21 de novembro de 2017

Para quando o repensar as corridas de motos em Macau?


Mais um Grande Prémio de Macau, mais uma morte nas corridas de motos.
Daniel Hegarty, piloto de motos, 31 anos de idade, faleceu na sequência de um despiste, seguido de brutal embate na Curva dos Pescadores, sensivelmente o mesmo local onde Luís Carreira perdera a vida cinco anos antes.
Azar, como se ouviu um alto responsável dizer?
Não, não é azar.
Pelo contrário, com as condições do circuito e as velocidades estonteantes atingidas, só com muita sorte se escapa aos ferimentos e até à morte.
Sejamos claros e corajosos de uma vez por todas – um circuito que não dispõe de escapatórias, onde um despiste equivale ao embate nas protecções metálicas, ou nos muros, não pode acolher corridas de motos com estas características, que atingem estas velocidades.
Porque isso significa jogar com a vida das pessoas.
Na Macau capital mundial do Jogo, a vida da pessoa tem que ser sempre o limite para o que é lícito jogar.
Só corre quem quer, só arrisca a vida quem quer?
Argumento estafado e falacioso.
Estamos a falar de pilotos profissionais, de pessoas que ganham a sua vida, o seu sustento e o da suas famílias nestas corridas.
E é de ganhar a vida, mais do que ganhar corridas, que se trata.
Ganhar a vida, nunca perdê-la de maneira estúpida e brutal.

24 comentários:

  1. Tive oportunidade de conhecer o circuito quando estive em Macau e também o achei altamente perigoso.
    Correr em ruas onde normalmente se circula, não é de maneira nenhuma seguro.
    Pena que se tenha perdido mais uma vida e espero que isto sirva para que os responsáveis tomem consciência que algo tem que ser alterado.

    Beijos Pedro

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pior ainda é correr em motos, Manu.
      Como me dizia o meu pai nos meus anos de juventude quando eu queria uma moto, "o pára-choques é a tua cabeça".
      O circuito tem tanto de espectacular como de perigoso.
      Qualquer erro pode ser fatal.
      Para os carros implica a desistência - no último domingo, numa corrida espectacular, os dois primeiros despistaram-se na última curva e o que vinha em terceiro acabou por ganhar a corrida com um dos outros a acabar sem uma roda e a parte da frente destruída ao passo que o outro ficou no muro.
      Para as motos é muito difícil que não haja ferimentos, quantas vezes fatais.
      Beijos

      Eliminar
  2. Estava a ver e quando vi o brutal acidente do jovem fiquei tão triste que não vi mais. A dos carros também foram imobilizados por vários embates numa "tudo em molho e fé em Deus".

    Acho que o circuito é demasiado perigoso embora nunca tenha visto in-loco!

    Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nos carros ainda muita chapa e muitos apetrechos de segurança antes de chegar à pessoa, Fatyly.
      Nas motos é logo na cabeça.
      Beijos

      Eliminar
    2. Sim é verdade, mas o lendário Ayrton de Senna bastou um ferrinho que furou o capacete.

      Eliminar
    3. E por isso foram introduzidas alterações para dar mais segurança aos pilotos, Fatyly.
      Precisamente o que aqui defendo.

      Eliminar
  3. bom dia amigo
    quando ouvi a noticia lembrei-me de si e pensei que ia fazer um comentário pois não ia ficar indiferente a esta situação que é realmente de lamentar !!
    JAFR

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O acidente é arrepiante, Joaquim Rosário.
      Vai sendo tempo de pensar em encontrar soluções para um problema que existe, que não se pode esconder, muito menos negar.

      Eliminar
  4. Tem toda a razão amigo Pedro estes circuitos urbanos são extremamente perigosos.
    Uma boa semana.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    O prazer dos livros

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Especialmente para motos de grande cilindrada, Francisco.
      Aquele abraço

      Eliminar
  5. Bom dia

    Respeito a opinião do autor pois uma morte é sempre de lamentar. Mas é uma discussão de prós e contras que nunca mais acabaria
    .
    { Hoje: Mãos trémulas, enrugadas, onde deixo o meu agradecido beijo.}
    .
    Deixando um abraço
    .

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tem sido assim o dia todo, Gil António.
      Todas as opiniões são admissíveis, não há nem pode haver aqui dogmas.
      Aquele abraço

      Eliminar
  6. Correr neste tipo de circuitos aumenta e muito as possibilidades de acidentes.
    Abraço
    Kique
    https://caminhos-percorridos2017.blogspot.pt/?m=0

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mais uma razão para melhorar as condições de segurança, Kique.
      Sobretudo nas corridas de motos.
      Aquele abraço

      Eliminar
  7. Vi um documentário sobre corridas da Fórmula um em automóveis e foi uma luta intensa até conseguirem segurança...pelo que vejo, aqui é igual , que pena !

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O circuito de Macau é espectacular, São.
      Mas é um circuito que não permite erros.
      Mais ainda nas corridas de motos.
      Um erro, uma distracção, uma avaria, podem revelar-se fatais.

      Eliminar
  8. Infelizmente morre muitos pilotos nestes circuitos urbanos.
    Um abraço.
    Autografos Futebol

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mais uma razão para se aumentar a segurança, Francico Emanuel.
      Não é acabar com as corridas de motos, muito menos com o Grande Prémio, como já me acusaram.
      Que disparate!
      É tornar as corridas de motos, e é dessas que estamos a tratar, mais seguras.
      Aquele abraço

      Eliminar
  9. Não conheço Macau, mas a violência parece assomar o mundo todo aos montes. Um abraço!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Luiza Maciel Nogueira,
      O desporto automóvel é por natureza perigoso.
      Motos são especialmente perigosas.
      Toda a segurança que se buscar não será muita.
      Um abraço

      Eliminar
  10. Muito triste que não tenham em mente a segurança dos participantes.
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu não acredito que a organização não pense na segurança dos participantes, Elvira Carvalho.
      O que afirmo é que se calhar ainda é preciso ir mais longe.
      Abraço

      Eliminar
  11. Nos dias de Grande Prémio normalmente fugia de Macau, por causa do barulho. Nunca assisti a uma corrida mas não me lembro de ter havido acidentes tão graves como os que têm ocorrido nos últimos anos. Quer em motos, quer em automóveis.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este acidente é horroroso, Carlos.
      Há algum pudor, que aplaudo, em mostrar as imagens, quer televisivas, quer fotográficas, precisamente por serem tão horríveis.

      Eliminar