5 de junho de 2018

Populismo, demagogia e xenofobia em crescimento na Europa

 
À medida que a Europa é mais e mais procurada por quem foge de cenários de guerra, miséria, perseguição política e religiosa, crescem também o populismo, a demagogia e a xenofobia.
Último exemplo, a vitória de Janez Jansa nas eleições legislativas eslovenas.
Janez Jansa, um aliado de de Viktor Orban (pior cartão de visita é difícil...), que centrou o seu discurso nas políticas anti-imigração, conseguiu uma vitória eleitoral que só surpreenderá os mais distraídos.
Condenado por corrupção, Janez Jansa terá muitas dificuldades de voltar ao poder num país que já governou por duas vezes (2004/2008 e 2012/2013).
Sozinho, o Partido Democrático Esloveno (SDS), não dispõe do número de mandatos que lhe permita formar governo.
Em coligação, afigura-se complicado também, porque só os conservadores da Nova Eslovénia vieram publicamente admitir coligar-se ao SDS.
Os restantes partidos afastam radical e terminantemente qualquer aproximação a Janez Jansa.
Ainda que não forme governo, Janez Jansa, populista, demagogo, xenófobo, é mais um líder político a ganhar umas eleições numa Europa cada vez mais assustada com o fenómeno da imigração.
Bem pode o Papa Francisco apelar ao sentimento de piedade para com os que, desesperados, arriscam a sua vida e a dos seus familiares em busca de um pouco de paz num continente que era suposto acolhê-los.
Um continente que tem desde 1997 um Observatório Europeu do Racismo e da Xenofobia e onde estes sentimentos crescem a par com a insegurança e o desemprego.
E os Viktor Orban e Janez Jansa.

37 comentários:

  1. A imigração em massa está a criar alguns problemas em certos países por estes não terem os recursos suficientes em termos de alojamento, ajuda humanitária e tb porque financeiramente é um encargo bastante grande. E não estou a falar em xenofobia e em tudo o resto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um caldo terrível, Catarina.
      Os países que não estavam preparados para receber os refugiados, o desemprego e a insegurança que crescem nesses países.
      Tudo isso dá origem a fenómenos de todo indesejáveis e figurinhas que não faziam falta nenhuma.

      Eliminar
  2. Assustador o futuro que se perspetiva para os nossos netos.
    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O medo leva a estes excessos e a esta cegueira, Elvira Carvalho.
      Um crápula, corrupto, é eleito porque tem um discurso xenófobo.
      Um abraço

      Eliminar
  3. Onde vai parar este mundo!? =(
    Beijinhos,
    http://chicana.blogs.sapo.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por este caminho não se antevê nada de bom, Ana :(
      Beijinhos

      Eliminar
  4. Uma tristeza e uma enorme preocupação todo este avanço da exrema-direita, agravadas pela leveza de que o sistema dá mostras ao não reflectir sobre si mesmo e ao não inflectir o seu próprio rumo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pelo contrário, São, este avanço é cada vez maior e está cada vez mais espalhado.

      Eliminar
  5. Infelizmente amigo Pedro os europeus estão a perder os seus grandes valores e princípios em nome de uma "justiça" vazia e ultrapassada propicia a aparecer senhores destes.
    Um abraço e boa semana.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    O prazer dos livros

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vão-se multiplicando, Francisco.
      Cada vez mais e em mais países.
      Aquele abraço

      Eliminar
  6. Mais uma posta completamente disparatada do Pedro Coimbra, elitista, demagogo e xenófilo! A esmagadora maioria dos imigrantes não foge a guerra nenhuma!!! Até a União Europeia, essa organização antidemocrática de canalhas não-eleitos reconheceu isso, ao estabelecer a separação entre imigrantes económicos e refugiados!

    Vá-se habituando, que isto é só o início: o Trump, o Brexit, o Farage, o Orbán, a Le Pen, o Janša e todos os outros "populistas" são sobretudo o resultado da arrogância e da prepotência de elitistas ignorantes como o Pedro Coimbra! As pessoas estã fartas de receber lições de moral de gente que não tem moral nenhuma!!! Quantos supostos refugiados é que o Pedro Coimbra já enfiou em sua casa?! Quantos?!?! O que sabe o Pedro Coimbra do que é ter de viver lado a lado com esta "gente"?!?! O Pedro Coimbra vive bem protegido e refastelado na RAEM, um autêntico condomínio fechado, onde a população muçulmana é praticamente inexistente!!!

