convicções políticas.
      E até brincava com isso.
      Chamava fascista ao Jaime Nogueira Pinto e dizia que o Estado Novo tinha feito o favor de lhe ter mostrado todas as prisões.

      Eliminar
  7. Pedro,
    É importante que ele
    tenha feito diferença
    e que você tenha aproveitado
    o que lhe era somado.
    Fazer o quê? um dia iremos nós.
    Vamos aproveitar bem cada oportunidade.
    Bjins
    CatiahoAlc.

    ResponderEliminar
  8. É triste quando assim é! Hoje soube a noticia de uma amiga do face que morreu com uma ataque de asma, à espera de uma consulta nas urgências! É assim :(

    Paz às suas Almas!
    Beijo e um dia Feliz.

    ResponderEliminar
  9. Boa tarde,

    Hoje, para comentar, utilizarei as palavras do Pedro Coimbra e do Joaquim Rosário: subscrevo na íntegra.

    Nunca me cruzei com o Júlio Isidro e, no, entanto tenho uma profunda admiração por ele.

    Bem como pelos bloguers que leio. A escrita também é o espelho da alma.

    Pode ser que neste "balancé" da Vida os caminhos do Algarve e de Macau se cruzem algum dia.

    Um abraço do Algarve,

    Sandra Martins

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se cá vier, quando cá vier, terei todo o gosto em lhe dar a conhecer Macau.
      Um abraço

      Eliminar
  10. Oi Pedro!
    Quanto de importância teria está pessoa para só pela voz e colocações marcar-te assim.
    Que descanse em paz.
    Abrçs

    ResponderEliminar
  11. Um homem polivalente, que defendeu muitas causas, que lutou e deu muito de si à cidade de Lisboa.
    Partiu, deixa saudades e marcas na vida de muita gente.
    RIP

    ResponderEliminar
  12. Conheci-o pessoalmente, mas jamais ouvi esse programa....

    Tudo de bom

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os dois programas eram imperdíveis, São.
      Gente superior.

      Eliminar
  13. As minhas condolencias a sua familia.

    ResponderEliminar
  14. Os grandes homens são assim. Agradam mesmo a quem não lhe comunga dos ideais.
    Abraço e bom fim-de-semana

    ResponderEliminar
  15. people who have power to inspire are rare but truly blessing dear Pedro!

    we learn from them unconsciously

    ResponderEliminar
  16. Algumas vezes tenho dito: há pessoas que não deviam morrer.
    É parvoíce, eu sei! Mas eu digo tantas...
    O facto é que quando morre um Rúben há um vazio, há um lugar por preencher indefinidamente. Outros virão, eventualmente melhores mas não preencherão do mesmo modo a diversidade como ele o fez.
    Abraço!

    ResponderEliminar
  17. Um político de todas as cores, um cidadão exemplar.
    A amizade com Jaime Nogueira Pinto é a prova disso.
    A morte leva os bons demasiado cedo.
    Desta vez Pedro, deixo-te um abraço apertado.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Dois tipos bestiais, teresa.
      O fascista e o comuna, era assim que se tratavam um ao outro, eram uma delícia de ouvir.
      O Rui Pego praticamente só dava o tema.
      Um abraço

      Eliminar
  18. Ainda que eu já tenha sido um mais assíduo ouvinte radiofónico, em qualquer caso continuo um indefectível ouvinte da Antena1 da RDP, cujos "Radicais Livres" e mais esporadicamente as “Crónicas da Idade Mídia”, me eram incontornáveis, sempre que possível _ até porque fascina-me a cultura dum modo geral e quem sabe muito do que fala em particular, neste último caso, a concreto exemplo de Rúben de Carvalho, não será por acaso que tantas vezes havia, por exemplo, concordância entre um fascista e um comunista, no que a objectivo conhecimento de factos histórico-culturais se referia.
    Uma verdadeira Perda sem absoluta sombra de dúvida.

    De entre tudo o mais que o Pedro aqui tem partilhado, durante algumas semanas de minha ausência do meio virtual, não pude deixar de comentar esta partilha em concreto _ de resto quando soube da morte de Rúben Carvalho lembrei-me do Pedro, por nalguma outra ocasião o Pedro ter por aqui aludido aos "Radicais Livres" e também então eu ter comentado algo ao respeito.

    Abraço
    VB

    ResponderEliminar