23 de maio de 2019

Ainda à espera de Godot



Foi em 1952 que estreou o grande fenómeno do teatro do absurdo que é a peça escrita por Samuel Beckett, “À Espera de Godot”.
Desde então inúmeras vezes o absurdo reinou na vida pública e muitas populações ficaram à espera de Godot.
A União Europeia e a Grã-Bretanha, o absurdo e interminável Brexit.
Agora com a possibilidade de novo referendo na antes tão determinada e assertiva Grã-Bretanha.
Uma possibilidade que, à semelhança de todas as outras, não reúne consenso interno.
Na peça de Beckett espera-se por um indivíduo chamado Godot sem nunca se saber quem é ou o que se quer dele.
Na União Europeia espera-se por um Brexit sem ainda se saber muito bem como é, muito menos se e como se efectivará.
Uma União Europeia que em todo este processo não pode ficar cega como Pozzo, ou muda como Lucky.
Muito menos esperar que surja alguém no final a dizer que afinal Godot não vem, talvez amanhã.
A União Europeia e a Grã-Bretanha, o Brexit, ainda à espera de Godot.

50 comentários:

  1. Buenos días Pedro, muchas gracias por tu post y tú información.
    Que tengas un buen día

    ResponderEliminar
  2. E para ajudar este "filme" todo, a ministra dos Assuntos Parlamentares britânica, Andrea Leadsom, demitiu-se... Quem percebe isto tudo?
    Cumprimentos da Maria do Porto

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vamos esperar pelo resto do filma, Maria Eugénia.
      Theresa May ainda estrebucha.

      Eliminar
  3. por aqui temos o Gambuzinos, Pedro !
    também há gente à procura deles :)

    ResponderEliminar
  4. Quem espera desespera! :)

    Beijos e um dia feliz!

    ResponderEliminar
  5. Quem espera desespera, sempre foi assim :)!

    Beijos e um dia feliz!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já estão a ser avançadas notícias de uma possível demissão de Theresa May.
      Beijos

      Eliminar
  6. E ao fim deste tempo todo a Senhora Theresa Mary admite um segundo referendo.
    Um abraço e continuação de uma boa semana.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    O prazer dos livros

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E agora já admite bater com a porta, Francisco.
      Este "bifes" são loucos!!
      Aquele abraço

      Eliminar
  7. Na altura, que vi, pela primeira vez, essa peça, a interpretação era que Godot era Deus, que esperávamos em vão, pela falta da sua existência.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. No original Godot nunca se sabe quem é nem nunca aparece, Teresa.

      Eliminar
    2. Exactamente como Deus que esperamos em vão, Godot não aparece.

      O que eu quero dizer que o Brexit é uma coisa de doidos, enquanto que a peça é uma das peças mais inteligentes que vi até hoje.

      Eu compreendo, no entanto, a comparação que o Pedro quis fazer para explicar o que está a acontecer.

      Eliminar
  8. O Brexit é uma montanha a parir um rato. se o assunto não fosse tão sério, mais valia acabar com isto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas é demasiado sério para ter sido decidido com aquela leveza e andar agora aos solavancos.

      Eliminar
  9. Por cá também se aguarda por Godot...
    Este que temos não há maneira de me convencer !

    Grande abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E já se começa a falar na hipótese de seguir o caminho do Durão Barroso...
      Seria a escolha de Macron com a aquiescência alemã.
      Aquele abraço

      Eliminar
  10. É costume dizer-se, quem espera desespera. Todavia, os ingleses não parecem muito desesperados. À espera de saírem da União Europeia?

    Continuação de boa semana caro amigo Pedro Coimbra. Um abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Essa é mesmo a pergunta do milhão de euros.
      Aquele abraço

      Eliminar
  11. De saída mas penso que votam hoje para as Europeias! :)

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O que é deveras curioso.
      Votar para um Parlamento de uma instituição que se quer abandonar.
      Se isto não é o exemplo acabado no nonsense vou ali e já venho.
      Aquele abraço

      Eliminar
  12. Aqui também estamos acompanhando essa longa 'novela', aguardamos o melhor final, se podemos assim dizer...
    Beijo, Pedro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um final que ninguém consegue adivinhar, Tais Luso.
      Beijo, bfds

      Eliminar
  13. Não conhecia, mas estamos sempre aprender :)

    xoxo
    www.danielasilva.pt

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É isso mesmo Daniela Silva, estamos sempre a aprender
      Bjs, bfds

      Eliminar
  14. O cúmulo do absurdo, esta história do processo do Brexit.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Entre o Brexit e a peça do Beckett é complicado escolher, Magui

      Eliminar
  15. Pedro,
    E a vida segue imitando a
    vida ou seria vice e versa?
    Bjins
    CatiahoAlc.

    ResponderEliminar
  16. PEDRO

    NÃO SABENDO O QUE DIZER sobre o assunto do post
    fica no ar uma questão que eu não entendo
    será que consegue ajudar-me?
    Porque razão na Inglaterra os dias para votar
    são sempre durante a semana e em Portugal sempre ao domingo,
    quer dizer, fim de semana?

    Sabe?

    Amigo, venho agradecer a sua ajuda na escolha das fotos!
    ...acredite é ainda mais difícil para mim.

    Hoje, convido-o a vir até aqui:
    http://tempolivremundo.blogspot.com/

    (até que o autocarro parou para sairmos por trinta minutos para apreciar o LACU ROSU...)

    Continuação de boa semana
    abraço da Tulipa

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não faço a ideia do porquê dessa discrepância, Tulipa.
      Bfds

      Eliminar
  17. E a espera de Godot está a sair bem cara à Inglaterra. Hoje soube-se que a British Steel está em muito maus lençóis e os 25.000 empregados não devem estar a apreciar o triste espectáculo do Brexit.
    Caro Pedro, um bom fim de semana.
    Abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Num ambiente de incerteza política, de futuro em suspenso, tudo e todos se ressentem, Jaime Portela.
      Aquele abraço, bfds

      Eliminar
  18. A minha avo tinha uma frase que dizia muitas vezes quando alguma coisa não se resolvia."Nem o pai morre, nem a gente almoça"
    Abraço e bom fim-de-semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também ouvi muitas vezes essa frase à minha avó, Elvira Carvalho.
      Assenta como uma luva!
      Abraço, bfds

      Eliminar
  19. Já andam nisto há três anos e sinceramente já não compreendo nada. Também a maioria do povo britânico, dentro e fora, já estão saturados com esta salada russa.

    Beijos

    ResponderEliminar
  20. Pronto!!!
    Theresa Mas já só fica até Junho, no entanto, o teatro absurdo vai continuar. A espera de "Godot" no teatro dura duas horas e não anos:-*

    ResponderEliminar
  21. Fizeste-me lembrar o nosso amigo Professor João Paulo... :)

    Esperemos então.
    Entretanto... deixo-te novamente beijinhos de BFS
    (^^)

    ResponderEliminar
  22. ... E afinal já há "fumo branco" (ou será negro ? ) não para uma escolha efectivada, mas sim para uma saída !
    Já não haverá Srª May no futuro ! Finalmente deitou a toalha ao chão, mas, ... vamos a ver ,... afinal o que é que os ingleses querem ou não querem ?... Uma grande incógnita !!! :((

    ResponderEliminar
  23. Este comentário foi removido por um gestor do blogue.

    ResponderEliminar
  24. Bem escrito, Pedro.
    Passou por estes dias uma pequena peça com o Farage a pisar o "palco" sorriden te. Inchado! O que esperam os britânicos de tal presunção de perú?
    Abraço.

    ResponderEliminar