    Agora apague este comentário tal como fez ao outro que eu deixei sobre o Islão, seu falso democrata! Apague-o e mostre a toda a gente o tiranete que o senhor realmente é!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Agora ofendeu-me e irritou-me, Afonso de Portugal.
      NUNCA LHE APAGUEI COMENTÁRIO NENHUM, QUE ISSO FIQUE BEM CLARO.
      Já lhe disse mais que uma vez que, por muito que discordemos um do outro, aqui o tiranete, como você me chama, só apaga comentários que contenham ofensas a terceiros ou que sejam mal educados, grosseiros.
      Coisa que você nunca foi.
      Não, não fui eu que lhe apaguei nenhum comentário.
      Não faço ideia como desapareceu mas não fui eu a apagá-lo.

      E está enganado noutras coisas.
      Não quero dar lições de moral a ninguém.
      Nem às minhas filhas que as eduquei para não precisarem disso, que fará a terceiros.

      E existe sim uma grande comunidade muçulmana em Macau.
      Há MUITO tempo.
      Procure por Ramal dos Mouros e é capaz de apanhar algumas surpresas.

      Eliminar
    2. É possível que, de facto, tenha ocorrido algo de errado com o meu comentário e ele nunca tenha chegado a ser publicado. Se foi esse o caso, apresento-lhe o meu sincero pedido de desculpas pelos insultos.

      Infelizmente, ser "populista" tem-me valido muitos confrontos acesos com outras pessoas, pelo que às vezes perco as estribeiras e há gente que apanha por tabela sem ter culpa, como parece ter sido o seu caso. Uma vez mais, peço-lhe desculpa.

      Quanto aos muçulmanos em Macau, tanto quanto eu consegui apurar, serão cerca de 10 mil. Ora, tendo em conta que a população total de Macau andará na casa dos 650 mil, estamos a falar de 1,54% da população total, o que é realmente muito pouco. Em países como a França, a Suécia, a Alemanha e o Reino Unido, os atritos entre os nativos e a comunidade islâmica só começaram a sentir-se a partir dos 3-4%.

      Seja como for, o meu ponto era o seguinte: não se pode culpar a ignorância do povo pelo crescimento partidos "populistas", porque as elites europeias não estão a exigir aos muçulmanos que se integrem. O que está a acontecer na Europa é que os cidadãos europeus têm assistido impotentes ao crescimento do Islão e da sua influência política. Quando as escolas públicas retiram as ementas de carne de porco das suas cantinas, por exemplo, está-se perante uma grave cedência do Estado -supostamente laico- perante o Islão. Quando gangues de pedófilos muçulmanos violaram e prostituíram milhares de meninas inglesas e as autoridades britânicas demoraram anos a reagir por medo de serem “racistas”, estamos perante a demissão das autoridades em proteger os cidadãos. São estas contradições que, em grande parte, têm dado azo ao crescimento da “extrema-direita” na Europa. Ignorar todo este mal-estar social crescente e continuar a insistir que o povo tem medo e é ignorante apenas agravará o problema.

      Eliminar
  7. Concordo contigo e respeito na integra a tua opinião.

    Portugal recebeu muitos refugiados (o que acho bem) deu-lhes tudo e um ou dois anos depois muitos deles partiram sem deixar rasto e pergunto como isto é possível? Portugal na década de 70 levou/recebeu os que apelidaram de retornados das ex-colónias. Muitos ficaram e fizeram-se à vida. Outros muitos partiram para nunca mais voltar e alguns bastantes regressaram às suas origens.

    No meio de tudo isto e do que se passa agora muitos vêm por outros interesses e não podemos medir todos pela mesma bitola mas que ditadores e outros "ores" estão a crescer lá isso é verdade, mas culpo uma UE que é tudo...menos unida e bem longe dos ideais para os quais foi criada.

    Beijocas amigo e bola p'ra frente!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fatyly,
      Mas quem é que me viu algum dia a dizer/escrever que a Europa devia receber de braços abertos quem lhe entra pelas fronteiras??
      Só o Afonso de Portugal, seja lá ele quem for, acha que eu defendo isso.
      Mas eu sou inconsciente e irresponsável??
      É claro que é preciso haver critério, haver políticas de asilo europeias e não de país para país, investigação cuidada de quem chega.

      Mas, dito isto, eleger estes demagogos xenófobos, que nisso o Afonso de Portugal acerta, são cada vez mais, assusta qualquer pessoa de bom senso.

      Beijocas

      Eliminar
    2. Para não sofrer influências, comento sempre sem ler os comentários de quem por aqui aparece e só agora li o de Afonso Portugal. Excedeu-se um pouco na agressividade mas todos nós temos momentos menos bons.

      Pedro tem calma amigo porque o que dizes foi sempre o teu modo de ser, estar e pensar. Realmente é assustador o ressurgir de "demagogos xenófobos" mas tudo passa porque a história está recheada deles.

      Façamos o melhor e o melhor de tudo é aproveitar diariamente o lado bom da vida.

      Beijocas

      Eliminar
    3. Sob palavra de honra, não apaguei comentário nenhum ao Afonso de Portugal.
      Que me recorde, ao longo destes anos todos só eliminei uma meia dúzia de comentários de pessoas que foram grosseiras comigo ou com outros comentadores.
      Enfim, a realidade é que é bem verdade que "quem anda à chuva molha-se".
      Beijocas

      Eliminar
  8. Confesso-me "ignorante" no entanto muito preocupada :))

    Hoje, do Gil, que por motoivos porfissionais não pode visitar os blogues amigos:
    Coração em labaredas vulcânicas.

    Bjos
    Votos de uma boa Terça-Feira

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bjs, votos de uma boa terça-feira, Larissa Santos.

      Eliminar
  9. OLá Pedro, o que preocupa é quando a integração das pessoas que chegam a uma comunidade não se pode fazer, ou seja porque são muitos, ou seja porque não são acolhidos nas atividades das comunidades onde chegam porque não existem estruturas para esse fim desde o apoio aos mais jovens, ou seja porque os colocam em bairros isolados, ou porque eles vêm com desígnios de explorar os locais, seja em que pais for, seja norte ou sul, ou porque existem de um lado ou de outro politicas de segregação, etc. não é fácil,
    e assustadora também é a situação daqueles que morrem afogados no Mediterrâneo, um sem fim de tragédias :(
    boa noite Pedro

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A tragédia de quem nunca chega e a tragédia de quem chega e nunca se integra, Angela.
      Claro que há muitos que não se querem integrar.
      E desses não tenho pena nenhuma.
      Boa quarta-feira

      Eliminar
  10. Concordo plenamente com a sua postagem, obrigado pela visita.
    Blog: https://arrasandonobatomvermelho.blogspot.com/
    Canal:https://www.youtube.com/watch?v=DmO8csZDARM

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um drama que sobretudo na Europa parece não ter fim, Nequéren Reis.

      Eliminar
  11. é, infelizmente, tens razão. os extremos (direita e esquerda) estão a tomar conta da europa, com ideologias cada vez mais assustadoras.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E os extremismos, seja no que for, foram sempre maus conselheiros como todos estamos fartos de saber.

      Eliminar
  12. Isto na Europa está a ficar muito feio, Pedro. Ainda hoje o Salvini disse aos imigrantes na Sicília " pirem-se, porque acabou a brincadeira". Começo a recear bastante o futuro da Europa. Até Merkel já percebeu que tem de ceder a Macron para salvar a UE e a moeda única mas, curiosamente, essa cedência parece colocar um ponto final na sua carreira política, porque os alemães da CDU estão mais próximos do novo governo italiano, do que de Merkel. Abraço e boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A Itália, Carlos, um berço da civilização europeia! :(
      Onde é que vamos parar??
      Por este andar ao fim da Europa como a conhecemos e admiramos (admirámos??).
      Aquele abraço, boa semana

      Eliminar
  13. Tens toda a razão Pedro
    O caminho que a Europa esta a tomar não é nada promissor
    Abraço

    Hoje em Caminhos Percorridos - Canção do Fim

    ResponderEliminar
  14. O problema é sério, o fenómeno que anda nas bocas do mundo - populismo, xenofobia e racismo - sempre o houve, com os resultados trágicos que conhecemos pela História. Pensava eu que o Homem havia evoluido em valores. Infelizmente estava enganado. Parece-me.
    O que me indigna é a hipocrisia dos grandes do Ocidente + Rússia que são responsáveis pelas vagas de refugiados e imigrantes que aportam à Europa. Publicamente lamentam e prometem combater, no bom sentido, lamentam, choram, põem luto, mas que não mexem uma palha. Os negócios falam mais alto, pois então, como o da indústria de armamento.
    Abraço e saúde para toda a família.

    ResponderEliminar
  15. Nesse aspecto até admiro os sacanas que directamente dizem que se estão nas tintas para estes desgraçados.
    Ao menos são coerentes.
    Os outros são hipócritas e sacanas, Agostinho.
    Aquele abraço

    ResponderEliminar
  16. Um mundo cada vez mais complexo, em que no caso os extremismos de lá, ressuscitam os extremismos de cá! E de entre meio reina a maldita da hipocrisia político-social e do cinismo materialista!

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ontem mais um barco que ficou às portas da Europa cheio de gente.
      Um tormento que não tem fim.
      Aquele abraço

      Eliminar
  17. Respostas
    1. As reacções primárias, Majo.
      Há insegurança, desemprego, descontentamento social?
      Fecham-se as fronteiras!
      Beijinho

      Eliminar